Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Espetáculos - Apresentações


Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - Produção e Promoções de Eventos Culturais agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj

_____________________________________


A ocupação Glauce de Portas Abertas apresenta os espetáculos “Blackbird” e “Para onde ir” de 5 de outubro a 12 de novembro

Além das peças teatrais, cursos, oficinas, workshops e encontros serão oferecidos de forma gratuita.


As peças Blackbird e Para onde ir resultam da constante pesquisa, do interesse em transformar a literatura clássica em fenômeno cênico, pela importância de suas questões perenes sobre a condição humana.

De outubro a novembro, o teatro Glauce Rocha, no centro do Rio, inicia a ocupação “Glauce de Portas Abertas” com apresentação dos espetáculos adultos Blackbird e Para onde ir com curadoria da Rayes Produções Artísticas.

Formada pelos atores/produtores Viviani Rayes e Yashar Zambuzzi, a Cia de Teatro, Te-Un TEATRO possui um trabalho sólido e reconhecido pela qualidade artística de suas produções e pelas escolhas de seus espetáculos que levam à cena uma reflexão sobre a condição humana.

Além dos 2 espetáculos teatrais adultos, a ocupação oferecerá uma programação gratuita de cursos, oficinas, workshops e encontros, de 5 de outubro à 12 de novembro, de quarta a domingo.

“A ideia da ocupação é aproximar o público do Teatro Glauce Rocha, com uma programação de excelência, porque quanto mais o teatro expande os seus limites na direção de atingir o público através da percepção do fenômeno teatral em todas as suas partes, mais sólida e eficaz será a fidelização do seu público. Sendo assim, temos a preocupação de não deixar o teatro nesse local do inatingível e inacessível, mas sim, que esteja ao alcance de todos”. Afirma Viviani Rayes

OS ESPETÁCULOS QUE INTEGRAM A GRADE DE PROGRAMAÇÃO DA OCUPAÇÃO SÃO:

BLACKBIRD

FICHA TÉCNICA:

Elenco: Viviani Rayes, Yashar Zambuzzi e participação de Nínive Kienteca
Texto: David Harrower
Tradução: Alexandre J. Negreiros
Direção: Bruce Gomlevsky
De sexta a domingo, 19h, de 6 de outubro até 12 de novembro.
A apresentação do dia 03 de novembro terá intérprete de libras e audiodescrição.
Preço: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)
Duração: 80 min
Gênero: Drama
Classificação: 16 anos
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 – 0259





Link de video: https://www.youtube.com/watch?v=c5XzlbBf_bk


Vencedor do Festival Internacional de Edimburgo e do Prêmio Laurence Olivier Award, o espetáculo inspirado em um caso real de pedofilia, traz o reencontro de um homem e uma mulher que viveram caso polêmico quando ela tinha 12 anos e ele 41. Agora eles estão cara a cara para um acerto de contas. Um drama que discute as consequências, em longo prazo, do abuso sexual, o amor entre pessoas de idades diferentes, os instintos sexuais versus os padrões éticos e morais que temos em nossa sociedade.

HISTÓRICO DE SUCESSO:

4 anos em cartaz, 5 temporadas, sucesso de público e crítica, foi destaque no Festival de Curitiba/2017, entre as peças que tiveram maior público, com todas as sessões esgotadas, classificada em 3 estrelas pela Veja Rio e uma das 10 melhores peças em cartaz, 4 indicações ao Prêmio Botequim Cultural nas categorias: Melhor espetáculo, ator, atriz e diretor, indicação ao Prêmio Shell na categoria Música, 1 indicação ao Prêmio Questão de Crítica na categoria Trilha Sonora Original, um dos 21 espetáculos mais populares do Site Teatro em Cena, classificada pelo site Conexão Mundo, entre os 5 espetáculos imperdíveis no Rio, listada entre os melhores espetáculos de 2014, no RJ, pelo Crítico Gilberto Bartholo.

PARA ONDE IR, adaptação e atuação de Yashar Zambuzzi

FICHA TÉCNICA:
Texto: Fiódor Dostoievski e Arthur Rimbaud, em homenagem a Bertolt Brecht
Adaptação e atuação: Yashar Zambuzzi
Direção: Viviani Rayes
Às quartas e quintas, 19h, de 05 de outubro até 09 de novembro
A apresentação do dia 02 de novembro terá intérprete de libras e audiodescrição.
Duração: 50 min
Gênero: Drama
Classificação: 14 anos
Preço R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia)
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 - 0259

Link de video: https://www.youtube.com/watch?v=aAX-0YoG3cA&t=22s






Monólogo é construído a partir do personagem Marmieládov, do romance Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski e de Uma temporada no inferno, de Arthur Rimbaud, em homenagem a poesia crítica do jovem poeta Bertolt Brecht, a montagem marcou a estreia, com o pé direito, da atriz e produtora Viviani Rayes na direção e traz Yashar Zambuzzi no papel de Marmieládov. Estreou em fevereiro, com excelentes críticas e sucesso de público. Realizou três temporadas e sucesso. O espetáculo se passa numa taberna, onde o público é como se fossem os fregueses dessa taberna. Traz um diferencial ao colocar público parcialmente no palco, além da plateia. PARA ONDE IR apresenta um tema de grande relevância social, ao trazer para à cena um personagem que após perder seu emprego, entrega-se ao vício do álcool.




__________________________________


Consertam-se Imóveis”

De Keli Freitas e direção de Cynthia Reis.

A montagem destacou-se entre os melhores espetáculos de 2015, retorna ao palco do Espaço Furnas Cultural para curtíssima temporada com apresentações gratuitas nos dias 23, 24, 30/09 e 01/10.

Após estrear no Espaço Sesc – Sala Multiuso, em abril de 2015, numa bem-sucedida temporada, o espetáculo “Consertam-se Imóveis” chamou a atenção da crítica entrando para a lista dos melhores espetáculos apresentados no 1º semestre do ano. Com ingressos esgotados em todas as sessões, recebeu atenção dos principais veículos de comunicação carioca e críticas positivas em todos os aspectos da montagem. Em seguida fez temporadas no Teatro Glauce Rocha, Sede das Cias e Teatro Poeirinha, além de circulação por unidades do Sesc Rio de Janeiro.

A peça é fruto do reencontro artístico de Cynthia Reis, Eduardo Cravo, Jarbas Albuquerque, Raquel Alvarenga e Suzana Nascimento e do desejo de continuidade do trabalho iniciado com a primeira peça que os reuniu, “O que você gostaria que ficasse” criada no Brecha Coletivo, sob a concepção e direção de Miguel Thiré, em 2012.

O grupo propõe uma circularidade de funções, ampliando o desenvolvimento de uma linguagem estética, ficando a cargo de Cynthia Reis a direção, também idealizadora do projeto, e faz um mergulho inspirador no universo de Julio Cortázar.

Mais propriamente a partir do conto "A Saúde dos Doentes", do Cortázar, o texto de Keli Freitas flerta com o estranho e com o fantástico (muito presentes na obra do autor argentino). Aproxima do cotidiano reflexões de ordens social, humana e filosófica, investiga os paradoxos nas relações humanas e seus artifícios a partir do poder que a palavra tem de remodelar a verdade, desestabilizando assim os lugares comuns da verdade e da mentira; da realidade concreta e da realidade construída. Traz à superfície farto material para a análise das contradições verificáveis num universo pertencente a todos: o sistema familiar.

SINOPSE

“Consertam-se Imóveis” conta a história de uma família cuja trama é firmemente entrelaçada, figurando no centro um nó fundamental: a mãe, idosa e enferma. Ao se verem diante de situações inesperadas e de um iminente colapso, todos os seus membros se articulam em desdobrados esforços para poupar a matriarca de sobressaltos que podem ser fatais. Com relativo êxito, este controle dura até que alguns acontecimentos escapam novamente do roteiro inicial, obrigando-os a investir toda a energia em empreender novas mudanças justamente para que nada mais mude.




FICHA TÉCNICA

Idealização e direção: Cynthia Reis
Texto: Keli Freitas
Elenco: Eduardo Cravo, Jarbas Albuquerque, Raquel Alvarenga, Suzana Nascimento.
Músico: Federico Puppi
Stand in: Rosanna Viegas e Kakau Berredo
Cenário: Lorena Lima
Figurino: Bruno Perlatto
Iluminação: Paulo Cesar Medeiros
Montagem e operação de luz: Thiago Monte
Composição e direção musical: Federico Puppi
Operação de som: Mikael Oliveira
Orientação filosófica: Alexandre Mendonça
Fotografia: Guga Millet e Chico Lima
Projeto gráfico: Raquel Alvarenga
Assessoria de imprensa: Duetto Comunicação - Alessandra Costa e Michele Toledo
Assistência de produção: Mar Ferreira
Direção de produção: André Roman
Coordenação de projeto: Sheyla Santanna
Realização: Arete Arte e Transformação


SERVIÇO:

Dias: 23, 24, 30/09 e 01/10 – sábados às 20h e domingos às 19h.

Entrada Franca: Distribuição de senhas 1 hora antes do começo do espetáculo

Lotação: 170 lugares

Gênero: Comédia dramática

Classificação: 14 anos

Duração: 70 minutos

Espaço Furnas Cultural: Rua Real Grandeza, 219 - Botafogo - Rio de Janeiro, RJ

Contato: E-mail: espacofurnascultural@furnas.com.br​
Tel: 2528-5166 (segunda a sexta, das 9h às 17h).

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj 




_______________________________________


O COLEÇÕES LÍQUIDAS CHEGA AO PARQUE DAS RUÍNAS EM OUTUBRO! 

A peça Coleções Líquidas é fruto de um projeto de pesquisa sobre a formação de gênero na sociedade brasileira com enfoque nas mulheres como grupo oprimido. A partir da estética do Teatro Documentário, a peça traça uma narrativa incisiva sobre a violência contra a mulher permeada pelos relatos compartilhados na campanha criada pela ONG Think Olga - “#meuprimeiroassédio”, na qual milhares de mulheres denunciaram abusos sofridos desde a infância. Mesclando relatos reais, textos ficcionais, performance e vídeo-arte, a peça Coleções Líquidas se apresenta como campo de diálogo para ampliar o debate gerado pelo movimento feminista em uma perspectiva artística e politizada.

ENTRADA
Inteira R$30
Meia R$15
Lista Amiga R$20

FICHA TÉCNICA

Concepção e Direção: Manuela Moog

Co-Direção: Lucas Pinho

Atores:
Ana Luiza Lamoglia
Lucas Pinho
Gizelly de Paula
Natália Balbino
Nicole Torrez

Realização: Grupo L.A.C

Iluminação: Renato Machado
Assistente de iluminação: Rodrigo Maciel
Operação de Luz: Abilio Sanz

Direção Musical e músicas originais: Fábio Gesteira

Instalação audiovisual: Maria Clara Contrucci
Design: Taiane Brito

Contra-regra:
Guilhermina Libanio

Assistentes de produção:
Jhon Jhon Oliveira
Diogo Olissil
Classificação etária: 16 anos.

Agenda Cultural RJ -Produção,  Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram



______________

Pareidolia – depois do fim

No dia 6,quarta-feira, haverá sessão extra, às16h

Gestopatas apresentam

Pareidolia – depois do fim

Um espetáculo multilinguagens

Após sucesso da temporada de estreia do infanto-juvenil Paco e o Tempo, no Centro Cultural da Justiça Federal, o Grupo Gestopatas retorna ao palco do mesmo espaço cultural, dessa vez para lançar o espetáculo adulto Pareidolia – depois do fim, que ficará até o dia de 14 de Setembro

Pareidolia – depois do fim mescla linguagens das Formas Animadas, do Teatro Gestual, da Dança e da Percussão para abordar um contexto pós-apocalíptico do mundo, no qual habitam apenas seres “mutantes” e restos de objetos que insistem em se recriar para que a vida se perpetue, ainda que em contextos áridos e muito pouco propícios. A peça estrrou no dia 23 de agosto no Centro Cultural da Justiça Federal com sessões as quartas e quintas, às 19h.

Quatro intérpretes – atores, músicos e bailarinos – levam à cena máscaras teatrais e bonecos formados a partir da junção de objetos de uso cotidiano, elementos que “restaram” dentro do contexto abordado, e que são ressignificados durante da encenação. A direção é de Cecilia Ripoll, também responsável pelas montagem e dramaturgia de Paco e o Tempo.

Ao longo do espetáculo, os intérpretes também exploram a união de corpos de modo a sugerir a formação de rostos gigantes, fazendo jus ao título do trabalho. Vale explicar que “pareidolia” é um fenômeno psicológico conhecido por fazer as pessoas reconhecerem imagens de rostos humanos ou animais em objetos, sombras, formações de luzes e em qualquer outro estímulo visual aleatório.

O trabalho alia refinamento de pesquisa de linguagem com comunicação direta com seu público, seja através do humor, seja através de seu forte apelo imagético.

Pareidolia – depois do fim é resultante de uma pesquisa iniciada em 2014, tendo como foco principal o desenvolvimento da linguagem das Formas Animadas, especialidade do Grupo Gestopatas, que lhe rendeu Indicação ao III Prêmio CBTIJ nessa categoria, em seu mais recente trabalho, Paco e o Tempo.

O espetáculo já realizou diversas apresentações “work in progress”, tendo inclusive recebido o Prêmio Viva o Talento! (Prefeitura do Rio) para uma das edições de mostra do processo no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro. Agora o trabalho tem sua estreia oficial marcada para o dia 17 de agosto, em temporada com nove apresentações.

Sinopse

Quatro intérpretes criadores mesclam as linguagens da manipulação de formas animadas, do teatro gestual, e da percussão corporal para dar vida, em cena, a máscaras e bonecos - construídos a partir de objetos de uso cotidiano. Pareidolia- depois do fimaborda um contexto pós-apocalíptico do mundo, no qual habitam apenas seres “mutantes” e restos de objetos que insistem em se recriar para que a vida se perpetue, ainda que em contextos áridos e muito pouco propícios. Direção e dramaturgia de Cecilia Ripoll.


Ficha Técnica
Direção e Dramaturgia: Cecilia Ripoll
Intérpretes criadores: Ademir de Souza, Jan Macedo, Julia Pastore e Tania Gollnick
Cenário: Ademir de Souza e Cecilia Ripoll
Figurinos: Tania Gollnick
Direção Musical: Ademir de Souza e Julia Pastore
Desenho de Luz: Pedro Struchiner
Máscaras e Bonecos: Ademir de Souza
Assistência de Direção: Aline Sampin
Comunicação Visual: Bruna Franco e Daniel Reis
Assessoria de Imprensa: Sheila Gomes
Assistência de Produção: Renata Batista
Produção: André Roman
Idealização: Grupo Gestopatas
Realização: Grupo Gestopatas e AR Produções

Serviço

Tempo de Duração: 55 minutos
Classificação etária: 12 anos
Local: Centro Cultural da Justiça Federal (Cinelândia)
De 23 de Agosto a 14 de Setembro
No dia 6,quarta-feira, haverá sessão extra, às16h
Quartas e quintas-feiras, às 19h
Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)


Palavras de quem já assistiu as edições “work in progress”...

“O trabalho de linguagem dos Gestopatas é algo para ser visto e apoiado. A paixão com que eles se entregam, as formas e os sons que conseguem extrair de seus corpos são surpreendentes e inovadores. Tudo com muito humor, lirismo e fantasia. Vida longa aos Gestopatas!”

- Marcio Trigo (Diretor de teatro/ televisão/cinema e escritor)

“ Neste mundo que está pra lá de “indigesto” podemos encontrar ainda nobreza, em quem se dedica e nos provoca e emociona no seu mais puro “gesto” – Gestopatas: Um arraso!”

- Marcio Tinoco (Músico, Maestro e Compositor)

“Os Gestopatas oferecem, na sua generosidade de artistas, o alarme e o colete salva-vidas: há um apocalipse no presente, mas há um presente no apocalipse, e este presente é a possibilidade de resgatar-nos de nós mesmos. Mas para isso é necessária a mudança e o amor , pois eles nos fazem ver que é possível, em meio ao “azedo de lama”, amar.”

- Rafael Lemos (Escritor, mestrando em Arte pela USP).


Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com
 #agendaculturalrj

  Instagram


___________________________________

SONS DE VERMELHO – Ensaio Aberto – segundas, 18 e 25 de setembro

Inspirado na obra de poesias eróticas “O Livro Vermelho de Maria Vasco”, o espetáculo “Sons de Vermelho” traz à cena a liberdade da mulher pelo gozo em um projeto multidisciplinar que reúne linguagens teatrais, performance e dança. Concebido e dirigido por Pedro Nogh, com co-direção de Hayla Barcellos e Danielle Oliveira, o trabalho não pretende fazer arte panfletária. A busca é pela beleza poética, expressividade e, principalmente, o auto-conhecimento e auto-controle da mulher sobre seu corpo, seus desejos e seu prazer. O elenco é composto por Sophia Dornellas, Danielle Oliveira, Renata Mattos, Maria Augusta Montera, Jana Torres, Bel Machado e Viviane Cataldi. O roteiro da peça é uma criação coletiva do elenco e dos diretores.
SERVIÇO
Sons de Vermelho | Ensaio Aberto 
Dias: 18 e 25 de setembro (segunda-feira)
Horário: 21h
Local: Teatro Solar de Botafogo
Endereço: Rua General Polidoro 180, Botafogo - Rio de Janeiro, RJ –  Tel.: 2543.5411
Ingressos: R$40; R$20 (meia)
Classificação: 14 anos
Casa acessível para cadeirantes

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram



______________________________


Ângela Rebello, Drica Moraes, Lorena da Silva, Luísa Pitta e Solange Badim estreiam “Lifting – Uma comédia Cirúrgica”, em Bangu


Espetáculo faz curtíssima temporada de 2 a 10 de setembro, aos sábados e domingos.


Unidas pelo afeto e alegria do fazer teatral, as atrizes Ângela Rebello, Drica Moraes, Lorena da Silva e Luísa Pitta estão juntas em Lifting – Uma Comédia Cirúrgica, primeira montagem brasileira do elogiado texto escrito pelo espanhol Félix Sabroso. Encenada originalmente em 2013, a peça joga uma lente de aumento sobre uma sociedade adoecida pelo poder da imagem e os padrões inalcançáveis de beleza. Em um caleidoscópio de situações, em esquetes cômicos, as atrizes se multiplicam em papéis de mulheres navegando em um mar de neuroses e loucuras, na incessante busca pela perfeição estética.

O espetáculo faz curtíssima temporada no Theatro Bangu Shopping dias 2, 3, 9 e 10 de setembro, sempre aos sábados às 21h e domingo às 19h.

São figuras femininas em seus espaços pessoais, familiares, profissionais e sociais, sempre às voltas com dilemas na relação com seus corpos. Os temas, universais, geram situações que tratam do humano acima de tudo: a ânsia pela vida, a obsessão pela juventude, o medo da solidão, as carências e mazelas comuns a todos.

Bebendo das fontes do cabaré e do besteirol dos anos 80, a montagem navega pelo universo feminino com humor crítico, sarcasmo, surrealismo e inteligência. Sofisticado em sua comicidade e, ao mesmo tempo, simples e direto em sua comunicação, o espetáculo é um jogo teatral prazeroso, tanto aos que estão no palco quanto aos que estão na plateia.

A esse timaço de atrizes soma-se uma equipe de alta qualidade, com Cesar Augusto, encabeçando, na direção, Marcia Rubim na direção de movimento, Maneco Quinderé na iluminação, Marcelo Olinto nos Figurinos, Marcio Mello no visagismo, Tim Rescala na trilha sonora e música original, Alessandra Reis na direção de produção e Solange Badim como produtora e idealizadora do projeto junto à Angela Rebello, Drica Moraes e Lorena da Silva. Um projeto levantado com energia criativa, coragem, parcerias e muitas gargalhadas!

Lifting pelas atrizes:

ÂNGELA REBELLO "A peça fala de muitas cirurgias plásticas. São várias cenas nas quais quatro mulheres enlouquecidas estão em situações distintas, sempre relacionadas a essa ânsia de ser outra pessoa, de aplacar sua necessidade de juventude eterna e seu medo da solidão."

DRICA MORAES "Direto, divertido, sarcástico e crítico. Uma peça que traz a ideia de que a comunicação é fácil, é rápida, é imediata, prazerosa. É uma ação entre amigos, é um ‘pegar a bola e descer pro play’."

LORENA DA SILVA "São quatro mulheres, quatro atrizes que tem uma visão de mundo. Estamos falando desse mundo atual, do papel da mulher nesse mundo de hoje e essas mulheres estão nessa vida louca, nessa sociedade completamente doente."

LUÍSA PITTA “Lifting é um jogo, uma brincadeira deliciosa entre as atrizes e o público. Com leveza e crítica, nos faz rir das nossas mazelas, dos nossos vícios, rir para jogar luz sobre temas delicados e humanos. È muito bom poder rir de si mesmo.

SOLANGE BADIM "Quatro atrizes, amigas de longa data, que se encontram no bar e o teatro fala mais alto. E elas resolvem, então, que têm que fazer alguma coisa, têm que se juntar, fazer um trabalho, realizar. A peça fala sobre a loucura da aparência, da beleza, do ser interior."

Ficha técnica
Autor: Felix Sabroso
Idealização: Angela Rebello, Drica Moraes, Lorena da Silva e Solange Badim
Tradução: Angela Rebello e Lorena da Silva
Supervisão: Angela Leite Lopes
Adaptação Coletiva
Direção: Cesar Augusto
Elenco: Angela Rebello, Drica Moraes, Lorena da Silva, Luísa Pitta
Cenário: Cesar Augusto
Figurino: Marcelo Olinto
Iluminação: Maneco Quinderé
Trilha Sonora: Tim Rescala
Preparação Corporal : Marcia Rubin
Fotografia: Antonio de Bonis
Visagismo: Marcio Mello
Direção de Produção: Alessandra Reis

SERVIÇO:

LIFTING – UMA COMÉDIA CIRÚRGICA
Theatro Bangu Shopping – Rua Fonseca nº 240 Shopping Bangu, Bangu
Temporada: 2, 3, 9 e 10 de setembro de 2017.
Horário: Sábado às 21h e Domingo às 19h.
Classificação: 14 anos.
Duração: 80 minutos.
Ingresso: R$ 50,00 a R$ 70,00 (plateia) e R$ 40,00 a R$60,00 (balcão).
Capacidade do Teatro: 574 lugares.
Telefone do teatro: 21 2401 3631

Mais informações: https://www.facebook.com/TheatroBanguShopping

Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.

Reservas para grupos: Guilherme Romeu - guilhermeromeu@brainmais.com / (21) 96629 - 0012
Horário de atendimento - De Segunda a Sábado de 14h às 21h.
Acessibilidade: Elevadores, rampas de acesso e assentos especiais
Estacionamento no Bangu Shopping

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com
 #agendaculturalrj

  

____________________________________________________

A Mostra de Teatro “Contrastes”, da Oficina Social de Teatro, continua e, para fechar o mês de agosto, serão apresentados dois grandes clássicos da dramaturgia universal nos dias 30 e 31.

Na quarta, 30, entra em cena o espetáculo “3 X Shakespeare”, uma adaptação de várias obras do grande dramaturgo inglês. Na peça, Shakespeare, em seu processo de criação artística, decide promover um encontro de todos os seus personagens e isso gera um grande conflito interior.

Já no dia 31, será a vez do espetáculo “O avarento”, de Molière. Na história, Harpagon tem uma paixão cega e devastadora pelo dinheiro, que o torna insensível a todos os outros sentimentos humanos. Os seus filhos, Cléante e Elise, estão ambos apaixonados por jovens de famílias modestas e receiam a recusa do seu pai, que apenas pensa em ouro e em bens materiais. Mil artimanhas são postas em prática para que Harpagon abençoe as duas uniões, mas a avareza do velho só é igualada pela sua paranóia, que o leva a desconfiar que todo mundo, os filhos incluídos, o querem roubar. Finalmente, a desgraça acontece: o seu cofre desaparece. Harpagon só encontrará o seu ouro se aceitar os casamentos de amor de Cléante com Marianne e de Elise com Valère.

Os dois espetáculos discutem questões que aos olhos da contemporaneidade revelam-se em seus constrastes. Em “3 X Shakespeare”, o próprio autor põe em questão as personagens que criou e as histórias que, por intermédio delas, busca relatar. O quanto a existência dessas personagens interfere, com suas histórias, a vida de todos nós; como seus dramas podem realmente conflituar com os dramas comuns ao mundo moderno. Nada melhor que o próprio autor ressurgir para pôr em debate a veracidade dos fatos por ele mesmo escritos.

Já em “O avarento”, o que se quer discutir é a relação de ambição que se constitui a partir da posse do dinheiro e a desvalorização do amor e da humanidade quando em confronto com ele. O quanto somos capazes de mudar nossas vidas quando não sabemos lidar com esse bem.

A Mostra de Teatro “Contrastes” acontece no teatro Eduardo Kraichete, em Icaraí.

SERVIÇO

1 - 3x Shakespeare - 30 de Agosto (quarta) às 19h30

Texto, concepção e direção: Aléssio Abdon

Sinopse: Shakespeare em seu processo de criação artística decide promover um grande encontro de todos os seus personagens e isso gera um grande conflito interior. Uma artista e um gênio em busca do seu processo e da compreensão do significado do mundo, da arte.

Classificação: 16 anos


2 - O Avarento - 31 de Agosto (quinta) às 19h30

Texto: Moliére

Direção: Aléssio Abdon

Sinopse: Harpagon tem uma paixão cega e devastadora pelo dinheiro que o torna insensível a todos os outros sentimentos humanos. Os seus filhos, Cléante e Elise, estão ambos apaixonados por jovens de famílias modestas e receiam a recusa do seu pai, que apenas pensa em ouro e em bens materiais. Mil artimanhas são postas em prática para que Harpagon abençoe as duas uniões,mas a avareza do velho só é igualada pela sua paranoia, que o leva a desconfiar que todo mundo, os filhos incluídos, o querem roubar. Finalmente, a desgraça acontece: o seu cofre desaparece. Harpagon só encontrará o seu ouro se aceitar os casamentos de amor de Cléante com Marianne e de Elise com Valère.

Classificação: livre

Ingressos: R$40 (inteira) R$20 (meia) R$15 (lista amiga com elenco e no dia anterior ao espetáculo)

Local: Teatro Eduardo Kraichete - Av. Roberto Silveira, 123 - Icaraí, Niterói.

Informações: (21) 2721-0468

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj 



__________________________________________________

18 e 25 de agosto

Sesc Ramos e Engenho de Dentro recebem espetáculo Sobre Cisnes

Inspirado em “A Morte do Cisne”, solo de dança de Giselda Fernandes dá contornos contemporâneos ao clássico russo de 1905






A bailarina Giselda Fernandes encena nas unidades do Sesc Ramos e Engenho de Dentro, dias 18 e 25/8, respectivamente, o espetáculo Sobre Cisnes, solo de dança inspirado em “A Morte do Cisne”, protagonizado pela célebre bailarina russa Anna Pavlova (1831-1931). Em ambas as unidades as sessões têm início às 19h30, e os ingressos custam entre R$ 5 (associados Sesc) e R$ 20.



Nessa nova e contemporânea montagem, Giselda – que também assina a concepção, a direção e a coreografia do espetáculo – recria o sentido amoroso com que Michael Fokine (1880-1942) coreografou o difícil tema da morte no clássico de 1905. Sobre sapatilhas de ponta, a bailarina dança em meio a cenário e figurino feitos de sacos plásticos, dando novos contornos estéticos e políticos ao espetáculo, promovendo a reflexão sobre poluição e responsabilidade ambiental.



SERVIÇO

Solo de dança “Sobre Cisnes”

Dia 18/8 - Sesc Ramos: R. Teixeira Franco, 38

Informações: (21) 2290-4003

Dia 25/8 – Sesc Engenho de Dentro: Av. Amaro Cavalcanti, 1661

Informações: (21) 3822-4830

Horário: 19h30

Classificação: 12 anos

_______________________________________________________________

A Cia. "Os Encenadores Teatrais'' apresentam os espetáculos
"FEIO É NÃO RIR" e "VENDE-SE UMA ALMA

A Cia. Os Encenadores Teatrais é um grupo teatral formado por brasileiros, integrantes de uma nova geração de artistas criadores. Seus fundadores iniciaram sua atuação nas artes cênicas como atores, tendo posteriormente desenvolvido as funções de produção e direção, visando empreender iniciativas culturais onde as diversas funções da cadeia produtiva das artes possam ser compreendidas e exercidas coletivamente, sendo o único grupo de teatro da Baixada Fluminense, selecionado pelo Edital da FUNARJ para realizar ocupação dos teatros sob administração da Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de no 1º e 2º semestres de 2017.


ESPETÁCULOS

FEIO É NÃO RIR




‘FEIO É NÃO RIR’, é um Stand Up Comedy em que buscamos divertir e provocar a reflexão através de um texto original e construído a partir de observações do dia a dia e do cotidiano.




AGENDA

SETEMBRO 02 19 H
TEATRO SYLVIO MONTEIRO – N. IGUAÇU

FICHA TÉCNICA

TEXTO: Marcos Machado e Hugo de Faria
DIREÇÃO: Rafha Lage
ILUMINAÇÃO E SONORIZAÇÃO: Rafaela Lage
ELENCO: Marcos Machado e Hugo de Faria


VENDE-SE UMA ALMA


‘VENDE-SE UMA ALMA’, é um espetáculo teatral de humor, espiritualidade e reflexão. Faz parte do elenco a atriz Sandra França, integrante do elenco das novelas Mandala, Bebe a Bordo e Quatro por Quatro da Rede Globo de Televisão. Através dos dramas e conflitos vividos por uma mulher solitária, que vê somente como saída para a mediocridade de sua vida a venda de sua alma, procuramos fazer com que o público reflita sobre seu comportamento. Classificação 12 anos.

AGENDA
SETEMBRO 09 e 10
Sáb.19 H
Dom. 18 h TEATRO SYLVIO MONTEIRO – N. IGUAÇU

FICHA TÉCNICA

TEXTO: Luiz Guarnier
DIREÇÃO: Rosa Motta
DIREÇÃO EXECUTIVA: Antonio Martins
PRODUÇÃO: Cia Os Encenadores Teatrais
ILUMINAÇÃO E SONORIZAÇÃO: Rafha Lage
FIGURINOS: Rosa Motta
COSTUREIRA: Gleuza Zanetti
CENÁRIOS: Antonio Martins e Rosa Motta
ELENCO: Sandra Ffrança, Antonio Martins, Ruan Carlos, Leonardo Vieira, Victor Hugo, Denise Tavares e Marcos Machado.

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

_______________________________________________________


Dama in Vitro com sua delicada ironia, vem perguntar: O que é ser mulher?
Dia 12/08


Trazendo o espectador para dentro de sua casa-ventre, a mulher em trapos perambula. Parindo mulheres, arquétipos do feminino, ela caminha dentro e fora da redoma de vidro destinada há séculos a quem não é macho-branco-europeu. A atriz-performer é veículo motivador da presença de mulheres que já foi ou que poderia vir a ser um dia, descortinando os espaços destinados à mulher diante da opressão patriarcal. O trabalho-peça-pedaço foi criado com o objetivo de se infiltrar nos espaços, permitindo que ele dialogue com diferentes realidades espaciais e técnicas.

FICHA TÉCNICA:
Nicolle Longobardi: Atriz-performer
Fernando Porto: Músico e Orientação Cênica
Ambientação: Jamille Almeida e Reinado Dutra
Fernanda Fernandes e Jamille Almeida: Produção
Jamille Almeida: Designer


DAMA IN VITRO
05 e 12 de Agosto, SÁBADOS, às 20h.
CURTA TEMPORADA
Local: Escola Fábrica Oficina Social de Teatro
Rua Saldanha Marinho, 14 - Centro - Niterói
https://www.facebook.com/events/890374721102990/

Ingressos: R$20 e R$10 meia.
Maiores Informações: 21 27210468
_________________________________________________________

Marcus Majella, Pablo Sanábio e Pedroca Monteiro prorrogam temporada da comédia Desesperados

Espetáculo fica em cartaz até o dia 6 de agosto no Theatro Bangu Shopping.


Devido ao grande sucesso em seu primeiro final de semana, a comédia Desesperados prorrogou sua temporada no Theatro Bangu Shopping até o dia 6 de agosto. A peça se apresenta neste sábado e domingo (29 e 30) às 20h e na próxima semana com sessão extra na sexta-feira, dia 4, também às 20h.

O depoimento de Bia é, no mínimo, impactante. Segundo ela, a peça Desesperados, a salvou de uma tentativa de acabar com a própria vida. Ainda que seja exagero de estrela, a moça, nascida da imaginação do autor Fernando Ceylão, garante que veio com tudo para, junto com seus companheiros de cena, fazer a plateia morrer de rir. No total são mais de 40 personagens que se esbarram e ganham vida em diferentes esquetes.

Com uma carpintaria mais do que elaborada, o espetáculo permite, numa única cena, várias trocas de personagens. Para tanto, o autor lançou mão da criatividade e chegou a um recurso de fácil entendimento: tarjas com nomes dos personagens coladas no peito de cada ator, que podem ser trocadas a qualquer momento.

Com a direção do experiente João Fonseca, Desesperados pode ser vista de duas maneiras: como uma divertida peça de esquetes; mas também como uma única peça. Isso porque ao assistir o espetáculo, você vai entendendo que o personagem de um esquete aparece em outros esquetes e, assim vamos acompanhando a trajetória deles. Cada um desses esquetes tem início, meio e fim e poderia ser apresentado isoladamente. Porém, a costura do espetáculo os transforma num quebra cabeças elaborado que resulta em uma trama maior. O texto fala de solidão, de encontros, desencontros e vida no mundo moderno, mas tudo de uma maneira bem divertida.

O elenco conta com Marcos Majella, Pablo Sanábio e Pedroca Monteiro, três atores com longa  trajetória em comédia, o que só pode dar num resultado realmente engraçado.


Ficha Técnica

Concepção e autoria: Fernando Ceylão

Direção: João Fonseca

Elenco: Marcus Majella, Pablo Sanábio e Pedroca Monteiro

Cenário: Daniel de Jesus

Luz: Dani Sanchez

Figurino: Reserva

Trilha Sonora: Carol Portes

Produção Geral: Sandro Chaim

Produtor Executivo: Arthur Monteiro

Fotos de Divulgação: Jorge Bispo

Realização: Gargalho Produções e Chaim Produções


SERVIÇO:

DESESPERADOS

Theatro Bangu Shopping – Rua Fonseca nº 240 Shopping Bangu, Bangu

Temporada: 29 e 30 de julho / 4, 5 e 6 de agosto de 2017.

Horário: Sexta, Sábado e Domingo às 20h.

Classificação: 14 anos.

Duração: 80 minutos.

Ingresso: R$ 80,00 (plateia, frisas e balcão).

Capacidade do Teatro: 574 lugares.

Telefone do teatro: 21 2401 3631

Mais informações: https://www.facebook.com/TheatroBanguShopping

_____________________________

 "A MOVIMENTHU'S CIA DE DANÇA tem o prazer de apresentar seu primeiro espetáculo, "NO BECO DA MALANDRAGEM".



Direção, concepção e coreografia Aline Araújo.

Um convite para visitar o malandro carioca a partir da década de 50, passando pelas nuances poéticas e respectivas características que são refletidas nos corpos dos bailarinos em cena.
Trazemos a lábia, malemolência, elegância, charme, sedução, cavalheirismo e esperteza da vida do malandro, que sobreviveu às dificuldades e se fez crescer dentro de sua comunidade, gravando na história carioca a palavra malandragem. Cariocas conhecidos assim, por sua esperteza e seu modo de levar a vida, sempre tentando dar um jeito de escapar das dificuldades que lhe são impostas, sem perder o sorriso no rosto e a ginga no pé. Falamos desse malandro, que passa pelas vielas sem perder a direção, do malandro que encontra nos becos da vida, a saída... a solução
Direção, concepção e coreografia: Aline Araujo
Assistente de coreografia: Leonardo Moreira
Bailarinos / Intérpretes criadores: Amanda Marcílio, Brenda Lee, Junior Lopes, Leonardo Moreira, Roberto Marçal e Ruana Balduino
Produção: Roberto Marçal e Ruana Balduino.
Cenografia: André Pereira e Lurdinha Flores.
Som cênico e música original: Roberto Marçal.
Desenho de luz: Paixão Dias.Figurinos: Lenilda M. Mallosto e Michelle Teodoro.
Fotos: Camila Serpa.
Assistente de produção: Lindalva Araujo.
Serviço:
Dias: 28, 29 e 30/07 e 04, 05 e 06/08 (sexta a domingo)
Horário: 20h
Valor: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia) e R$ 5,00 (alunos da rede pública de ensino)
Ingressos à venda no site do Ingresso Rápido e na bilheteria do Teatro.
Local: Teatro Armando Gonzaga - Av. Gal. Osvaldo Cordeiro Farias, 511 – Marechal Hermes
Informações: 2332-1040

_________


IMPERATOR – Centro Cultural João Nogueira, apresenta: 
Gomalina Clube canta Noel Rosa 

O Gomalina Clube nasceu da ideia de homenagear a música, reverenciar nossos grandes compositores e 
contemplar os movimentos musicais que serviram de alicerce para o que escutamos hoje. Um resgate dos
múltiplos elementos que construíram uma música tão plural e democrática que se faz respeitada e admirada
em todo mundo.
O primeiro homenageado é o grande compositor da Música Popular Brasileira Noel Rosa que apesar de ter
vivido apenas 26 anos, sendo sete deles dedicados a composição de mais de 250 canções, se figura como um
dos mais importantes compositores de nosso país.


Noel era diferenciado, um cronista do cotidiano, que contava em suas canções um Brasil menino, recém
republicano. De vida boêmia e desregrada, compôs com tanta veemência que ainda hoje há canções que são
praticamente inéditas. Fundamentado nisso, o projeto busca, através de uma pesquisa minuciosa em sua
obra, levar ao público essas relíquias desconhecidas, além dos eternos sambas já consagrados. O cantor do
grupo, Renato Badeco, resume: “Noel foi um carioca de classe média que transitou por todo o Rio de Janeiro
nas décadas de 20 e 30. Cantou as esquinas, os bares, os becos, as mulheres, a urbes, a política, o amor, o
machismo, o carnaval, o morro, os cabarés e a morte... Noel suscitou um modo novo de compor, aliando
melodias geniais à poemas muito bem elaborados”.
O grupo de Cadu Pacheco, Renato Badeco e Rafael Tavares, convidou a diretora Duda Maia para dar vida ao
show em homenagem ao compositor, marcado para 03 de agosto, no Imperator – Centro Cultural João
Nogueira, com apresentação única, às 16h. A novidade deste show é a apresentação de algumas músicas
desconhecidas de Noel (Não resta a menor dúvida e Absurdo), e nova roupagem de algumas composições
(Fita Amarela e Pra que mentir?).
“Cantar Noel é contar a história do Rio de Janeiro em rimas primorosas”,

Cadu Pacheco – Músico e Arranjador do grupo.
O show começou a ser idealizado há dois anos pelos três músicos e amigos, e que à três formaram o grupo
Gomalina Clube. “O grupo foi criado inicialmente para homenagear Noel Rosa, um desejo antigo do Renato,
especialmente. Embarcamos nessa por que nos pareceu uma boa ideia para estarmos juntos, fazer música e
desenvolver um trabalho bonito, feito no capricho”, revela (Rafael Tavares).
Com iluminação de Renato Machado, figurinos de Hugo Leão, show tem a proposta resgatar a obra e, sem
dúvida, resgatar um pedaço da história da música brasileira. Mas a pergunta do grupo e da diretora Duda
Maia é: Quem seria Noel em 2017?

 Ficha técnica:
Direção: Duda Maia
Elenco: Renato Badeco, Cadu Pacheco, Rafael Tavares, Felipe Tauil, Marcos Luz
Direção de Produção: Bruno Mariozz
Figurino: Hugo Leão
Iluminação: Renato Machado
Idealização: Gomalina Clube
Produção: Palavra Z Produções Culturais
SERVIÇO:
Apresentação: 03 de agosto de 2017
Horário: quinta, às 16h
Ingresso: R$ 40,00 - inteira
 R$ 20,00 – estudantes, professores da rede pública, sênior acima de 60 anos
Duração: 50min
Capacidade: 642 lugares
Classificação indicativa: livre
Local: Imperator – Centro Cultural João Nogueira
Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 - Méier
Tel: (21) 2597-3897
http://www.imperator.art.br/
Acesso para portadores de necessidades especiais
_______________________________________________________________


OCUPAÇÃO RIO DIVERSIDADE




Depois de passar por Nova Iorque e São Paulo, reestreia dia 22 de julho, para curta temporada no Teatro Ipanema. Indicado ao Prêmio Shell na categoria Inovação e ao prêmio APTR na categoria Especial, espetáculo reúne expoentes do teatro carioca em quatro peças curtas que celebram a diversidade sexual e de gênero.
Conduzida pela dragqueen Magenta Dawning a OCUPAÇÃO RIO DIVERSIDADE apresenta quatro solos consagrados pela crítica, que acontecem no mesmo dia e horário, um em sequência do outro. São eles: Larissa Bracher, em Genderless – Um Corpo Fora da Lei, de Marcia Zanelatto e direção de Guilherme Leme Garcia; Kelzy Ecard, em Como Deixar de Ser, de Daniela Pereira de Carvalho e direção de Renato Carrera; Thadeu Matos em A Noite em Claro de Joaquim Vicente e direção de Cesar Augusto; Gabriela Carneiro da Cunha em Flor Carnívora de Jô Bilac e direção de Ivan Sugahara.


As quatro peças

Texto de Marcia Zanelatto com direção Guilherme Leme Garcia, com Larissa Bracher, Genderless – Um Corpo Fora da Lei é inspirado na história real de Norrie May-Welby que, em 2010, depois de travar uma luta contra o Estado da Austrália, se tornou a primeira pessoa do mundo a ser reconhecida como "sem gênero específico" (genderless). A partir do fato, a peça reflete poeticamente sobre os gêneros masculino e feminino e os conflitos entre as identidades sexuais e as estruturas sociais.
Como Deixar de Ser tem texto de Daniela Pereira de Carvalho e direção de Renato Carrera. Na montagem, uma mulher de meia idade, interpretada por Kelzy Ecard, está presa dentro de um "armário-sala", herança da mãe, simbolizando sua prisão interna. Durante 20 minutos de exasperação, ela divide com a plateia o peso de não ter a coragem de assumir quem é verdadeiramente, revelando seus pensamentos e desejos mais profundos.
Já o texto de Joaquim Vicente A Noite em Claro tem direção de Cesar Augusto em solo de Thadeu Matos. O autor lembra que ainda estava sob o impacto do assassinato do diretor teatral Luiz Antonio Martinez Correa nos anos 1980 quando, numa manhã, um amigo e escritor famoso, chegou pouco antes de amanhecer à sua casa e contou que tinha passado “a noite em claro” com um assassino que talvez fosse o mesmo procurado pela morte de Luiz Antonio. O contundente e verídico relato foi transformado em peça.



A última peça da noite, de Jô Bilac, com direção de Ivan Sugahara e solo de Gabriela Carneiro da Cunha, é Flor Carnívora. Em plenária, a flor carnívora afirma o hermafroditismo das plantas, sua indefinição de gênero, sua intersexualidade, e protesta contra a colonização organizadora do homem, que procura catalogar e normatizar o que a natureza criou diverso. Um ato de liberdade por um mundo menos transgênico e mais transgênero.
Idealização e Direção Geral: Marcia Zanelatto
Elenco:
Bruno Henriquez, Gabriela Carneiro da Cunha, Kelzy Ecard, Larissa Bracher e Thadeu Matos
Direção: César Augusto, Guilherme Leme Garcia, Ivan Sugahara e Renato Carrera
Cenários e Design Gráfico: Daniel de Jesus
Iluminação: Daniela Sanchez e Tiago Mantovani
Design de Som para a peça “Genderless”: Marcello H.
Visagismo: Márcio Mello
Cenotécnico: Renato
Contrarregragem: Renato Barreto e Cristiane Murilo
Técnico de Luz: Anderson Peixoto
Fotos: Elisa Mendes e Juliana Chalita
Vídeo: Diogo Fujimura
Edição de Vídeo: Raquel Diniz
Mídias Sociais: Marina Rattes
Assistente de Produção: Glauco Deris
Produção Executiva: Pedro Uchoa
Direção de Produção: Juliana Mattar
Realização: Transa Arte e Conteúdo


22 de julho a 14 de agosto
Sábados às 21, domingos e segundas às 20h
R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)
Duração: 100 minutos
Classificação indicativa: 18 anos
Teatro Ipanema


Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram



__________________________________________________________________

A BARCA

Estréia em Julho no Rio de Janeiro, o espetáculo "A Barca".
Depois de uma temporada de dois meses em Curitiba, a comédia que já é sucesso de publico agora desembarca em um dos teatros mais tradicionais do Rio de Janeiro, o Teatro Princesa Isabel no Leme.
"A Barca" tem origem num do mais primorosos clássicos do criador do teatro em língua portuguesa Gil Vicente. Trata-se da comédia medieval "Auto da Barca do Inferno", representada pela primeira vez no ano de 1531. Agora corajosamente assumimos uma escrita cênica embasada nos conceitos contemporâneos de ciência, filosofia e religião, discutindo as idéias tradicionais da morte, do paraíso, e do inferno, dando vida nova ao texto original ao revisá-lo e questioná-lo a partir do Diabo, seu protagonista.


Serviço

Data:
De 19/07 até 23/07

Horários:
Quarta a Sábado 20h
Domingo 19h

Local: Av. Princesa Isabel, 186 - Leme - Rio de Janeiro - RJ

Ingressos:
R$ 40 Inteira / R$ 20 Meia

Venda de ingressos: a partir de 26 de Julho.
Teatro Princesa Isabel - (21) 2275-3646
- SBEE - Av.. Nossa Senhora de Copacabana, 1102 CS1 ( Seg a Sex das 9h às 12h / 13h as 15h) - Célia
- Espaço Cultural Falec - Rua Mateus Leme, 990 (Seg a Sex das 14h ás 17:30)
___________________________________________________________

Espetaculo "LERÉIAS"




De 7 a 30 de julho está em cartaz, sempre de sexta a domingo às 19h, no SESC Tijuca a peça LERÉIAS - Histórias Contadas por Eles Mesmos, com contos de Valdomiro Silveira adaptados e dirigidos por Caio de Andrade. No palco, está o ator Jandir Ferrari acompanhado de perto pela trilha sonora composta pelo instrumentista e diretor musical Antônio Porto, emoldurados pela luz de Adriana Ortiz.

Os quatro contos colhidos do livro LERÉIAS, editado em 1945, revelam a genialidade de Valdomiro Silveira, que nasceu em Cachoeira Paulista, em 1873, e tornou-se um grande nome da literatura nacional vinculada ao estudo do regionalismo paulista, ao lado de nomes de peso como Monteiro Lobato e Cornélio Pires. É reverenciado por Guimarães Rosa que não existiria Guimarães Rosa".

Os contos Pedaço de Cumbersa, Força Escondida, Na Folha-Larga e Do Pala Aberto são histórias aparentemente confinadas ao universo regionalista que resultam numa literatura cosmopolita, repleta de elementos inusitados. O espetáculo recria uma atmosfera intimista, interiorana, para contar histórias fortes e surpreendentes.

Ficha Técnica: Textos - Valdomiro Silveira / Direção – Caio de Andrade / Iluminação – Adriana Ortiz / Cenário – Polyana Zappa / Figurino – Karine Andrade / Design Gráfico – Juliana Vinagre / Produção Executiva – Jandir Ferrari + Caio de Andrade + Adriana Ortiz - Produtores Associados – D5 Produções Artísticas e Palco da História Produções

Créditos Fotos: Michell Albuquerque (Alis Mídia)
  Instagram


_______________________________________________________________

Gustavo Mendes apresenta espetáculo “Atrevido” no Theatro Net Rio
Humorista sucesso na internet estará em Copacabana dias 17 e 18 de julho, às 21h.
Gustavo Mendes tem mais de 20 milhões de visualizações no youtube, sua interpretação da presidenta Dilma se transformou num fenômeno nas redes sociais. Gustavo fará duas apresentações dias 17 e 18 de julho no Theatro Net Rio com seu mais novo trabalho “Atrevido”. Gustavo atua nos palcos e na tv além de ser muito influente no Youtube.

"Gustavo Mendes ATREVIDO", mostra um artista mais maduro, com uma carreira solidificada e muitas histórias para contar. Gustavo tem muita experiência nos palcos e sabe deixar a plateia a vontade. Pode-se dizer que em ATREVIDO, ele quase se assume como um missionário da comédia, interagindo com personagens que por meio de um telão interferem no show, e com o público com muita intensidade. O show tem isso, às vezes lembra um culto religioso.

Além dos personagens icônicos, Gustavo também vai interagir com outras entidades mais diretamente presentes na sua vida: sua mãe, seu analista, alguns dos seus amores, e pessoas comuns que querem saber da sua vida, dar dicas e sugerir caminhos.
Aliás, intensidade é a marca desse novo trabalho. Vamos ver um Gustavo que já conhece os atalhos do palco, que sabe a hora de gritar e a hora do silêncio. Mas que ninguém pense que faltarão os elementos que cativaram uma legião de fãs por todo o país: tem Dilma? Sim. Tem música? Muita música. Imitações? Claro! Porém, tudo num novo ambiente, autoral, com uma nova cara e principalmente, uma nova alma.  Gustavo Mendes cresceu e está mais ATREVIDO do que nunca.

O show tem a parceria de textos com Gueminho Bernardes, o autor dos vídeos da Dilma no Parafernalha e do canal de Gustavo.
SERVIÇO:

GUSTAVO MENDES
Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana. (Shopping Cidade Copacabana).
Horário: 21h.
Data: 17 e 18 de julho.
Classificação: 14 anos.
Duração: 80 minutos.
Ingresso: R$ 80,00 (plateia e frisas) R$ 60,00 (balcão).
Direito à meia entrada e descontos :  http://www.theatronetrio.com.br/pt-br/bilheteria.html
Capacidade do Teatro: 622 lugares.
Telefone do teatro: 21 2147 8060 / 2148 8060

Site: www.theatronetrio.com.br

Vendas pela internet:  www.ingressorapido.com.br ou pelo aplicativo do Ingresso Rápido.
Vendas pelo telefone: Informações e compra Ingresso Rápido - (11) 4003 - 1212
Atendimento pós venda Ingresso Rápido - (11) 4003 - 2051
Informações sobre ponto de venda da Ingresso Rápido de outros eventos fora do Theatro Net Rio, somente pelo telefone - (11) 4003 - 1212
Horário de funcionamento - Todos os dias das 10h às 18h.
Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.
Reservas para grupos: Beatriz Barcelos - beatrizbarcelos@brainmais.com
Somente pelo telefone: (21) 96629 - 0012
Horário de atendimento - De Segunda a Sábado de 14h às 21h.
Formas de pagamento: Aceitamos todos os cartões de crédito, débito, vale cultura nas bandeiras (Alelo & Ticket) e dinheiro. Não aceitamos cheques.
Acessibilidade
Estacionamento no Shopping, entrada pela Rua Figueiredo

_______________________________________________________________________

DIÁRIO

O espetáculo “Diário” é uma adaptação livre do conto O Diário de um Louco, do escritor russo Nicolai Gogol, que traz ao público uma reflexão sobre a loucura abordando conceitos e situações baseadas em fatos reais aproximando o espectador da realidade de um doente mental, repensando assim, a situação do mesmo como cidadão. 

Mostra-se o extremo entre a lucidez e os nossos delírios através das situações que a nossa personagem está inserida. O ser humano é colocado em questão. Através de uma personagem esquizofrênica tenta-se externar o que há de mais profundo em cada um, o que há escondido e que deve ser exposto e qual o nosso limite para ultrapassar a sanidade que a sociedade nos impõe.

Serviço
Diário
Dia: 21 de julho Horário: 19h
Ingresso: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)
Lista amiga: R$ 10,00 reais (enviar e-mail com o(s) nome(s) para ciablacktie@gmail.com)
Local: Teatro Municipal Ziembinski.
Rua Heitor Beltrão, s/n˚ - Tijuca. (Em frente à estação do metrô São Francisco Xavier)
Faixa Etária: 12 anos
Realização: Cia Black-tie
________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

Tuca Andrada interpreta repertório de canções eternizadas pela voz de Orlando Silva em duas únicas apresentacões do show “Orlando Silva - Nada Além”, dias 24 e 25 de junho, no Espaço Furnas Cultural, com ingressos GRÁTIS. 




Com direção musical de Marcelo Alonso Neves, direção artística de Inez Viana, direção de produção de Claudia Marques e interpretação de Tuca Andrada, o show “Orlando Silva - Nada Além” é composto por 21 músicas marcantes da carreira desse grande cantor brasileiro, entre elas “Carinhoso”, “Atire a primeira pedra”, “Lábios que beijei”, “Sertaneja”, “Aos pés da cruz”, “Abre a janela”, “Nada Além”. No palco, junto com Tuca Andrada estarão cinco músicos convidados. Nos poucos diálogos com a plateia, Tuca fará menção de uma época, da importância de Orlando Silva para a música brasileira, de como influenciou toda uma geração, incluindo Lúcio Alves, Ciro Monteiro, João Gilberto e Caetano Veloso.

– O cara gravou tudo de melhor. Estou contente por prestar essa homenagem e mostrar o Orlando pelos olhos do Tuca. Esse show é uma demonstração de paixão pelo Brasil, de amor pelo nosso país. Em um momento em que estamos precisando muito disso –, diz Tuca Andrada.

– Orlando Silva foi ídolo absoluto de uma época, e que deveria estar até hoje sendo homenageado junto à Frank Sinatra, Billie Holiday e Edith Piaf, só para citar outros gênios nascidos em 1915, mesmo ano que Orlando nasceu –, diz a diretora Inez Viana.

Orlando Silva não é apenas mais um grande cantor brasileiro, ele é um divisor de águas dentro da MPB. Perdeu o pai cedo, vitimado pela gripe espanhola e logo teve que começar a trabalhar para o sustento da família. Já nessa época era conhecido pelos vizinhos e amigos por sua voz ímpar e sempre foi incentivado a tentar a carreira no rádio. Foi descoberto pelo compositor Bororó, nos corredores da Radio Cajuti, que imediatamente o apresentou a Francisco Alves que impressionado com a sua voz resolveu lança-lo. Foi sucesso imediato e a cada canção lançada na sua voz seu prestígio aumentava. Era uma mistura de Francisco Alves e Silvio Caldas, os dois grandes nomes da época, mas imprimia um estilo próprio que encantava as plateias. É reconhecido não só como um excelente cantor, mas como um criador dentro da musica brasileira. Todas as gerações de cantores depois dele foram influenciadas pelo seu canto e por sua força interpretativa. Orlando Silva influenciou artistas como João Gilberto e Caetano Veloso e se pode encontrar ecos de sua arte até hoje em dia.

– No show não se conta a história do Orlando, se canta. É quase um 'Orlando por Tuca' onde seus maiores sucessos serão revisitados, junto à músicos de primeira linha. Nossa intenção é que as pessoas saiam deste show emocionadas e felizes, por relembrarem ou até mesmo conhecerem os sucessos de Orlando Silva na voz de Tuca Andrada –, comenta Inez Viana.

Lançado em março de 2016 o show “Orlando Silva - Nada Além” já foi apresentado em várias localidades do Rio de Janeiro e São Paulo.

– Talvez, após seus 100 anos de nascimento estejamos mais próximos do que seria uma apresentação do Orlando Silva –, declara o diretor musical Marcelo Alonso Neves.

Roteiro musical do show “Orlando Silva - Nada Além”

Pour Vous Madame - Erastótenes Frasão e Cristóvão de Alencar
Cidade Brinquedo - Silvino Neto e Plínio Bretas
A Jardineira - Benedito Lacerda e Humberto Porto
Abre a Janela - Arlindo Marques Junior e Roberto Roberti
Preconceito - Marino Pinto e Wilson Batista
Curare - Bororó
Sertaneja - Rene Bitencourt
Magoas de caboclo - J. Cascata e Leonel Azevedo
Lábios que beijei - J. Cascata e Leonel Azevedo
Carinhoso - João de Barro e Pixinguinha
Súplica - Deo, Jose Marcilio e Otavio Gabus Mendes
Nada Além - Custódio Mesquita e Mário Lago
Meu consolo é você - Nassara e Roberto Martins
Rosa - Otavio de Souza e Pixinguinha
Dama do Cabaré - Noel Rosa
Errei Erramos - Ataulfo Alves
Aos pés da cruz - Marino Pinto e Zé da Zilda
Atire a primeira Pedra - Ataulfo Alves e Mario Lago
Alegria - Assis Valente e Durval Maia
Céu Moreno - Uriel Lourival
Nada Além - Custódio Mesquita e Mario Lago

Vídeo do show (4’:31”): https://vimeo.com/160681326/bbf243cc6c
Teaser do show (3’:54”): https://vimeo.com/161041588/51974cdbe1

Ficha Técnica

Show “Orlando Silva - Nada Além”
Intérprete: Tuca Andrada
Direção Musical: Marcelo Alonso Neves
Direção Artística: Inez Viana
Direção de Produção: Claudia Marques
Roteiro: Fabrício Branco
Músicos: Berval Moraes (contra baixo), Caio Cezar Sitonio (violão), Cassius Theperson (bateria), Priscila Azevedo (piano e acordeon) e Rodrigo Revelles (sax alto e flautas)
Direção de Arte: Claudia Marques
Iluminação: Elisa Tandeta
Assessoria de Imprensa: Ney Motta
Realização: Fábrica de Eventos

Serviço

Show “Orlando Silva - Nada Além”
Local: Espaço Furnas Cultural. Rua Real Grandeza, 219, Botafogo (tel. 2528-5166)
Únicas apresentações: 24 e 25 de junho, sábado às 20h e domingo às 19h.
Ingressos: GRÁTIS, com distribuição na bilheteria 1 hora antes.
Capacidade de público: 170 lugares
Duração: 70 minutos
Classificação: Livre

_________________________________________________________________________
______________________________________________________

Apoio: Agenda Cultural RJ
 Divulgue o seu evento com a gente! Serviço de Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes, Distribuição de Filipetas e Divulgação de Mídia Online. Solicite um orçamento! Contato: Gabriele Nery contato@agendaculturalrj.com.brApoio: Agenda Cultural RJ 
Divulgue o seu evento com a gente! 
Serviço de Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes, Distribuição de Filipetas e Divulgação de Mídia Online. 
Serviços: 
- Divulgação e Distribuição de Filipetas em pontos Estratégicos 
- Colagem de Cartazes. 
- Divulgação de Mídia Online. 
Solicite um orçamento! 
Divulgamos: Peças de Teatro (Adulto e Infantil). Shows / Festas / Cursos / Festivais / Exposições Bares e Restaurantes. 
Toda a Divulgação é registrada em fotos! 
Elaboramos um Roteiro de Divulgação estratégico, para atingir o seu público alvo. 
Incluindo: Bares e Restaurantes mais badalados do Rio de Janeiro, Livrarias, Cinemas, Teatros, Universidades, Shoppings, Cafés, Orla e Praias de Copacabana, Ipanema, Leblon... 
Contato:
Gabriele Nery 
contato@agendaculturalrj.com.br
agendaculturalrj@gmail.com

 #agendaculturalrj
_____________________________

_____________________________________________________________

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs