Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Arte e Cultura

Agenda Cultural RJ
Divulgação de Eventos Culturais

•Prestamos serviços de colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas em pontos estratégicos. 

•Divulgação de mídia Online. 

Roteiro de Divulgação estrategicamente elaborado para atingir seu público-alvo. ( livrarias, Cafés, centros culturais, universidades, restaurantes, teatros, escolas de música, dança, cinema, teatro...)

Temos uma equipe qualificada para divulgar seu evento, não só colar cartazes e distribuir filipetas. 

Relatório completo COM FOTOS, entregue durante o andamento da divulgação. 
_______________________________________

Divulgação em pontos fixos(Zona sul e Centro).

Colagem e Distribuição de Material:

-FILIPETAS
-CARTAZES 
_________________________________________

Divulgação de Mídia Online:
•Blog Agenda Cultural RJ 
•Facebook – Página 
•Facebook – Grupos 
•Twitter, Google + e outros. 
•Overmundo, entre outros sites ligados a cultura e entretenimento. 

A mais de 10 anos anos divulgando Exposições, Teatro, Oficina, Palestras, Cursos, Shows e Lançamentos de Livros, por intermédio de produtoras com projetos aprovados pela Caixa Cultural , Centro Cultural do Banco do Brasil, Centro Cultural da Justiça Federal, Centro Cultural dos Correios, e Teatros da Zona Sul e Centro do RJ.
_____________________________________
Emitimos NF.
entre em contato, 

Gabriele Nery
Produtora Cultural
(21)996769323 / whatsapp

_____________________________

FILE

Festival Internacional de Linguagem Eletrônica traz a exposição “DISRUPTIVA” ao Rio de Janeiro

Mostra recebeu mais de 300 mil visitantes em Brasília e Belo Horizonte, e agora chega ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) da capital fluminense

DISRUPTIVA se destaca pela ruptura no modo tradicional de apreciação das obras, possibilitando comportamentos inéditos ao público – os visitantes podem tocar, balançar, deitar e interagir com as obras;

A exposição é gratuita e reúne instalações interativas, games e animações internacionais, tudo com classificação indicativa livre;


De 13 de abril a 04 de junho de 2018




Rio de Janeiro, março de 2018 – Você poderá ter a sensação de estar no núcleo de um furacão, ser embalado a vácuo ou até balançar em um mundo de realidade mista – real e virtual. Estas são apenas algumas das experiências que o público do Rio de Janeiro vai vivenciar na exposiçãoDISRUPTIVA, iniciativa do FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica – que acontece gratuitamente no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), de 13 de abril a 04 de junho de 2018.

Com curadoria de Paula Perissinotto e Ricardo Barreto a exposição reúne mais de 120 obras, de instalações totalmente imersivas a videogames e animações. A curadoria de animações é de Raquel Fukuda. O patrocínio é do Banco do Brasil.

"Essa parceria possibilita que o público do CCBB Rio interaja de uma nova forma com a arte. Estamos na era digital, e poder usar os artefatos que a tecnologia oferece para imergir, literalmente, nas obras de arte, é algo curioso e inovador”, comenta Marcelo Fernandes, Gerente Geral do CCBB."

As obras transportam o público para um mundo inédito de novas percepções: Nemo Observatorium, de Lawrence Malstaf (Bélgica), convida o visitante para experimentar a sensação de estar no centro de um furacão. Em um grande cilindro transparente, o participante toma assento em uma cadeira e comanda, por meio de um botão, o sistema do furacão simulado. É uma experiência única para quem está dentro do cilindro, e um espetáculo para quem assiste de fora. Physical Mind, de Teun Vonk (Holanda), convida o visitante a deitar-se entre dois objetos infláveis, que os erguem do chão e os pressionam suavemente, sugerindo a vivência do estado de stress e de alívio.

Artista do Rio de Janeiro integra a exposição

A carioca Celina Portella, que vive e trabalha no Rio de Janeiro, explora as fronteiras da representação virtual com o mundo real na obraVídeo-Boleba, que provoca os visitantes com bolinhas de gude que surgem de um vídeo.

Há ainda obras que abordam a relação entre movimento real e digital; movimento físico e sonoro. Em Swing (Alemanha), de Christin Marczinzik e Thi Binh Minh Nguyen, o público senta em um balanço usando óculos 3D, e a intensidade do balançar aciona animações na realidade virtual, as quais levam o visitante para um voo em um mundo de fantasia.

A interatividade também é destaque em nove instalações que sugerem a imersão digital, selfies misturados, a emoção real e virtual. Em KAGE-table, do coletivo japonês plaplax, sombras computadorizadas projetadas numa mesa ganham vida e adquirem movimentos de acordo com a interação do público. Até as sombras dos próprios espectadores, ao serem projetadas na mesa, integram a experiência.

A exposição também oferece a possibilidade de jogar e experimentar trabalhos realizados para plataformas de realidade virtual (VR) com dispositivo ótico. Um dos destaques é Dear Angelica, filme ilustrado à mão que leva o público a navegar entre desenhos numa narrativa espetacular das memórias de uma adolescente. Também chama a atenção Bound, um jogo estético que usa PlayStation 4 e realidade virtual, no qual o visitante controla uma princesa bailarina enquanto ela percorre desconstruindo ambientes surreais e oníricos.

DISRUPTIVA – A arte eletrônica na época disruptiva” traz ao público do Rio de Janeiro, por meio de uma parceria inédita com o CCBB, uma amostra de como os artistas estão produzindo obras no atual contexto, proporcionando a imersão em novas tecnologias, interação com as novas mídias e produções artísticas que dialogam com a vivência compartilhada do mundo contemporâneo.

Sobre o FILE – O FILE é uma iniciativa cultural que viabiliza reflexões sobre as principais questões do universo eletrônico-digital desde o ano 2000, consolidando o Brasil como um dos protagonistas dessas discussões na comunidade internacional. O projeto pioneiro nasceu em São Paulo, capitaneado por Paula Perissinotto e Ricardo Barreto, e já exibiu trabalhos de artistas de 48 países a públicos de todas as idades em Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, São Luís e Vitória. Desde a virada deste milênio, o festival tem conseguido aproximar os mais diversos públicos de obras de arte, debates e pesquisas que utilizam a tecnologia como suporte ou como inspiração. Por meio de uma apurada seleção de encontros, oficinas, exposições coletivas e publicações o FILE fomenta não só o acesso às criações artísticas contemporâneas, mas a produção de criações estéticas a partir de experiências tecnológicas. É considerado o maior evento do gênero na América Latina.
SERVIÇO

FILE – FESTIVAL INTERNACIONAL DE LINGUAGEM ELETRÔNICA
DISRUPTIVA – A arte eletrônica na época disruptiva
Abertura: 13 de abril de 2018
Período da exposição: de 13 de abril a 04 de junho de 2018
Entrada gratuita
CCBB Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Quarta-feira a segunda-feira, das 9h às 21h
Informações: www.bb.com.br/cultura
CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA
Livre
CURADORIA
Ricardo Barreto e Paula Perissinotto
PATROCÍNIO
Banco do Brasil

Agenda Cultural RJ ▪ Gabriele Nery ▪ Produção e Divulgação de Eventos Culturais. Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas em pontos estratégicos. Divulgação de Midia Online. (21)996769323 / whatsapp #agendaculturalrj 

agendaculturalriodejaneiro.blogspot.com

  

__________________


George Iso mostra pinturas abstratas na Galeria Patricia Costa

Depois de seis anos sem expor na cidade, artista apresenta 12 telas de 10 a 28 de abril

Há seis anos sem expor no Rio de Janeiro, George Iso apresenta a exposição Pinturas Abstratas, de 10 a 28 de abril, na Galeria Patricia Costa, em Copacabana. O artista mostra ao público 12 telas em grandes formatos, impregnadas pelas cores e texturas de cidades como Rio, Londres, Barcelona, Paris, Estocolmo e Washington, onde viveu nas últimas décadas.

Para George Iso, seu trabalho é o resultado de uma procura sem fim. Do azul suave e aquoso de Blues and Jazz ao vermelho vibrante deRed Square, ou o cinza de Urban Traps, sua palheta é convocada a acalmar ou provocar os observadores que viajam pelas telas. Sem se afastar do abstracionismo em 30 anos de carreira, o artista considera seu embate cotidiano com a pintura como um ato de amor e resistência cultural.

“Me deparo com o branco da tela e sinto o vazio e o prazer do espaço e da matéria. Ritual que não se repete porque a pintura abstrata foge a todo controle, cada tela tem sua vida própria, camadas de tinta que se sobrepõem criando a contradição da urbanidade, a ilusão do infinito. De parar o relógio ou dobrar uma esquina, ir e voltar. Como numa relação amorosa”, explica o artista, que em 2019 fará mais uma individual na Caféothèque de Paris.

Depois de duas décadas sem publicar, Iso aproveita a noite de abertura da exposição para lançar seu quinto livro, Paris não é uma festa. A obra tem orelha escrita pelo amigo Fernando Gabeira e contracapa de Alan Riding, correspondente do New York Times em Paris por mais de 20 anos. George Iso é autor também de Anti-inefável, Fragmentos no prato, Ironia e Rio-Paris-Stockholm.

Sobre o artista - George Iso nasceu no Rio de Janeiro, em 1948. Começou a pintar em 1968, sob forte influência do Expressionismo abstrato norte americano, quando estava na faculdade de Arquitetura. Desde então, vem se dedicando às artes plásticas com mais de 60 exposições, individuais e coletivas, realizadas em diferentes países.Sua primeira exposição foi em 1984 na Galeria Saramenha, na Gávea.

Nos últimos cinco anos participou de individuais na Picasso Gallery, em Washington, na Beatrix Roads, em Buenos Aires, e na Galerie Evi Gougenheim, em Paris.

Serviço
George Iso – Pinturas Abstratas
Abertura: 10 de abril, às 19h
Local: Galeria Patricia Costa – Av. Atlântica, 4240, loja 226, Copacabana.
Telefone: (21) 2227-6929.
Visitação: De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h. Sábados, das 12h às 18h.
Período da mostra: 11 a 28 de abril de 2018

Agenda Cultural RJ ▪ Gabriele Nery ▪ Produção e Divulgação de Eventos Culturais. Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas em pontos estratégicos. Divulgação de Midia Online. (21)996769323 / whatsapp #agendaculturalrj agendaculturalriodejaneiro.blogspot.com 


_______________________


OI KABUM! LAB APRESENTA
MOSTRA 'INTERFERÊNCIAS', COM
INTERVENÇÕES URBANAS PÚBLICAS E EXPOSIÇÃO

Em janeiro e fevereiro, Oi Kabum! Lab espalha pelo Rio de Janeiro 11 projetos de artistas das periferias que investigam a cidade sob pontos de vista originais

O evento tem patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro



No final deste mês, a cidade do Rio de Janeiro será ocupada por intervenções urbanas de mais de 50 artistas durante a mostra Interferências - Oi Kabum! Lab. De 23 a 27 de janeiro, os cariocas serão surpreendidos em locais como Lapa, Saara, Central do Brasil, Campo de Santana, Barra da Tijuca e Praça XV, por saraus instantâneos, catraca de ônibus que fala sobre política e sobre assuntos cotidianos, filtros d'água poéticos, TVs obsoletas que exibem videografismos com mensagens contundentes, projeções de corpos nus em fachadas de edifícios, entre muitas outras experiências arrebatadoras. 

O resultado das apresentações de rua, materiais utilizados, making of, instalações e performances artísticas farão parte de uma exposição entre os dias 02 e 04 de fevereiro no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, no Centro do Rio. 

Interferências - Oi Kabum! Lab apresenta 11 projetos multilinguagem no campo da arte e tecnologia, que expressam pontos de vista originais de artistas da periferia do Rio de Janeiro. As intervenções mostram peças e temas do nosso cotidiano, que assumem funções inusitadas e inspiram novos olhares. 

“A cidade e o circuito artístico de maior visibilidade têm muito a ganhar em diversidade e inovação ao incorporar as novas produções dessa juventude popular em tempos digitais. O trabalho desses jovens apresenta pontos de vista muito interessantes e originais, que ainda estão em busca de seu espaço.”, diz Fernando Mozart, um dos coordenadores do Oi Kabum! Lab.

“Com o Oi Kabum! Lab, o Oi Futuro ocupa artisticamente espaços públicos do Rio, fortalecendo a interação entre a cidade e seus moradores, ao mesmo tempo que damos visibilidade às ousadas propostas desses jovens artistas”, diz Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro. “Com isso, o instituto completa sua atuação na cadeia produtiva da Cultura, estimulando a formação, a cocriação e a experimentação, fundamentais para a inovação.”

Todas as obras foram desenvolvidas ao longo de 2017 no Laboratório de Intervenções Urbanas LAB.IU, principal projeto artístico do novo Oi Kabum! Lab, fruto de uma parceria entre o Oi Futuro e o Centro de Criação de Imagem Popular (CECIP), que visa a formação artística de ponta de jovens das periferias cariocas. 

Cada vez mais vibrantes, as manifestações culturais das periferias vêm ganhando força demonstrando a potência de suas expressões criativas e transmitindo valores sociais, novas articulações políticas e pontos de vista originais. O novo Oi Kabum! Lab, no Rio, é uma das iniciativas mais ousadas de experimentações tecnológicas numa perspectiva artística desenvolvidas com a juventude popular urbana. Lá, os jovens são acolhidos no LAB.IU para criar e realizar projetos multilinguagem.

"Democratizar a produção artística, oferecendo formação de ponta para jovens criativos e promovendo eventos, encontros e experimentações que reúnam pessoas com diferentes perfis socioeconômicos, pode contribuir no enfrentamento de um dos aspectos da desigualdade social no Rio de Janeiro, simbolizada pela imagem de "cidade partida"- como definiu Zuenir Ventura", completa Fernando Mozart.


OS 11 PROJETOS DA MOSTRA

São mais de 50 jovens divididos em nove coletivos, que apresentam 11 intervenções:
00-IDA (Área de Contato, Modo Avião e Corpus in Caos); Tracatrá, Pórtico, Neurose Urbana, Ruptura, Sonhos da Rua, Água de Beber; Sarau Instantâneo e Realeza Urbana.


00-IDA

Os sujeitos desestruturados pela urbanicidade formam 00-Ida. Três intervenções temporárias interligadas sob o fluxo cotidiano: Área de Contato, Modo Avião e Corpus in Caos. Um convite às experimentações a partir de narrativas políticas e afetivas de percursos extraviados.

Área de Contato - Uso de roupa desenvolvida com sensores que permitem a reprodução de sons particulares, por meio do contato de dois ou mais vestíveis. Tem como proposta sentir a presença do outro através da frequência sonora emitida pela roupa.

Modo Avião - Performance em ciclo a partir de fila formada em espaço público. Os membros da fila usam uma roupa específica e tem um aparelho celular na mão. À sua vez, cada performer deita no chão e levanta ao toque do alarme de seu celular, seguindo para o final da fila.

Corpus in Caos - A ação suscita a reflexão sobre as pressões vividas nos centros urbanos. No espaço público, estruturas de madeira são cobertas com sacos inflados por ventiladores.

Artistas: Gabriel Massan, Juliana Messias, Max Willian Morais, Rafael Moreira, Tauane Luzes


Tracatrá é o barulho da catraca. É a memória e a experiência da passagem, do controle e da restrição. A intervenção sonora consiste na interação do público com uma catraca que emite falas e depoimentos sobre assuntos variados relacionados à política e atualidades. Os passantes ainda podem experimentar gravar um depoimento no microfone aberto, ligado à catraca. A intervenção ocorre no espaço público e propõe repensar as relações sociais, o urbano e o privado. 

Artistas: Bruno Corbelino, João Vitor (Japa), Pedro Carneiro, Rafael Galo, Paulo Ebrom e Luiza Nascimento

Pórtico é sinônimo de portal. O projeto é uma intervenção urbana que propõe o trânsito de pessoas para o outro lado de uma rota urbano-social. Sobreposições de imagens apresentadas no formato de pôster lambe-lambe constroem narrativas e diálogos entre os bairros de Rio das Pedras (fotografias de Adão Paiva) e Barra da Tijuca (fotografias de Amanda Costa e Mateus A. Krustx). A interação é provocada por meio de uma hashtag do Instagram, a localização do Google Maps e uma provocação para pensar sobre portais e fugas. 

Artistas: Amanda Costa e Mateus A. Krustx


Neurose Urbana é uma instalação que utiliza aparelhos de TV analógicos descartados e interfaces digitais para apresentar videografismos, abordando questões sociais através de imagens e palavras. O projeto subverte a utilização comum da tecnologia analógica por meio do processo de modulação digital, que possibilita a alteração do sinal. A montagem da instalação se conforma a cada espaço, configurando uma situação espacial específica dialogando com o meio circundante, seja o ambiente público ou a sala de exposição.

Artistas: Yuri Leal, Rachel Guimarães, Alec Oliveira, Rafael Gino e Gabriel Aguiar


Ruptura é um projeto de intervenção urbana que pensa a galeria na rua, expõe as obras e os artistas, dialogando com a arquitetura de espaços culturais. As imagens de corpo inteiro nu dos artistas participantes, sem órgãos sexuais, trazem questões atuais a respeito do corpo na arte contemporânea e do espaço do artista na sociedade. São imagens em movimento projetadas sobre fachadas de espaços legitimadores de cultura, que abordam o acesso aos aparelhos culturais e sua relação com arte de rua.

Artistas: Adriano Oliveira, Erick Willmer, Pedro Carneiro, Miriã Brasil e Washington Santana


Sonhos da Rua é uma intervenção na qual as pessoas escrevem juntas por meio do lambe lambe e do grafite. A cidade que não dorme, sonha. O projeto procura expressar sonhos de moradores de rua, escutando histórias, caminhando pelas ruas e criando oportunidades de construir empatia. São imagens em lambe-lambes que expressam sonhos de pessoas invisibilizadas pela sociedade e impressos gráficos que emolduram histórias em imagem e texto. Os trabalhos aplicados sobre muros da cidade informam endereços digitais - Instagram e Youtube - onde são apresentados os registros e processos de criação. Duas pontas conectam a intervenção a diferentes públicos: os passantes das ruas da cidade e os usuários das mídias sociais digitais.

Artistas: Jonathan Melo, Igor Izy, Vinícius Campos, Eduardo Oliveira e Erick Willmer


Água de Beber é um convite para pensar sobre o valor e os usos da água potável como recurso vital e bem comum. A intervenção itinera pelas ruas da cidade carregando filtros de barro, plástico, vidro e diferentes moringas. A proposta é distribuir água nas ruas de forma gratuita, instigando a discussão sobre o valor da água, com especial abordagem a respeito de sua apropriação para fins privados. De forma poética, enquanto a água vai sendo oferecida, junto à fonte brotam histórias, memórias e interações de um Rio que não para.

Artistas: Mariane de Oliveira, Iuri Rodrigues, Marianna Motta e Paulo Ebrom


Sarau Instantâneo é uma força aglutinadora que promove a relação entre interesses artísticos variados e a valorização de artistas dos territórios em que a intervenção acontece. Como um show portátil que leva aos espaços públicos som e imagem na performance, por meio do uso de projeção e microfone livre, o Sarau Instantâneo é um ponto de encontro itinerante e aberto à diversidade

Artistas: Fabio Ritter, David Ritter, Paulo Ebrom e Iuri Rodrigues


Realeza Urbana cria estampas que abordam a temática do empoderamento de indivíduos periféricos, pretos, donos de suas escolhas, sua cor. Presente no cotidiano da juventude em qualquer lugar do mundo, a camiseta é utilizada pela Realeza Urbana como outdoor nas praças da cidade, tendo estátuas anônimas como suporte.

Artistas: Dianna da Costa, Jota - Jefferson Cardoso, Matheus Souza e Rafael Oliveira


SOBRE Oi KABUM! LAB – Laboratórios de Cultura Digital

Fruto de uma parceria entre o Oi Futuro e o Centro de Criação de Imagem Popular (CECIP), o Oi Kabum! LAB interage com jovens das periferias cariocas que investigam a cidade em um ambiente de criação e formação multilinguagem no campo da arte e tecnologia.

As áreas de atuação dos laboratórios englobam Arte Digital, Instalações Interativas, Motion, Projeções Mapeadas, Vídeo, Design, Web, Design Sonoro, Animação, Oficina da Palavra, Fotografia, História da Arte e Tecnologia, dentre outras.

Os processos de criação e aprendizagem se desenvolvem por meio de projetos coletivos, da criação de produtos artísticos e culturais, de montagens de exposições e intervenções públicas. 

O Oi Kabum! LAB investe no desenvolvimento integral dos jovens, para a ampliação de autoconhecimento, autonomia, senso crítico, participação social e habilidades e competências artísticas e tecnológicas.


SERVIÇO

INTERVENÇÕES URBANAS


23 de janeiro (terça-feira)Intervenção fixa: Pórtico – Barra da Tijuca e Rio das Pedras - (Metrô Barra e CAIC Euclides da Cunha Rio das Pedras)
14h: Água de Beber – Saara
16h: Realeza Urbana – Estátuas do Campo de Santana, Praça Paris e Passeio Público
20h: Ruptura – Projeção próxima ao Centro Cultural Justiça Federal

24 de janeiro (quarta-feira)Intervenção fixa: Pórtico – Barra da Tijuca e Rio das Pedras
17h: 00-IDA (Área de Contato e Modo Avião) – Central do Brasil
20h: Neurose Urbana – Central do Brasil

25 de janeiro (quinta-feira)Intervenção fixa: Pórtico – Barra da Tijuca e Rio das Pedras
10h: 00-IDA (Corpus in Caos) – Praça XV
14h: Realeza Urbana – Estátuas do Campo de Santana, Praça Paris e Passeio Público
16h: Tracatrá – Praça XV
20h: Ruptura – Projeção próxima ao Centro Cultural Caixa

26 de janeiro (sexta-feira)Intervenção fixa: Pórtico – Barra da Tijuca e Rio das Pedras
13: Sonhos de Rua – Central do Brasil e Campo de Santana
19h: Sarau Instantâneo – Lapa - Beco do Rato
20h: Ruptura – Projeção próxima ao Paço Imperial

27 de janeiro (sábado)Intervenção fixa: Pórtico – Barra da Tijuca e Rio das Pedras

02 de fevereiro (sexta-feira)10h: Água de Beber – Concentração da procissão de Iemanjá na Praça XV


INTERVENÇÕES OI FUTURO FLAMENGO


27 de janeiro (sábado)
17h: 00-IDA (Área de contato, Modo avião e Corpus in caos)
19h: Ruptura


EXPOSIÇÃO INTERFERÊNCIAS OI KABUM! LAB
Centro de Artes Calouste Gulbenkian


02 de fevereiro (sexta-feira)
19h: abertura

03 e 04 de fevereiro (sábado e domingo)
16h às 22h: visitação 

A exposição reúne o conjunto de instalações, performances, vídeos, fotos e os demais materiais criados durante os laboratórios de intervenções urbanas.


ENDEREÇOS

Centro de Artes Calouste Gulbenkian
Rua Benedito Hipólito, 125 - Centro.

Oi Futuro Flamengo
Rua Dois de Dezembro,63 - Flamengo


MÍDIAS

Site: oikabumlab.org.br
Instragram: instagram.com/oikabumlab
Facebook: https://www.facebook.com/oikabumrj


Agenda Cultural RJ 
▪ Gabriele Nery ▪ Produção e Divulgação de Eventos Culturais. Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas em pontos estratégicos. Divulgação de Midia Online. 
(21)996769323 / whatsapp 
 #agendaculturalrj

  Instagram
__________________________________________



Exposição “Abismo”, de José Tannuri, na Tramas Arte Contemporânea (RJ)

A Tramas Arte Contemporânea apresenta ‘Abismo’, nova exposição individual do carioca José Tannuri. O artista volta à galeria, após quatro anos de sua última individual no local (em ‘Urbânico’, 2013), com trabalhos realizados em cores chapadas sobre páginas de jornal e investiga a borda que contorna os abismos, aqueles que construímos.


A série, realizada entre 2016 e 2017 no seu ateliê em Santa Teresa, apresenta trampolins e plataformas projetadas sobre o vazio, além de outras arquiteturas ambivalentes em pinturas sobre jornal, material que Tannuri domina já que é especialista em papel reciclado. 




“Ao menos desde 2003, quando realizou a instalação ‘Muros’, no Centro Cultural Sérgio Porto, o artista aponta criticamente a dominação e o homogêneo. Tannuri manipula o jornal literal e, simbolicamente, suas páginas são como território de países, limites de suas fronteiras físicas, culturais, sociais e econômicas. Se em trabalhos anteriores, como ‘Vazios’ (2005) no Paço Imperial, a arquitetura é transfigurada por volumes monumentais de papelão, aqui os pequenos e médios formatos condensam a imensidão. Espaços aparentemente vazios, pois não há a presença direta do corpo, sinalizam a solidão dos que vivem entre muitos. Na série Abismo, o azul intenso e profundo (patenteado pelo artista francês Yves Klein, que realizou Salto no Vazio, em 1960), ora é fosso ora dissimulada correnteza que abre margens vizinhas às próprias bordas do papel. Cada horizonte é desalinhado por seu próprio abismo", escreve Luiza Interlenghi, curadora da exposição.


Sobre o artista:
Nascido no Rio de Janeiro, José Tannuri fez sua primeira exposição em 1998. Participou de mostras internacionais como a 10a Bienal de Havana e uma individual na Frederico Seve Gallery, em Nova York. Atualmente trabalha com projetos instalativos, performance, fotografia, pintura e desenho sobre jornal. Em seu eixo temático, objetos como arquitetura, cidade, construção de paisagens, abismos e passagens são relevados em seu processo.

Sobre a Tramas Arte Contemporânea:
Desde a sua fundação, em 2009, no bairro de Copacabana (RJ), a Tramas Arte Contemporâneavem atuando na difusão de artistas contemporâneos buscando a valorização de suas diversidades estéticas e conceituais. A galeria tem como objetivo propiciar o diálogo entre artistas e público, acreditando na intensa parceria construída ao longo dos últimos anos entre os mesmos, promovendo assim um espaço de discussão e reflexão da arte contemporânea brasileira. Sua programação norteia-se na pluralidade artística, apontando e incentivando a criatividade e aprofundamento conceitual no que tange as produções artísticas de seus artistas representados. Artistas representados: Evandro Prado, Fernando Ribeiro, Geraldo Melo, Henrique Pontual, José Tannuri, Leonardo Ramadinha, Marcelo Catalano, Osmar Dillon, Renan Cepada, Renato Sant’Ana e Yara Dewachter.

Serviço:
 Exposição ‘Abismo’, de José Tannuri
Terça-feira, dia 21 de novembro de 2017, às 19h.
Encerramento: dia 16 de dezembro de 2017
Curadoria: Luiza Interlenghi

Local:
Tramas Arte Contemporânea
Shopping Cassino Atlântico
Av. Atlântica 4240, Loja 219. Copacabana, Rio de Janeiro

contato@tramasgaleriadearte.com.br| Tel: 55 21 2287-2036

Funcionamento: de segunda à sexta, das 10h às 19h. Sábados, das 12h às 18h.

Entrada gratuita

Links:

https://www.instagram.com/tramasartecontemporanea/
https://www.facebook.com/TramasGaleriaDeArte
https://issuu.com/tramasgaleriadearte
https://www.linkedin.com/in/tramas-arte-contempor%C3%A2nea-b86917141/

Agenda Cultural RJ
 ▪ Gabriele Nery ▪ Produção e Divulgação de Eventos Culturais. Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas em pontos estrategicos. Divulgação de Midia Online.
agendaculturalrj@gmail.com
#agendaculturalrj

  
_


_______________________________


________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - Produção e Promoções de Eventos Culturais agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj

 Instagram



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs