Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

19 de out de 2017

No 19 de outubro, a atração será Maurício Mattar com sua turnê “Mattar conVIDA”, projeto em que o cantor divide os palcos com convidados interpretando canções que fizeram história na Música Popular Brasileira. A participação especial é de Sandra de Sá.



Maurício Mattar recebe Sandra de Sá

na turnê Mattar conVIDA


No 19 de outubro, a atração será Maurício Mattar com sua turnê “Mattar conVIDA”, projeto em que o cantor divide os palcos com convidados interpretando canções que fizeram história na Música Popular Brasileira. A participação especial é de Sandra de Sá. Dia 19, quinta-feira, às 20h, Ingresso: R$ 80 (plateia A), R$ 60 (plateia B) e R$ 40 (lounge).

Num projeto musical encantador, Mattar divide os palcos com ícones inesquecíveis, num repertório com canções que fizeram história na música popular brasileira


Maurício Mattar se lança como cantor e compositor na década de 90. Desde então, totaliza 9 álbuns e mais de 50 canções de sua autoria. Em 2015, lança o DVD comemorativo de 50 anos de vida e 20 de música, quando reúne grandes nomes como Cidade Negra, Alexandre Pires, Paulinho Moska, Elba Ramalho, Jorge Vercillo, Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Milton Nascimento, Toquinho, entre outros, num cenário que transita entre canções e depoimentos sobre o artista.

Para 2017, a apresentação de uma turnê cheia de novidades e nomes aclamados da Música Popular Brasileira, onde dá forma ao projeto Mattar conVida, apresentando junto ao amigo e cantor Thiago Dê, seu parceiro, canções conhecidas de sua carreira e outras que foram trilhas sonoras, conhecidas pelo grande público e recebem nos palcos, individualmente, grandes nomes da MPB, numa festa cheia de surpresas.

Na primeira fase da turnê já receberam convidados como Daniel Gonzaga, Alexandre Pires e Pedro Mariano.

Agora o encontro é com Sandra de Sá, onde reviverão no palco do Rival, grandes sucessos da

música, numa noite de festa da música popular brasileira.

Mais do que espetáculos de música, um encontro entre amigos e o grande público, apresentando toda a multiplicidade de Mattar em sua plenitude.

Serviço: Maurício Mattar Convida
Teatro Rival Petrobras (Rua Álvaro Alvim 33/37 – Cinelândia)
(21) 2240-9796
Dia 19, quinta-feira, às 20h, Ingresso: R$ 80 (plateia A), R$ 60 (plateia B) e R$ 40 (lounge).
Capacidade: 400 pessoas
Cassificação: 18 anos
Bilheteria (novo horário!): terça a sexta das 13h às 21h; sábados e feriados das 16h às 22h

https://www.facebook.com/teatro.rival/

Instagram: @teatro.rival
Twitter: @teatro_rival

VENDA DE INGRESSOS ONLINE: www.eventim.com.br (com cobrança de taxa de conveniência)

Aceitamos cartões de crédito e débito.
Abertura da casa: 1h antes do show
Programação: (rival.agenda@gmail.com)

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

‘Festa na Casa do Zé’ é a atração infantil de domingo (22) do BarraShopping

‘Festa na Casa do Zé’ é a atração infantil de domingo (22) do BarraShopping
A peça infantil ‘Festa na Casa do Zé’ será apresentada no próximo domingo (22), às 17h, no BarraShopping. Conduzido pelo compositor Paulo Bi, que se utiliza de bonecos e máscaras para compor os personagens, o espetáculo divertido conta a história de um vira-lata fujão e suas peripécias no caminho de volta para casa. Um jacaré surfista, uma macaca sapeca, um porco-espinho trapalhão e muitos insetos, entre outros, também fazem parte do musical, que traz canções de jazz, samba, reggae e rock.

Para completar as atividades para as crianças, haverá ainda oficina de ponteira de lápis às 16h. Todo domingo, o BarraShopping promove uma série de atrações gratuitas para divertir e entreter os pequenos. Além de oficinas de desenho, pintura e massinhas, os pequenos podem assistir a apresentações a partir das 17h. Chamada de “Mundo Infantil”, a programação infantil do shopping acontece sempre à tarde, na área da expansão (nível Lagoa).

Agenda Cultural RJ - Produçao, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

Grupo Triii faz única apresentação para criançada no Theatro Net Rio Apresentação acontece dia 22 de outubro (domingo) às 15h.



Grupo Triii faz única apresentação para criançada no Theatro Net Rio
Apresentação acontece dia 22 de outubro (domingo) às 15h.


O Grupo Triii apresenta um show mirabolante repleto de músicas e brincadeiras para toda a família no próximo dia 22 de outubro (domingo), às 15h, no Theatro Net Rio. O público é convidado para saborear deliciosos temperos musicais, em um encontro recheado de muita criatividade. No cardápio musical, canções tradicionais se misturam com as composições do grupo "O Tomate e o Caqui", "A E I O U", "Viro Vira Virou", "Pão, Pão, Pão", entre outras. Venham todos cantar, dançar e brincar com o Grupo Triii!

Formado por Marina Pittier (voz), Fê Stok (guitarra e voz) e Ed Encarnação (Bateria e voz), o Grupo Triii surgiu em 2008 com o encontro de três pessoas que têm três coisas em comum: a amizade, a identificação musical e a fascinação por crianças. Com shows que reúnem músicas e brincadeiras, a proposta do Triii é criar um contato direto com crianças e pais através da música, de forma sensível, divertida e sempre muito criativa.

Mais sobre o Grupo Triii

Formado por Marina Pittier (voz), Fê Stok (guitarra e voz) e Ed Encarnação (bateria e voz), o Grupo Triii surgiu em 2008 com o encontro de três pessoas que têm três coisas em comum: amizade, identificação musical e fascinação por crianças. Com shows que reúnem músicas, brincadeiras e performances, a proposta do Triii é interagir com crianças e pais através da música, de forma sensível, divertida e sempre muito criativa.

O grupo realizou diversas apresentações pelo Brasil, em teatros, parques, centros culturais e escolas, participando também de projetos especiais ligados à educação, sempre com ênfase na música e na criatividade, envolvendo pesquisa e criação de repertório dentro do universo infantil, escolar e familiar.

A partir de 2014 o Triii passou a ter contato com um público maior, quando realizou mais de 100 apresentações e criou a seu canal de vídeos, a Triii TV. Hoje, o grupo atingiu a marca de mais de 65 mil seguidores em sua página oficial do Facebook e atingiu mais de 5 milhões de visualizações de vídeos nal Triii TV.

Em 2015 lançou o Livro + CD Brasil for Children, que reúne 30 canções brasileiras –tradicionais, adaptadas e criadas – acompanhadas de ilustrações originais e texto bilíngue (português e inglês).

O grupo é autor da Coleção Histórias que Cantam, com três Livros + CDs lançados pela Editora Melhoramentos: “Ei, ei, ei Vanderlei”, “A Sopa Supimpa” e “Pão, pão, pão”. Em 2012, os títulos foram selecionados pela FDE – Secretaria de Educação do Estado de São Paulo – para leitura nas escolas. Em 2014, “A Sopa Supimpa” ficou em 1º lugar, e “Ei, ei, ei Vanderlei” ficou em 4º lugar, na lista dos livros infantis mais lidos nas bibliotecas municipais de São Paulo.

Participou do Festival Internacional “Encontro da Canção Infantil" (2010), realizado pelo SESC-SP e do Encontro Internacional "Boca do Céu” (2013), realizado no Itaú Cultural em SP. Realizou apresentações e oficinas em Buenos Aires (Argentina) e Istambul (Turquia).



Sobre o Theatro Net

Arrendado em abril de 2011 pelos produtores culturais Frederico Reder e Juliana Reder, sócios da produtora Brain+, o antigo teatro Tereza Rachel teve sua reforma iniciada no mesmo ano, após mais de dez anos sem atividades. Quatro décadas depois de sua primeira inauguração, o Theatro Net Rio abriu suas cortinas no dia 4 de abril de 2012, com o espetáculo "BIBI – Histórias e Canções", no qual Bibi Ferreira comemorava seus 90 anos de vida e 70 anos de carreira. No dia 7 de abril, foi inaugurado para o grande público.

Entre shows, musicais, peças de teatro e espetáculos de dança já promoveu mais de 1500 sessões para um público acima de um milhão de pessoas. O espaço conta com duas salas, sendo a maior, Sala Tereza Rachel, com capacidade de 622 lugares e a menor, Sala Paulo Pontes, com 100 lugares.

Dois anos depois os mesmos produtores inauguraram o Theatro NET São Paulo, localizado no quinto andar do Shopping Vila Olímpia. Com uma grande festa a noite do dia 18 de julho de 2014 foi marcada por um inesquecível show de Gilberto Gil. Desde então, o teatro já recebeu em seu palco grandes nomes da MPB, além de espetáculos musicais e eventos corporativos. Com 2.300 m² a estrutura conta com arquitetura moderna e tecnologia de ponta. Apesar de grandioso, tudo no Theatro NET São Paulo é aconchegante.

Ambas as casas têm pleno funcionamento, com uma programação diversificada, todos os dias da semana, e preza pelo bem-estar do público e dos artistas e pela excelência em seu atendimento.



Sobre a produtora Brain+

Depois de conquistar diferencial em sua área, a Brain+ - que nasceu Brainstorming Entretenimento - hoje comemora sete anos e movimenta o setor da economia criativa no Brasil, a partir de São Paulo e Rio de Janeiro, com a operação consolidada de dois teatros.

Por meio de contratos de naming right/patrocínio com a empresa de serviços de telecomunicações e entretenimento via cabo Net, viabiliza a operação dos Theatro Net Rio e Theatro Net São Paulo.

Conduzindo diretamente todos os seus negócios, Fred Reder comemora cada crescimento e novas conquistas profissionais. Seu nome é sinônimo de ousadia no cenário cultural do eixo Rio/São Paulo e sua ambição ultrapassa essas fronteiras. Ainda este ano, sua empresa tem a expectativa de crescer cada vez mais nesse mercado de entretenimento cultural, com a abertura de novos teatros.

Em paralelo aos gerenciamentos das casas, a Brain+ traz ainda em seu catálogo a produção de espetáculos, que são sucesso de público e crítica. Tango, Bolero e Cha Cha Cha; O Pacto das 3 Meninas; Romeu e Julieta; e, Avenida Q são alguns deles. Além dos mais recentes: Qualquer Gato Vira-Lata Tem a Vida Sexual Mais Sadia Que a Nossa; E Aí, Comeu?; Constellation, O Musical; O Último Lutador; Ou Tudo Ou Nada.



SERVIÇO:



GRUPO TRIII

Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel. Rua Siqueira Campos, 143 – Sobreloja – Copacabana. (Shopping Cidade Copacabana).

Horário: 15h.

Data: 22 de outubro (domingo).

Classificação: Livre.

Duração: 60 minutos.

Ingresso: R$ 80,00 (plateia e frisas) R$ 60,00 (balcão)

Direito à meia entrada e descontos : http://www.theatronetrio.com.br/pt-br/bilheteria.html

Capacidade do Teatro: 622 lugares.

Telefone do teatro: 21 2147 8060 / 2148 8060

Site: www.theatronetrio.com.br

Vendas pela internet: www.ingressorapido.com.br ou pelo aplicativo do Ingresso Rápido.
Vendas pelo telefone: Informações e compra Ingresso Rápido - (11) 4003 - 1212
Atendimento pós venda Ingresso Rápido - (11) 4003 - 2051
Informações sobre ponto de venda da Ingresso Rápido de outros eventos fora do Theatro Net Rio, somente pelo telefone - (11) 4003 - 1212
Horário de funcionamento - Todos os dias das 10h às 18h.

Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.

Reservas para grupos: Guilherme Romeu - guilhermeromeu@brainmais.com / (21) 96629 - 0012
Horário de atendimento - De Segunda a Sábado de 14h às 21h.

Formas de pagamento: Aceitamos todos os cartões de crédito, débito, vale cultura nas bandeiras (Alelo & Ticket) e dinheiro. Não aceitamos cheques.

Acessibilidade

Estacionamento no Shopping, entrada pela Rua Figueiredo Magalhães, 598.





Assessoria de Comunicação – Theatro Net Rio
Minas de Ideias Comunicação Integrada
(21) 3023 1473 / 98635 5636

ascom@minasdeideias.com.br

www.minasdeideias.com.br








Caso não consiga visualizar o e-mail, acesse este link.




Caso não deseje mais receber nossos e-mails, por favor clique nesse link.

CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO REÚNE MAIS DE 150 OBRAS DE IMPORTANTES ACERVOS BRASILEIROS EM EXPOSIÇÃO Mostra A Construção do Patrimônio apresenta reflexão sobre a preservação do patrimônio no Brasil

 CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO REÚNE MAIS DE 150 OBRAS DE IMPORTANTES ACERVOS BRASILEIROS EM EXPOSIÇÃO

Mostra A Construção do Patrimônio apresenta reflexão sobre a preservação do patrimônio no Brasil


A CAIXA Cultural do Rio de Janeiro recebe, de 25 de outubro e 22 de dezembro de 2017, a exposição A Construção do Patrimônio, que apresenta mais de 150 obras entre documentos raros, quadros e esculturas, montando um panorama de importantes momentos da história das políticas públicas de preservação do Brasil, além dos desafios que envolvem a expansão do conceito de patrimônio. O projeto tem curadoria de Luiz Fernando de Almeida, ex-presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), e patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

Realizado pelo Instituto Pedra, a mostra faz parte da programação das comemorações dos 80 anos de existência do IPHAN, uma das mais longevas instituições públicas brasileiras e a primeira dedicada à preservação e promoção do patrimônio cultural na América Latina.
A exposição é dividida em 12 ambientes. Dentre o acervo exposto, destacam-se registros e obras de Tarsila do Amaral, Mário de Andrade, Lúcio Costa, Marcel Gautherot, Germano Graeser, Eric Hess, Oscar Niemeyer, Pierre Verger, Mestre Vitalino e uma réplica de Aleijadinho. Além de importante acervo documental do IPHAN do Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco, a exposição conta ainda com obras do Museu Histórico Nacional, Música Nacional de Belas Artes, Instituto de Estudos Brasileiros (IEB-USP), MASP, Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP), Casa Juscelino Kubitschek, entre outros.

“Uma reflexão sobre a ideia de patrimônio poderá ser uma das mais potentes metáforas dos brutais desafios que vivemos no nosso tempo, diante da dificuldade e necessidade de projetar o nosso futuro”, afirma o curador Luiz Fernando de Almeida.

No dia 26 de outubro (quinta-feira), às 18h, Luiz recebe o público para uma visita guiada à exposição seguida de um debate com a ex-presidente do IPHAN Jurema Machado. Após a temporada no Rio, a CAIXA Cultural de São Paulo receberá itinerância da mostra a partir de janeiro de 2018.

Instituto Pedra:
O Instituto Pedra é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos baseada em São Paulo. Fundado em fevereiro de 2013, o instituto desenvolve projetos no campo do patrimônio cultural.  Seu objetivo é realizar intervenções e leituras que valorizem este patrimônio, gerando conhecimento com enfoque integrado e considerando as suas dimensões simbólica, material e territorial. Para mais informações, acesse o site www.institutopedra.com.br.

Ficha técnica:
Realização: Instituto Pedra
Curadoria: Luiz Fernando de Almeida
Curador-adjunto: Henrique Lukas
Expografia: José Luiz Favaro
Produção executiva: TZM Entretenimento (Marione Tomazoni)
Apoio: IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

Serviço:
A Construção do Patrimônio
Entrada franca
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Galerias 2 e 3
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Abertura: 25 de outubro (quarta-feira), às 19h
Visitação: de 26 de outubro a 22 de dezembro de 2017
Horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 21h
Classificação indicativa: Livre
Acesso para pessoas com deficiência

Agenda Cultural RJ - Produçao, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

“O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna” interage com o público de Ariano Suassuna.Apesar de sua grande e principal inspiração ser o genuíno homem brasileiro, encontra-se na obra deste mestre a influência do universo das comédias francesas e do gênero italiano da comédia dell'arte.

O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna

Ariano Suassuna para criança

Direção: Henrique Kaladan


A França tem Moliére. A Itália tem Goldoni. O Brasil felizmente tem Ariano Suassuna, autor de várias obra com destaque para o “O Auto da Compadecida” joia rara da dramaturgia popular brasileira. Apesar de sua grande e principal inspiração ser o genuíno homem brasileiro, encontra-se na obra deste mestre a influência do universo das comédias francesas e do gênero italiano da comédia dell'arte. Todas estas são artes que souberam retratar com lente de aumento as principais características do comportamento humano.

Levar crianças e adultos a vivenciar a rica cultura popular brasileira. O espetáculo é uma mescla da literatura de cordel e de ritmos como aciranda, o bunda-meu-boi, o cavalo-marinho, o frevo e etc. A comédia “O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna” interage com o público de
Ariano Suassuna.

Sinopse
O protagonista é o poeta e cantador Joaquim Simão, pobre e preguiçoso, que vive com sua mulher e mais 10 filhos num casebre. Por mais que sua esposa peça, Simão nega-se a trabalhar, convencendo-a com suas desculpas. Num belo dia, um vaqueiro penalizado pela situação da mulher, presenteia o casal com uma vaca. Joaquim Simão, que detesta o presente, troca a vaca por um burro, o burro por uma cabra, a cabra por um galo e o galo por um pão francês. Um homem rico que presencia as trocas, aposta dinheiro com Joaquim, dizendo que sua esposa não vai gostar do resultado das trocas. Joaquim , que bem conhece sua mulher, aceita a aposta e sai vitorioso levando o dinheiro do rico. Finalmente, a partir de uma ironia do destino e da aposta, Joaquim Simão torna-se um homem próspero, dono de uma fazenda chamadaFazenda Homem da Vaca.


Ficha Técnica
Texto: Ariano Suassuna


Concepção e Direção: Henrique Kaladan

Elenco: Pedro Lontra

Barbara Pfeiffer

Daniel Diaz

Gabriel Lopes

Nathalia Araujo

Luciano Veneu

Leonardo Villar

Músicos: Alexandre Bittencourt (Flauta e Pifano)

Bruno Reis (Viola de 10 cordas)

Éber de Freitas – (Percussão)

Cabeças e Adereços: Kaladan

Visagismo: Nathalia Araújo

Figurinos: Henrique Kaladan

Confecção dos Figurinos: Anastasia Mytko

Cenografia: Ericeira Junior

Coreografias: Mario Cardona

Direção musical: Alexandre Bittencourt

Programação Visual e Fotografias: Zele Comunicação

Produção executiva e Assessoria de Imprensa:Júlio Luz

Preparação corporal: NatássiaVello

Direção de Produção: AH DE ANDRADE PRODUCOES ARTISTICAS

Apoio Cultural: ZELE Comunicação e Produção Cultural Ltda.

Patrocínio: Colégio Notre Dame Ipanema

O DIRETOR – Henrique Kaladan

Iniciou suas atividades no Teatro aos 17 anos, com participação no PROJETO ARMORIAL, criado e dirigido por Ariano Suassuna, no Teatro de Santa Izabel em Recife. Em São Paulo, já formado em Artes Cênicas pela Escola de Arte Dramática EAD-USP, São Paulo, participou da Companhia Teatral de Paulo Autran e de Ruth Escobar. Foi dirigido pelos seguintes diretores: Fauzi Arap, Antônio Abujanra e Carlos de Simões.

Serviço

Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea

Rua Marques de São Vicente, 52 - Gávea

Informações: (21) 2239-1095

Sábados e Domingos – 15h

Classificação Etária: Livre

Duração: 60 minutos

Capacidade: 402 lugares

Ingresso: R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia)

Temporada até 29 de outubro de 2017


Agenda Cultural RJ - Produção, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrjInstagram

Além dos 2 espetáculos teatrais adultos, a ocupação oferecerá uma programação gratuita de cursos, oficinas, workshops e encontros, de 5 de outubro à 12 de novembro, de quarta a domingo.


A ocupação Glauce de Portas Abertas apresenta os espetáculos “Blackbird” e “Para onde ir” de 5 de outubro a 12 de novembro

Além das peças teatrais, cursos, oficinas, workshops e encontros serão oferecidos de forma gratuita.


As peças Blackbird e Para onde ir resultam da constante pesquisa, do interesse em transformar a literatura clássica em fenômeno cênico, pela importância de suas questões perenes sobre a condição humana.

De outubro a novembro, o teatro Glauce Rocha, no centro do Rio, inicia a ocupação “Glauce de Portas Abertas” com apresentação dos espetáculos adultos Blackbird e Para onde ir com curadoria da Rayes Produções Artísticas.

Formada pelos atores/produtores Viviani Rayes e Yashar Zambuzzi, a Cia de Teatro, Te-Un TEATRO possui um trabalho sólido e reconhecido pela qualidade artística de suas produções e pelas escolhas de seus espetáculos que levam à cena uma reflexão sobre a condição humana.

Além dos 2 espetáculos teatrais adultos, a ocupação oferecerá uma programação gratuita de cursos, oficinas, workshops e encontros, de 5 de outubro à 12 de novembro, de quarta a domingo.

“A ideia da ocupação é aproximar o público do Teatro Glauce Rocha, com uma programação de excelência, porque quanto mais o teatro expande os seus limites na direção de atingir o público através da percepção do fenômeno teatral em todas as suas partes, mais sólida e eficaz será a fidelização do seu público. Sendo assim, temos a preocupação de não deixar o teatro nesse local do inatingível e inacessível, mas sim, que esteja ao alcance de todos”. Afirma Viviani Rayes

OS ESPETÁCULOS QUE INTEGRAM A GRADE DE PROGRAMAÇÃO DA OCUPAÇÃO SÃO:

BLACKBIRD

FICHA TÉCNICA:

Elenco: Viviani Rayes, Yashar Zambuzzi e participação de Nínive Kienteca
Texto: David Harrower
Tradução: Alexandre J. Negreiros
Direção: Bruce Gomlevsky
De sexta a domingo, 19h, de 6 de outubro até 12 de novembro.
A apresentação do dia 03 de novembro terá intérprete de libras e audiodescrição.
Preço: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)
Duração: 80 min
Gênero: Drama
Classificação: 16 anos
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 – 0259





Link de video: https://www.youtube.com/watch?v=c5XzlbBf_bk


Vencedor do Festival Internacional de Edimburgo e do Prêmio Laurence Olivier Award, o espetáculo inspirado em um caso real de pedofilia, traz o reencontro de um homem e uma mulher que viveram caso polêmico quando ela tinha 12 anos e ele 41. Agora eles estão cara a cara para um acerto de contas. Um drama que discute as consequências, em longo prazo, do abuso sexual, o amor entre pessoas de idades diferentes, os instintos sexuais versus os padrões éticos e morais que temos em nossa sociedade.

HISTÓRICO DE SUCESSO:

4 anos em cartaz, 5 temporadas, sucesso de público e crítica, foi destaque no Festival de Curitiba/2017, entre as peças que tiveram maior público, com todas as sessões esgotadas, classificada em 3 estrelas pela Veja Rio e uma das 10 melhores peças em cartaz, 4 indicações ao Prêmio Botequim Cultural nas categorias: Melhor espetáculo, ator, atriz e diretor, indicação ao Prêmio Shell na categoria Música, 1 indicação ao Prêmio Questão de Crítica na categoria Trilha Sonora Original, um dos 21 espetáculos mais populares do Site Teatro em Cena, classificada pelo site Conexão Mundo, entre os 5 espetáculos imperdíveis no Rio, listada entre os melhores espetáculos de 2014, no RJ, pelo Crítico Gilberto Bartholo.

PARA ONDE IR, adaptação e atuação de Yashar Zambuzzi

FICHA TÉCNICA:
Texto: Fiódor Dostoievski e Arthur Rimbaud, em homenagem a Bertolt Brecht
Adaptação e atuação: Yashar Zambuzzi
Direção: Viviani Rayes
Às quartas e quintas, 19h, de 05 de outubro até 09 de novembro
A apresentação do dia 02 de novembro terá intérprete de libras e audiodescrição.
Duração: 50 min
Gênero: Drama
Classificação: 14 anos
Preço R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia)
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 - 0259

Link de video: https://www.youtube.com/watch?v=aAX-0YoG3cA&t=22s






Monólogo é construído a partir do personagem Marmieládov, do romance Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski e de Uma temporada no inferno, de Arthur Rimbaud, em homenagem a poesia crítica do jovem poeta Bertolt Brecht, a montagem marcou a estreia, com o pé direito, da atriz e produtora Viviani Rayes na direção e traz Yashar Zambuzzi no papel de Marmieládov. Estreou em fevereiro, com excelentes críticas e sucesso de público. Realizou três temporadas e sucesso. O espetáculo se passa numa taberna, onde o público é como se fossem os fregueses dessa taberna. Traz um diferencial ao colocar público parcialmente no palco, além da plateia. PARA ONDE IR apresenta um tema de grande relevância social, ao trazer para à cena um personagem que após perder seu emprego, entrega-se ao vício do álcool.


ATIVIDADES COMPLEMENTARES GRATUITAS

A programação de cursos, oficinas, workshops e encontros são totalmente gratuitos, sempre das 14h às 16h, quarta a domingo. Os interessados devem enviar e-mail para: contato@rayesproducoes.com.

OFICINA DE TEATRO ACESSÍVEL, com Michelle Raja Gebara

As pessoas com deficiência costumam ser excluídas de algumas atividades consideradas “normais”. A Ocupação GLAUCE DE PORTAS ABERTAS lança um olhar na prática para essa situação, e mantém em sua programação a inclusão e transformação dessas pessoas, oferecendo a Oficina de Teatro Acessível.

Público alvo: pessoas que tenham algum deficiente visual, auditiva, motora, etc. Presença de intérprete de libras em todas as aulas.

Dias: Todas as 4ª feiras, dias 11, 18, 25 de outubro e 1 e 8 de novembro, das 14 às 16h, com 15 vagas.

Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 - 0259

WORKSHOPS TÉCNICOS

Faz parte do conceito da OCUPAÇÃO GLAUCE DE PORTAS ABERTAS incluir toda a cadeia produtiva que compõe a criação artística de um espetáculo. Por isso todas as 5ª feiras, um workshop diferente:

Dia 12/10 Workshop de Iluminação, com Kátia Barreto
Dia 19/10 Workshop de Programação Visual, com Thiago Ristow
Dia 26/10 Workshop de Trilha Sonora, com Chico Rota
Dia 02/11 Workshop de Figurino, com Rogério França
Dia 09/11 Workshop de Fotografia de Cena, com Lu Valiatti
Público Alvo: Público em geral
Das 14 às 16h, com 20 vagas
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 - 0259

ENCONTROS SOBRE OS PROCESSOS DE CRIAÇÃO DOS ESPETÁCULOS DA Te-Un TEATRO, com Viviani Rayes e Yashar Zambuzzi.

Os diretores da Te-Un TEATRO abrem os bastidores dos processos de criação de seus espetáculos até chegarem ao resultado final.

O objetivo dos encontros é apresentar os processos artísticos e técnicos utilizados na criação dos espetáculos da Te-Un TEATRO desde a escolha do texto, a tradução, se for o caso, ou a adaptação, escolha de elenco e ficha técnica, os processos de ensaios, as técnicas utilizadas de acordo com o conceito e estética de cada espetáculo, a relação com o público, a escolha do formato cênico, etc. Bate-papo com o público e um momento aberto a perguntas.

“Esses encontros são formas de aproximar o público teatral de uma perspectiva que não só a de assistir a um espetáculo, mas de entender as escolhas feitas, e com isso aprimorar seus olhares ao entrar numa sala de espetáculo. Acreditamos que os encontros também cumprem um papel de formação de plateia, uma vez que o espectador terá uma relação mais direta entre o processo de construção de um espetáculo e o seu resultado final”. Viviani Rayes


Dias: Às 6ª feiras, dias 13, 20, 27 de outubro e 03 e 10 de novembro.
Público alvo: Público em Geral
Das 14 às 16h, com 20 vagas
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 - 0259

OFICINA DE FILOSOFIA & CINEMA APLICADA ÀS ARTES CÊNICAS, com Yashar Zambuzzi.

“Consideramos que, por meio das leituras de textos filosóficos e do cinema podemos ampliar nossa sensibilidade, assim como nossa reflexão sobre nossa condição humana”. Yashar Zambuzzi

Dias: Aos sábados, dias 14, 21, 28 de outubro e 04 e 11 de novembro.
Público alvo: Público em geral
Das 14 às 16h, com 20 vagas
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 - 0259

CURSO LIVRE DE TEATRO PARA CRIANÇAS, com Viviani Rayes

A OCUPAÇÃO GLAUCE DE PORTAS ABERTAS quer que as crianças de hoje criem o hábito de ir ao teatro desde cedo. Com esse propósito, o curso irá fomentar a inclusão do público infantil, pensando sempre que a criança é o público de amanhã.

Dias: 15, 22,29 de outubro e 5 e 12 de novembro
Público alvo: crianças de 7 a 14 anos
Das 14 às 16h, com 20 vagas
Local: Teatro Glauce Rocha – Av. Rio Branco, 179 – Centro - Tel: 2220 - 0259

Os diretores artísticos da Ocupação:

Yashar Zambuzzi é Ator formado pela EAD (Escola de Arte Dramática) - USP e Filosofia, pela mesma universidade. Trabalhou com Antunes Filho, um dos mais renomados diretores, no CPT (Centro de Pesquisa Teatral), onde, além de ator, exercia a função de professor de Filosofia. Fundou, com a atriz Viviani Rayes, a Te-Un TEATRO. É professor de Interpretação da Escola de Teatro Nu Espaço. Em 33 anos de carreira em teatro, atuou em mais de 30 produções. É o adaptador e ator do consagrado monólogo PARA ONDE IR, nas academias, interessou-se em unir as antropologias filosófica e teatral, com o intuito de investigar a condição humana através do teatro. Em sua constante pesquisa, tem se interessado em transformar a literatura clássica em fenômeno cênico, pela importância de suas questões perenes sobre a condição humana. Nos últimos catorze anos tem se dedicado às obras de Fiódor Dostoiévski.

Viviani Rayes é sócia fundadora e diretora de produção da Rayes Produções Artísticas. Professora de Técnica de Gravação na Escola de Teatro Nu Espaço. Atriz, produtora e diretora Pós-graduada em Direção Teatral pela CAL (Casa de Artes Laranjeiras/ RJ), cursou Direção Teatral com José Renato, fundador do Teatro de Arena de São Paulo. Diretora e produtora do consagrado monólogo PARA ONDE IR, formada pela Escola de Teatro Ewerton de Castro e Escola de Atores Wolf Maya, ambas em São Paulo. Cursou Comunicação Social na Faculdade Cásper Líbero em São Paulo.

Agenda Cultural RJ - Produção, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com 
 #agendaculturalrj

  Instagram

Cinco pessoas frequentam um curso de artes dramáticas em uma pequena cidade. Ao longo de seis aulas, entre jogos e dinâmicas teatrais, a relação entre eles vai trazer à tona descobertas, paixões, inseguranças e segredos.

“Círculo da Transformação em Espelho”

Texto: Annie Baker

Idealização e tradução: Rafael Teixeira

Direção: Cesar Augusto


LOCAL: Teatro de Arena do Sesc Copacabana

Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana / RJ Tel: (21) 2547-0156

HORÁRIO: 5ª a sábado, às 20h30; domingo, às 19h / INGRESSOS: R$ 30,00, R$ 15,00 (meia), R$ 7,50 (associado do Sesc) / Funcionamento Bilheteria: 2ªf de 9h às 16h; 3ª a 6ª de 9h às 21h; sábado de 13h às 21h; domingo de 13h às 20h / CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 12 anos / GÊNERO: comédia dramática / CAPACIDADE: 242 espectadores / TEMPORADA: até 29 de outubro

Primeira montagem no Brasil de um texto da dramaturga americana Annie Baker,Círculo da Transformação em Espelho(Circle Mirror Transformation) estreia no dia 05 de outubro no SESC Copacabana. A direção é de Cesar Augusto, e no elenco estão Alexandre Dantas, Carol Garcia, Fabianna de Mello e Souza, Júlia Marini e Sávio Moll. O projeto é uma idealização do jornalista e crítico teatralRafael Teixeira, também tradutor do texto. A temporada vai até 29 de outubro, de quinta a sábado, às 20h30, e domingo, às 19h.

Aos 36 anos, com oito peças no currículo, Annie Baker já ganhou diversos prêmios, entre eles o Pulitzer – o mais prestigiado da literatura americana – por The Flick, encenada em 2004. A autora tem sidodescrita pela crítica especializada como a nova face do realismo na dramaturgia americana: repleta de personagens essencialmente humanos, sua obra provoca um sentimento de identificação profunda da plateia com os personagens.

Em Círculo da Transformação em Espelho, cinco pessoas, moradoras da pequena Shirley (cidade fictícia criada por Annie, cenário de outras de suas peças), frequentam um curso de artes dramáticas em um centro comunitário local. Marty (Fabianna de Mello e Souza), 55 anos, é a professora, que há muito desejava ministrar essas aulas; James (Alexandre Dantas), 60, seu marido, está entre os alunos; Schultz (Sávio Moll), 48, é um carpinteiro recém-separado, por vezes ligeiramente deslocado no grupo; Theresa (Julia Marini), 35, foi atriz em Nova York, mas resolveu se mudar ao se dar conta de que não conseguiria mudar o mundo através do teatro; e Lauren (Carol Garcia), 16, sonha em ser uma grande atriz. Ao longo de seis semanas, as relações entre o quinteto vão se desenvolver como na vida real: pouco a pouco, sem episódios ostensivamente dramáticos, mas com desdobramentos e consequências muito reais.

“O modo como as suas histórias se desenvolvem, a ação dramática, os diálogos, tudo lembra a vida da maioria de nós – e eu iria além: lembra a vida de TODOS nós, pelo menos em sua maior parte. Não há episódios extraordinários, rupturas drásticas, viradas mirabolantes. É tudo de uma humanidade radical. Mas, mesmo assim, pelo olhar de Annie Baker, a vida é repleta de potência, beleza e regozijo. Eis aí uma ideia maravilhosa: a de que há algo de belo no trivial, de que há felicidade genuína mesmo no cotidiano de qualquer um de nós”, observa Rafael Teixeira, tradutor do texto e idealizador do projeto.

Por trás de dramas algo banais, dos cenários cotidianos e dos personagens que se parecem tanto com alguém que conhecemos (ou, por que não, conosco), a autora injeta uma estranheza sutil. Sobre Círculo da Transformação em Espelho, ela afirmou, certa vez, que seu objetivo foi escrever “... uma peça naturalista que focasse de forma tão insana os detalhes do dia a dia que eles se tornariam não familiares e incrivelmente estranhos. Como se olhássemos uma tela impressionista muito de perto e só enxergássemos as manchas de tinta”.

“Círculo da Transformação em Espelho é uma peça enganosa, e talvez essa ambiguidade seja o que mais me encanta enquanto dramaturgia. O texto parece simples, mas é de uma sofisticação tremenda, quase uma partitura musical. Há pausas, silêncios, elipses, palavras, frases inteiras não faladas, cenas que ficam apenas subentendidas, mas que dizem mais do que se tivessem sido escancaradas. A sensação, por vezes, é de que nada efetivamente acontece, mas tudo acontece”, explica o tradutor e idealizador.

SINOPSE

Cinco pessoas frequentam um curso de artes dramáticas em uma pequena cidade. Ao longo de seis aulas, entre jogos e dinâmicas teatrais, a relação entre eles vai trazer à tona descobertas, paixões, inseguranças e segredos.


A MONTAGEM

O diretor, Cesar Augusto, conta: “A peça é um desafio pela sua total simplicidade. A ideia de "espetacularização" se desfaz a cada momento, seja através dos diálogos engasgados, seja pela edição das cenas ou mesmo pela forma elementar e singela em que se constroem as aulas. Minha direção se apoia neste fascinante universo que se revela muito além de um simples jogo teatral, apesar das aparências. A contracena e a encenação se fundem com a própria vida de Shirley, cidade criada pela autora não apenas nesta obra, e onde estes personagens se encontram.”.

O cenário de Mina Quental segue a linha enxuta da encenação. Cinco grandes espelhos de base móvel, formados por placas acrílicas com aplicação de películas, evocam a sala de ensaio onde se desenrola a peça. Inspiradas nos cavaletes de vidro incrustados em cubos que a arquiteta e cenógrafa Lina Bo Bardi (1914-1992) criou para o MASP (Museu de Arte de São Paulo), essas lâminas jogam com a luz e a mobilidade, podendo ora ser espelhamento, ora transparência, de acordo com o ângulo de visão do público nesse jogo de luz.

FICHA TÉCNICA

Texto: Annie Baker
Idealização e tradução: Rafael Teixeira
Direção: Cesar Augusto
Elenco / Personagem:
Alexandre Dantas / James
Carol Garcia / Lauren
Fabianna de Mello e Souza / Marty
Júlia Marini / Theresa
Sávio Moll / Schultz
Direção de movimento: Dani Cavanellas
Assistente de direção: Pedro Uchoa
Cenário: Mina Quental
Iluminação: Adriana Ortiz
Figurinos: Ticiana Passos
Programação visual: Daniel de Jesus
Fotos: Rodrigo Castro
Vídeos: tocavideos - Fernando Neumayer e Luís Martino
Direção de produção: Luísa Barros
Produção executiva: Ana Studart
Administração financeira: Amanda Cezarina
Assessoria de imprensa: JSPontes Comunicação – João Pontes e Stella Stephany
Realização: Sesc Rio

Agenda Cultural RJ - Produção, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

Dia 19/10 Oficina de Música (Gratuito) com Anthony Brito


SEMANA DE ATIVIDADES PARA TODAS AS IDADES CELEBRA A ARTE DO PALHAÇO



Respeitável público, é chegada a hora de uma grande festa de celebração à arte do palhaço. A ESLIPA - Escola Livre de Palhaços realizará uma semana para lá de cômica com diversas atividades espalhadas pela cidade, com a participação do grupo Circo do Asfalto, entre os dias 16 e 20 de outubro. E no dia 21 de outubro, o “grand finale” ficará por conta da Palhaçatura – cerimônia de formatura de novos palhaços, alunos da ESLIPA. Toda a programação tem entrada franca.

Entre os dias 16 e 20, pela manhã, no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, serão realizados seminários, rodas de conversa, oficinas e a exposição de duas teses sobre a arte da palhaçaria, escrita por alunos das turmas anteriores da ESLIPA. Já as tardes serão dedicadas às oficinas de palhaço, dirigidas pelo casal de fundadores do Grupo Off-Sina, Richard Riguetti e Lilian Moraes. À noite a diversão será garantida a partir do dia 17, às 20h, com apresentações do grupo Circo do Asfalto e do Cabaré Eslipiano, reunindo artistas de todo o Brasil formados pela ESLIPA, na Praça do Largo do Machado.



Para finalizar, no dia 21, na Praça do Largo do Machado, às 16h, acontecerá a tradicional “Palhaçatura”, um rito de passagem com as PalhaNinfas Lily Curcio e Lilian Moraes. A cerimônia marca um momento de transição na vida de um artista/palhaço, simbolizando o fim de um ciclo de aprendizagem e o início da vida profissional. A comemoração contempla as melhores cenas criadas pelos palhaços formandos.

“Como fundadores e coordenadores da ESLIPA, sentimos uma profunda emoção em proporcionar essa significativa transição através de um rito de passagem. Palhaços de várias regiões do Brasil entrarão em uma nova fase de suas vidas artística e cidadã, atingirão um novo patamar na arte e no oficio da palhaçaria. A emoção está na ponta do nariz!”, revelam Richard Riguetti e Lilian Moraes, diretores do Grupo Off-Sina.

Sobre a Escola


Fundada em 2012 pelo casal de artistas Richard Riguetti e Lilian Moraes, que formam o Grupo Off-Sina, o espaço foi pensado para potencializar a linguagem do palhaço na América Latina. Priorizando novos conhecimentos e troca de saberes sobre o ofício, a escola foca na qualificação e o aperfeiçoamento artístico e técnico de artistas que atuam em diversos espaços cênicos, bem como artistas interessados em desenvolver uma pesquisa sobre a arte da palhaçaria.

Com o propósito de elaborar um programa inovador e criativo, que permita uma elevada percepção estética e uma renovação qualificada da cena integram o time de mestres da ESLIPA importantes profissionais de circo, teatro e música, entre eles Pepe Nuñez, Lily Curcio, Esio Magalhães, Teófanes Silveira e Ricardo Puccetti.

SERVIÇO:

Segunda, dia 16 - Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian – CALOUSTE: R. Benedito Hipólito, 125 - Centro, Rio de Janeiro – RJ.

10h às 12h30minh - Seminário Escola de Palhaço para que e para quem?

14h às 18h - Oficina de Palhaço Richard e Lilian

Terça-feira, dia 17 – CALOUSTE

9h às 11h - Roda de Conversa com Circo do Asfalto e Adriano Mauriz

11h às 13h - Palhaços na Academia

14h às 18h - Oficina de Palhaço Richard e Lilian

PRAÇA DO LARGO DO MACHADO

19h às 22h - Cabaret Eslipiano Direção: Fran Marinho (Circo do Asfalto/SP)

Quarta-feira, dia 18 - CALOUSTE

9h às 11h - Oficina de Acrobacia Glaucy Fragoso

11h às 13h - Oficina de Dramaturgia

14h às 18h - Oficina de Palhaço Richard e Lilian

PRAÇA DO LARGO DO MACHADO

19h às 22h - Espetáculo “Percha” com Circo do Asfalto

Quinta-feira, dia 19 – CALOUSTE

9h às 11h - Roda de Conversa com Pedro Sitta, Jimmy Charles, Jessé Cabral e Dio Jaime

11h às 13h - Oficina de Música Anthony Brito

14h às 18h - Oficina de Palhaço Richard e Lilian

PRAÇA DO LARGO DO MACHADO

19h às 22h - Cabaret Eslipiano Direção: Glaucy Fragoso

Sexta-feira, dia 20 – CALOUSTE
09h às 11h - Oficina de palhaço com Jessé Cabral

11h às 13h - Ensaio da Banda

14h às 18h - Oficina de Palhaço com Richard e Lilian

PRAÇA DO LARGO DO MACHADO

19h às 22h – Espetáculo Circo Rodado

Sábado, dia 21 – PRAÇA DO LARGO DO MACHADO

16h – Palhaçatura, rito de passagem com as PalhaNinfas Lily Curcio e Lilian Moraes


Agenda Cultural RJ - Produção,  Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com
 #agendaculturalrj

  Instagram

18 de out de 2017

XII Edição do Arte em Laranjeiras e Cosme Velho SHOW, MODA, ARTE CULTURA E GASTRONOMIA E CERVEJAS ARTESANAIS. Uma grande exposição artística e cultural.



LANOZ
Apresenta
XII Edição do Arte em Laranjeiras e Cosme Velho
SHOW, MODA, ARTE CULTURA E GASTRONOMIA E CERVEJAS ARTESANAIS.
Uma grande exposição artística e cultural.


Dias 20 a 22/ 27 a 29 de outubro, das 10 às 22h, Praça do Largo do Machado.
XII Edição do Arte em Laranjeiras e Cosme Velho

O projeto “ARTE EM LARANJEIRAS E COSME VELHO” em sua décima segunda edição é um evento cultural que visa divulgar as diversas formas Artísticas-Culturais existentes na região as quais se destacam-se as artes plásticas, o Artesanato, a Literatura, a Música e o Teatro. Os moradores dos bairros de Laranjeiras e Cosme Velho e o Público carioca em geral, terão a oportunidade de conhecer as diversas manifestações artísticas, a gastronomia, a história e as peculiaridades dos dois bairros e as iniciativas que promovem a cidadania e que valorizam nossos cidadãos.

O Objetivo do Evento é INTEGRAR E PROMOVER as iniciativas artísticas, culturais e sociais assim como os empreendimentos gastronômicos dos bairros e Laranjeiras e Cosme Velho.

Os Bairros de Laranjeiras e Cosme Velho, desde o tempo do Império estão unidos, foram responsáveis, nessa ocasião pela distribuição das águas do Rio Carioca para outras localidades da cidade.

São bairros tradicionais que preservam, ainda muitos imóveis de grande valor arquitetônico e histórico, pouco explorados por moradores dos bairros e, menos ainda, pelos outros cariocas e turistas que visitam nossa cidade. Grande parte da população do Rio conhece pouco ou desconhece: o Castelinho do Flamengo, o Palacete Seabra, a casa do empresário tcheco Frederico Figner e onde hoje funciona o Senac Rio, o Parque Guinle, o Palácio Laranjeiras, o Mercado São José, o Largo do Boticário, as mansões dos Klabin e do Roberto Marinho, as Casas Casadas, a Bica da Rainha, a Chácara dos Abacaxis e a Estrada de Ferro do Corcovado e o Cristo Redentor.

Mesmo os moradores não se dão conta da diversidade e do quanto esses dois bairros oferecem. Temos aqui mais de 20 estabelecimentos de ensino, com destaque para tradicionais colégios como: São Vicente de Paula, Sion, Miraflores, Eliezer Max, Instituto Nacional de Surdos, Casa da Leitura, Edem, Escola Municipal Senador Corrêa, Faculdades Bennett.

O evento acontecerá nas principais praças públicas dos bairros de Laranjeiras e Cosme Velho, nos ateliês dos artistas, nos colégios, faculdades e nos restaurantes e estabelecimentos que aderirem ao projeto. LOCAIS:Praça Largo do Machado, Praça Bengurion, Praça Jose de Alencar. Praça São Salvador, Mercado São José, com: Exposição de Fotos, Quadros, Artes Plásticas, Artesanato e apresentações artísticas.

Colégios e Fauldades: com Exposição dos trabalhos Artísticos dos alunos´: EDEM, BENNETT, Escola Senador Correa, INES

Igreja Matriz Nossa Senhora da Glória com palestras e concerto.

Exposições Coletivas: Abertura no Salão da Escola Senador Correa com exposições de Grandes Artistas Plásticos, Fotografias , Artesanato, Música, Poesia , e Exposição de ARTE RECICLADA)

O Projeto “ARTE EM LARANJEIRAS E COSME VELHO”, em sua décima segunda edição, é um evento Cultural que visa divulgar as diversas formas Artísticas e Culturais existentes na região. Os artistas plásticos, artesãos, escolas e Ongs mostrarão suas produções artísticas. Pretendemos aliar as Exposições algumas apresentações de grupos de música, dança, teatro, oriundos de comunidades que fazem da Arte seu caminho para inserção social.

Os bairros de Laranjeiras e Cosme Velho têm grande potencial Turístico e Cultural, com pontos de grandes interesse, como o Museu de Arte Naif, a Casa de cultura Austregésilo de Ataíde, o Trem do Corcovado(Cristo Redentor), e aspectos históricos e Arquitetônicos que merecem ser divulgados. São dois bairros de forte formação cultural, com importantes Ateliês de Arte,(que muitas vezes estão em prédios), Escolas de Arte e Teatro, Escolas de Música e boa Gastronomia. É também, uma região que conta com mais de 15 Ongs e projetos sociais, muitos deles com produções artísticas próprias, como as Ongs: “ Se essa Rua fosse minha”, Ação da Cidadania-Comitê Flamengo, Instituto Vivendo, Viva cazuza, Anjos com Visão, que terão tendas para mostrar seus trabalho.

O Objetivo é levar ao conhecimento do Público a produção cultural existentes nesses bairros, promovendo uma maior integração entre os artistas e a população, mostrando que os bairros de Laranjeiras e Cosme velho podem ser mais que bairros de passagem. Queremos promover uma semana de Cultura e Lazer, ampliando as possibilidades dos diversos setores.

SERVIÇO:
Local: Praça do Largo do Machado.
Dias: 20 a 22/ 27 a 29 de outubro (Sexta, Sábado e domingo)
Horário: das 10h às 22h.
Mais informações com a Célia Zanon, nos números: 21 99678-0712 // 21 2255-6271. E-mail: celialanoz@gmail.com | celiazanon1@globo.com
Acesse e saiba mais: https://www.facebook.com/lanozevents
Acompanhe a Lanoz nas redes sociais.

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj

Montagem de “Agosto" divide o palco do Teatro Ipanema em uma “múltipla espacialidade” que vai exigir uma visão ativa do espectador

Montagem de “Agosto" divide o palco do Teatro Ipanema em uma “múltipla espacialidade” que vai exigir uma visão ativa do espectador


Sucesso de público na temporada de estreia, “Agosto” (August: Osage County), do americano Tracy Letts, volta em cartaz no Teatro Ipanema, de 14 de outubro a 5 de novembro, sábados às 21h, domingos e segundas às 20h.

A peça mostra uma família disfuncional que se reúne depois que o pai desaparece, em um encontro de acerto de contas entre a mãe e as três filhas que escondem pequenos e amargos segredos, inclusive de seus maridos.

No papel de Violet, Guida Vianna retorna aos palcos em “Agosto” após três anos dedicados a produções audiovisuais, na televisão e no cinema. “Violet é uma mulher que vive numa situação limite, literal e metaforicamente falando”, analisa Guida. “Literal porque faz quimioterapia para um câncer de boca, e talvez sua morte esteja anunciada. Metaforicamente, porque sua família está se desmantelando: o marido sumiu, as filhas só esperam o funeral para partir, e a ela só restará permanecer sozinha aos cuidados de uma empregada que ela não conhece”.

Os principais conflitos de Violet são com a filha Barbara, interpretada por Letícia Isnard. “Violet guarda mágoa de Barbara porque ela não voltou para casa quando soube do seu câncer, mas voltou quando o pai desapareceu”, conta Guida. “É a filha preferida porque Violet a julga a mais inteligente e a mais parecida com ela, e os temperamentos parecidos levam as duas a
embates frequentes”.

Intérprete de Barbara, Letícia Isnard chama a atenção para como a semelhança com a mãe assombra sua personagem. “Ela luta para não ter o mesmo destino da mãe: a solidão, consequente de uma personalidade forte, acachapante e agressiva”, explica. “Romper com esse ciclo de infelicidade e violência é também um ato de amor”. Em crise com o marido, a filha adolescente, distante das irmãs e do pai, “Barbara é uma mulher forte, que está num momento de total desestabilização”, resume a atriz.

Se o destino das personagens é inevitavelmente trágico, isso não faz de “Agosto” uma tragédia. Tracy Letts usa recursos do melodrama, da comédia de costumes, das sitcoms da televisão norte-americana e do vaudeville, mantendo a unidade formal, a coerência interna e estética da sua obra.

A montagem de “Agosto” vai dividir o palco nos cômodos da casa em que se passa a história, em uma “múltipla espacialidade” que vai exigir uma visão ativa do espectador, avisa Paes Leme. “A ação passeia por todos os cômodos e a proposta do autor é que o espectador possa ver simultaneamente todos os ambientes”, diz Paes Leme. “Na nossa concepção, as cenas serão sobrepostas: a personagem que está num determinado ambiente estará exatamente ao lado de outra que ocupa outra área da casa. Gradativamente, as diferentes cenas vão convivendo no palco”.

Nascido em Tulsa, Oklahoma, Tracy Letts é um dos mais importantes autores norte-americanos vivos. Vencedor dos prêmios Pulitzer na categoria Melhor Drama e Tony na categoria Melhor Texto, “August: Osage County” estreou em Chicago em 2007, na montagem do Steppenwolf Theatre Company (companhia a que pertence Letts), encenada depois em Nova York e Londres, entre outras cidades e países. Em 2013, a obra inspirou o filme “Álbum de Família” protagonizado por Meryl Streep e Julia Roberts.

Serviço
“Agosto”
Texto: Tracy Letts
Tradução: Guilherme Siman
Direção e Adaptação: André Paes Leme
Direção de Produção: Andrea Alves e Maria Siman
Elenco: Guida Vianna, Letícia Isnard, Claudia Ventura, Claudio Mendes, Eliane Costa, Guilherme Siman, Julia Schaeffer, Márcio Vito, Marianna Mac Niven, Paulo Giardini, Lorena Comparato e Isabella Dionísio (revezando a personagem Jean Fordham)
Local: Teatro Ipanema, Rua Prudente de Moraes, 824, Ipanema (tel. 2267-3750)
Temporada: 14 de outubro a 5 de novembro, sábados às 21h, domingos e segundas às 20h
Ingressos: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia)
Venda na bilheteria de 4ª a domingo, das 14h às 22h ou pelo site https://ticketmais.com.br
Lotação do teatro: 222 pessoas
Classificação indicativa: 16 anos
Duração: 130 minutos
Gênero: Drama
Assista ao trailer de “Agosto” - https://vimeo.com/227655911/0db6ca0d54

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj

 

Musical “Dançando no Escuro” no Rio de Janeiro

Musical “Dançando no Escuro” no Rio de Janeiro



O musical “Dançando no Escuro” nasceu do desejo dos atores-produtores Juliane Bodini e Luis Antonio Fortes de trazer para o teatro a adaptação do premiado filme homônimo de Lars von Trier, estrelado pela cantora Björk, que também compôs todo o repertório musical da obra que expõe o drama de uma mulher com uma doença degenerativa que a leva à cegueira, seu desmedido amor pelo filho e as injustiças sofridas por ela. A adaptação para o teatro é do nova-iorquino Patrick Ellsworth, a única permitida pelo cineasta dinamarquês. Com os direitos comprados em 2015 o musical estreia dia 19 de outubro de 2017, no Teatro Sesc Ginástico, Centro do Rio de Janeiro.

A premiada atriz Dani Barros dirige esta montagem que conta com direção musical e arranjos do também premiado Marcelo Alonso Neves. As atrizes Juliane Bodini e Cyria Coentro interpretam as personagens que no filme de Lars von Trier foram de Björk e Catherine Deneuve. O elenco é composto por nove atores e atrizes cantores, que interpretam os principais personagens e outros menores, além de quatro músicos, dois deles cegos, um multi tecladista e um baterista, que tocam ao vivo a trilha sonora.

Com 5 musicais no currículo: “Rock in Rio - O musical”, “Cazuza, Pro dia nascer feliz - O musical”, “Cassia Eller - O musical” e “O beijo no asfalto - O musical”, todos dirigidos por João Fonseca, “Raul Fora da Lei”, dirigido por Roberto Bomtempo e José Jofilly, a atriz e cantora Juliane Bodini interpreta a protagonista de “Dançando no Escuro”. Em 2015, Bodini foi indicada ao Prêmio Bibi Ferreira como atriz coadjuvante por “Cassia Eller - O musical”.

– Este musical foi um enorme e prazeroso desafio. Lidar com as composições inusitadas e fora dos padrões de Björk e Sjón Sigurdsson e conviver com esses fantásticos músicos que justo por não terem o “dom” da visão, trouxeram suas sensibilidades musicais. Além do apoio dos músicos, nós procuramos produzir a partir do próprio elenco a sonoplastia, utilizando sucata de metal que em última instância reporta aos sons da fábrica em que Selma trabalha e tem seus devaneios. A utilização dos sons corporais como instrumentos também foi uma ferramenta importante na criação das atmosferas musicais. Esse espetáculo estará marcado para sempre em minha carreia musical. – Marcelo Alonso Neves, diretor musical

– Lembro-me da primeira vez que vi Dancer in the Dark. Eu nunca tinha visto nada parecido antes. Eu achei isso audaz, generoso e absolutamente implacável. Era de alguma forma cinemática e profundamente íntima. Embora houvesse um outro mundo, era o filme mais humano que eu já vi. Quando fui abordado pela primeira vez para adaptá-lo ao palco, fiquei excitado e aterrorizado. No meu mundo, Lars e Bjork são vacas sagradas, e eu sabia que eu tinha que matá-las para que a história vivesse no palco. No começo, pouco avancei. Contudo, encontrei-me perguntando uma e outra vez: “Se Selma pudesse falar, o que ela diria?” Foi então que percebi o quão fechado Selma é. Eu queria que ela se abrisse e fale. – Patrick Ellsworth, autor da adaptação teatral

– Em 2007, no reg 3 da CAL, o Paulo Afonso de Lima, meu professor na época, resolveu fazer esse musical como exercício da turma. Eu não conhecia o filme e assisti depois que ele disse que faríamos essa montagem. Ele me deu o papel da Selma e foi uma experiência muito bacana. Foi uma adaptação que ele mesmo fez e logo após a apresentação eu decidi que um dia faria essa peça profissionalmente. E cá estamos nós, eu e Luis Antonio Fortes, exatos 10 anos depois realizando este desejo. – Juliane Bodini, atriz e uma das idealizadoras do projeto.



Sinopse

A história de passa em 1964, nos Estados Unidos. Selma Jezková é uma imigrante tcheca que se muda para os EUA com seu filho Gene, um garoto de doze anos. Ela tem uma doença hereditária degenerativa que a faz peder a visão, algo que também vai acontecer com seu filho. Ao saber que nos EUA existem médicos que podem operar Gene, foi o suficiente para fazê-la imigrar para o país. Selma aluga um trailer na propriedade de Bill e sua esposa Linda, seus vizinhos, onde vive humildemente. Trabalha exaustivamente em uma fábrica com sua melhor amiga Carmen e guarda tudo o que ganha para a cirurgia que evite que seu filho sofra do mesmo destino. Mas quando Bill se vê em dificuldades financeiras rouba o dinheiro que Selma tinha economizado duramente. O roubo é o ponto de partida para trágicos acontecimentos.

Juliane Bodini e Luis Antonio Fortes idealizam musical com projeto de acessibilidade

Além do espetáculo teatral, o trabalho dos artistas envolvidos estará focado em movimentar, semear, articular e desenvolver um trabalho sério de acessibilidade dentro e fora do palco com equipe capacitada para atender o público com diversos tipos de deficiência, buscando não só o entretenimento cultural e sim um movimento de inclusão social.

– Transpor para o teatro essa obra cinematográfica tão marcante veio da vontade de abrir os olhos para o mundo, abordando assuntos tão pertinentes como preconceito, exclusão social e injustiça. E assim, tentar mudar os padrões e os vícios de uma sociedade onde a intolerância prevalece e o descaso nos envenena. É preciso enxergar o outro. Assim, escolhemos fazer um trabalho, um movimento, que permita que todo o público tenha acessibilidade dentro e fora do palco.” – Juliane Bodini e Luis Antônio Fortes, idealizadores do projeto

Ficha Técnica

Musical baseado no longa-metragem de Lars von Trier
Adaptação Teatral: Patrick Ellsworth
Tradução: Elidia Novaes
Direção: Dani Barros
Músicas Originais: Björk
Direção Musical e Arranjos: Marcelo Alonso Neves
Idealização: Juliane Bodini e Luis Antonio Fortes
Direção de Produção: Jéssica Santiago
Elenco: Juliane Bodini (Selma Jezková), Cyria Coentro (Carmen Baker), Luis Antonio Fortes (Jeff), Andrêas Gatto (Samuel), Greg Blanzat (Gene Jezková), Julia Gorman (Linda Houston), Lucas Gouvêa (Bill Houston), Marino Rocha (Norman) e Suzana Nascimento (Brenda Young)
Músicos: Vanderson Pereira (multi tecladista), Johnny Capler (baterista), Allan Bass (baixista) e Dilson Nascimento (multi tecladista)
Cenário: Mina Quental
Figurino: Carol Lobato
Iluminação: Felicio Mafra
Preparação Vocal: Mirna Rubim
Direção de Movimento: Denise Stutz
Aulas e Coreografia do Sapateado: Clara Equi
Preparação Corporal e Assistente de Direção de Movimento: Camila Caputti
Visagista: Marcio Mello
Versionista: Marcelo Frankel
Sonorização: Joyce Santiago
Assistentes de Direção: Rubia Rodrigues e Camila Caputti
Assistente de Visagismo: Roberto Santiago
Produção Executiva: Camila Santana
Assessoria de Imprensa: Ney Motta
Programação Visual: Daniel de Jesus
Fotos do Material Gráfico: Nana Moraes
Marketing Digital: Maria Alice
Marketing Cultural: TEM DENDÊ! Produções - Tamires Nascimento

Serviço

Dançando no Escuro”
Musical baseado no longa-metragem de Lars Von Trier
Adaptação Teatral: Patrick Ellsworth
Tradução: Elidia Novaes
Direção: Dani Barros
Direção Musical e Arranjos: Marcelo Alonso Neves
Sinopse: A tcheca Selma Jezková migra para os EUA com o filho Gene, que precisa operar os olhos para não perder a visão; trágicos acontecimentos cruzam seus caminhos enquanto Selma sonha com o mundo dos musicais.
Elenco: Juliane Bodini, Cyria Coentro, Luis Antonio Fortes, Andrêas Gatto, Greg Blanzat, Julia Gorman, Lucas Gouvêa, Marino Rocha e Suzana Nascimento
Músicos: Vanderson Pereira (multi tecladista), Johnny Capler (baterista), Allan Bass (baixista) e Dilson Nascimento (multi tecladista)
Local: Sesc Ginástico, Av. Graça Aranha, 187, Centro, Rio de Janeiro (tel. 2279-4027)
Temporada: 19 de outubro a 19 de novembro de 2017, quinta a sábado às 19h e domingo às 18h
Ingressos: R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (para jovens até 21 anos, estudantes e maiores de 60 anos), R$ 7,50 (Associados Sesc)
Bilheteria: terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Capacidade de público: 513 lugares
Duração: 120 minutos
Classificação: 14 anos
Drama Musical
Acessibilidade para pessoas com deficiência e assentos especiais
Audiodescrição e Libras aos domingos: 29/10, 5/11, 12/11 e 19/11

Agenda Cultural RJ - Produçao, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj

 



Comédia dramática “Violeta.Eu.Elas.Julieta.” em cartaz no Teatro Municipal Café Pequeno, atė 29/10

Comédia dramática “Violeta.Eu.Elas.Julieta.” em cartaz no Teatro Municipal Café Pequeno


Com adaptação e direção de Rodrigo Turazzi, Múltipla Cia Teatral apresenta o trágico desfecho amoroso do clássico Romeu e Julieta com muito humor e dinamismo.


Turazzi se junta às atrizes Carolina Alfradique e Duda Paiva traçando uma trajetória lúdica, através de encontros e desencontros.

Adaptada do clássico amoroso Romeu e Julieta, a peça “Violeta.Eu.Elas.Julieta.” é o novo trabalho da Múltipla Cia Teatral, do Rio de Janeiro, que volta aos palcos no dia 06 de outubro, no Teatro Municipal Café Pequeno (Leblon), com temporada até o dia 29 do mesmo mês. As sessões acontecem de sexta a domingo, 20h.


                  

Dirigida por Rodrigo Turazzi, a comédia dramática apresenta três atores que se revezam em uma espiral, dando vida a mais de 14 personagens para contar a história de amor entre o jovem casal de famílias rivais. Essa adaptação, de final trágico, caminha muito próximo à comédia física, redirecionando o olhar do espectador para Julieta, que enfrenta de forma passional, uma série de conflitos atuais.

Nessa releitura, a obra Shakespeariana torna-se pano de fundo para o enfrentamento da questão de como abordar o tema “feminino”. Com isso, Julieta revela-se o principal objeto de observação. De um lado Julieta, uma das personagens mais desejadas pela grande maioria das jovens atrizes, de outro, a paixão de jovens artistas pelo seu ofício na construção de uma trajetória.


Para Turazzi, artista multiplataforma, à frente da Múltipla Cia Teatral e de diversas realizações nas Artes Cênicas e Audiovisual, referenciar o amor de Romeu e Julieta é também trazer à tona, reflexões sobre o amor, a mulher e as relações afetivas contemporâneas com muito humor e dinamismo. Essa clássica história de amor atravessa o tempo e se mantém viva como uma potente forma de se olhar para os relacionamentos atuais. Turazzi agrega o diálogo sensível com os atores à dramaturgia rica, proposta por Shakespeare, em um trabalho de pesquisa continuada nas artes cênicas.

Na ficha técnica, profissionais renomados como a colaboradora e premiada atriz Helena Varvaki, o premiado iluminador Renato Machado, o figurinista expoente da nova geração, Tiago Ribeiro, Turazzi se junta às atrizes Carolina Alfradique e Duda Paiva traçando uma trajetória lúdica, através de encontros e desencontros.

Comédia dramática faz reflexões sobre o amor e a mulher nas relações afetivas contemporâneas, a partir do clássico Romeu e Julieta.


FICHA TÉCNICA
Texto original: William Shakespeare
Adaptação: Rodrigo Turazzi
Direção: Rodrigo Turazzi
Elenco: Carolina Alfradique, Duda Paiva e Rodrigo Turazzi
Colaboração artística: Helena Varvaki, Cirillo Luna
Iluminação: Renato Machado
Cenário: Rodrigo Turazzi
Figurino: Tiago Ribeiro
Trilha Sonora: Geraldo Côrtes
Produção: Turazzi Produções
Realização: Múltipla Companhia Teatral
Assessoria de imprensa: Minas de Ideias

SAIBA MAIS


SERVIÇO

Violeta.Eu.Elas.Julieta.

Estreia: Dia 6 de outubro

Local: Teatro Municipal Café Pequeno

Endereço: Av. Ataulfo de Paiva 269, Leblon

Telefone: 21 2294-4480

Horário de funcionamento: terça à sexta, de 16h às 20h, sábado e domingo, de 14h às 20h.

Não possui estacionamento.

Horários: Sexta-feira a domingo, 20h

Temporada: Até dia 29 de outubro

Capacidade: 80 lugares

Preço: R$ 30,00, R$ 15,00 (meia entrada*) *Concedida, mediante apresentação de documentos comprobatórios, a estudantes, professores, idosos, pessoas com deficiência.

Duração: 60 minutos

Classificação: 12 anos

Gênero: Comédia dramática

Foto: Miguel Pinheiro



Agenda Cultural RJ - Produção, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

Primavera Leste se inspira em Tom Waits, Lou Reed e Chico Buarque para narrar a história de uma professora sequestrada por alunos A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 19 a 29 de outubro de 2017

MINHA NOSSA CIA DE TEATRO APRESENTA COMÉDIA MUSICAL SARCÁSTICA NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO


Primavera Leste se inspira em Tom Waits, Lou Reed e Chico Buarque para narrar a história de uma professora sequestrada por alunos

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 19 a 29 de outubro de 2017, o espetáculo Primavera Leste, com montagem da MINHA NOSSA Cia de Teatro e direção de Dimis Jean Sores. A temporada inclui apresentações de quinta a domingo, às 19h, e tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

Primavera Leste é uma comédia musical com composições originais de Enzo Veiga, inspiradas em Tom Waits, Lou Reed e Chico Buarque. Criado a partir da dramaturgia homônima do carioca Diogo Liberano, o espetáculo propõe um pesadelo cômico que flerta com o drama e o absurdo a partir do mote "como escrever outra história".

Na trama, o escritor "mundialmente famoso na Itália" Vito Konigsberg apresenta seu novo livro, Primavera Leste, fruto de uma pesquisa de cinco anos em que o italiano se aventurou pelo Brasil em busca de respostas sobre o sequestro de uma professora de História da UFRJ. Ela indagou a seus alunos “como escrever outra história”, mas três deles, por não conseguirem responder à questão, sequestram-na e a torturam em busca da solução. A fim de tornar sua palestra menos enfadonha, o escritor convida a Trupe Maravilhosa do Teatro Brasileiro para representar o caso.

A dramaturgia expõe a pesquisa em tragédia de Diogo Liberano e o teatro niilista e extremamente visual do curitibano Dimis Sores, que se fundem com a investigação de problemáticas do indivíduo contemporâneo da MINHA NOSSA Cia. O resultado é uma obra teatral que se abre à eclosão de conflitos sociais latentes.

“O mundo não melhora, ele vive um ciclo eterno de coisas horrorosas, permeadas por uma ou outra coisa boa que nos ajudam a sobreviver. A diferença está apenas na banalidade da violência, pois a política continua idêntica, apenas com uma falsa e confortável sensação de democracia. Com a internet, a violência é a única coisa que se democratizou de fato. As pessoas matam para fazer stories no Instagram, por não terem seus posts curtidos”, afirma o diretor.

A temporada inclui, ainda, a oficina gratuita de interpretação Ficcionalização do Real e Autoficção, ministrada pelo diretor do espetáculo no dia 21 de outubro (sábado), às 14h. Serão oferecidas 20 vagas e as inscrições devem ser realizadas pelo e-mailoficinaminhannossarj@gmail.com .

Projeto Câmbio:

A montagem de Primavera Leste é a primeira etapa do Projeto Câmbio, proposição da MINHA NOSSA Cia. de Teatro de intercâmbio com artistas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Curitiba, que irão se alternar entre dramaturgia e direção, em três espetáculos com a companhia. O programa propõe, em síntese, a criação de peças a partir do diálogo de estéticas distintas, tendo por objetivos o encontro de alteridades como meio propulsor de produção e criação em arte, bem como o intercâmbio de experiências e formações artísticas, filosóficas, culturais e regionais. Os próximos espetáculos que compõem o projeto são O Leão no Aquário, do dramaturgo mineiro Vinícius Souza, com direção de Diogo Liberano; e Tendência ao Drama e ao Caos, de autoria de Dimis Jean Sores e com direção de Vinicius Souza.

A companhia:

A MINHA NOSSA Cia. de Teatro, de Curitiba, mantém constante pesquisa, desde 2009, evidenciando os múltiplos desejos artísticos de seus integrantes, que os contemplam no teatro e na performance. Sua heterogeneidade, no ponto de vista da formação dos membros que a compõem, fortalece o cultivo de um lugar poético de reflexão, crítica e criação artística enquanto mantém vivo o encontro das diferenças dos artistas que a configuram como (Minha) e (Nossa).

Atualmente é formada por Álvaro Antônio (músico, sonoplasta e artista gráfico), Erica Mitiko (iluminadora e cenógrafa), Felipe Custódio (figurinista, ator e produtor), Fernanda Perondi (atriz, performer e arte-educadora), Léo Moita (diretor, dramaturgo, ator e arte-educador), Moira Albuquerque (atriz, performer, contadora de histórias e produtora), Raul Freitas (iluminador e maquiador), Val Salles (ator e figurinista).

Teaser do espetáculo: https://youtu.be/HXTbJHK-QFM

Ficha técnica:
Direção Geral: Dimis Jean Sores
Texto: Vito Konigsberg, a partir de dramaturgia
homônima de Diogo Liberano
Elenco: Fernanda Perondi, Geisa Costa, Jeff Bastos,Léo Moita, Moira Albuquerque, Sávio Malheiros, Val Salles
Direção Musical, Composições e Preparação Vocal:Enzo Veiga
Assistência de Direção e Preparação Corporal: Val Salles
Iluminação: Raul Freitas
Assistente de Iluminação: Erica Mityko
Figurino: Val Salles
Costureira: Sindy Crespim
Cenografia: Erica Mityko
Adereços e efeitos especiais: Federico Konigsberg
Maquiagem: Andréa Tristão
Letras: Dimis Jean Sores, Diogo Liberano, Enzo Veiga
Design Gráfico: Álvaro Antonio
Produção Executiva: Maria Inês Gutiérrez
Produção Local: Clarissa Menezes
Assessoria de Imprensa: Lyvia Rodrigues – Aquela que Divulga
Fotógrafo: Lauro Borges
Realização: MINHA NOSSA Cia de Teatro; Girolê Produções

Serviço:

Primavera Leste
Data: de 19 a 29 de outubro de 2017 (quinta a domingo)
Horário: 19h
Duração: 80 min
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia
Lotação: 176 (mais 3 para cadeirantes)
Classificação indicativa: 12 anos
Acesso para pessoas com deficiência
Oficina Ficcionalização do Real e Autoficção, com Dimis Jean Soares
Data: 21 de outubro de 2017 (sábado)
Horário: 14h
Duração: 4 horas
Vagas: 20

Inscrições: Gratuitas pelo e-mailoficinaminhannossarj@gmail.com


Agenda Cultural RJ -  Produção, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

RACHEL LESSA FAZ SHOW DE LANÇAMENTO DO CD “PAZ NA PELE” NO THEATRO NET RIO NO DIA 23 DE OUTUBRO


RACHEL LESSA FAZ SHOW DE LANÇAMENTO DO CD “PAZ NA PELE” NO THEATRO NET RIO NO DIA 23 DE OUTUBRO

Nascida no interior da Bahia, cantora apresenta quatro canções inéditas em seu primeiro CD e recebe convidados especiais

No repertório do show, além de composições próprias, estão músicas inéditas de Thiago da Serrinha e Arlindo Cruz

No mesmo dia, o EP estará disponível para o público em plataformas digitais como iTunes, Spotify, YouTube entre outros.

A cantora baiana Rachel Lessa recebe amigos e convidados no show cênico “Paz na Pele”, que marca o lançamento de seu primeiro CD, com trabalho autoral, que conta também com canções inéditas de Thiago da Serrinha e Arlindo Cruz, no dia 23 de outubro, no Theatro NET Rio.

Em "Paz na Pele", a artista canta e conta um pouco de sua busca pela paz, começando dentro de si. “A paz da pele, do dia a dia, do movimento. A paz cheia de luz e cor, que está na natureza”, destaca a cantora. “que está na intimidade das relações amorosas e nas fraternas, que vem do silêncio, do coração acelerado de uma criança ao correr e da arte nos inspirando e salvando a nossa fé no amanhã”, conclui.

O show marca o lançamento do CD nas plataformas digitais. São quatro músicas inéditas: duas parcerias com o baiano Daniel Mã ("Paz na Pele" e "O seu lugar"), uma de Thiago da Serrinha ("Tudo me lembra você") e uma inédita de Arlindo Cruz (“Nunca Mais”), samba canção que conta com a participação de Leila Pinheiro.

No repertório do show, além das canções do CD, estão “Quintais”, de Gonzaguinha, “Maior é o mar”, de Marcos Lessa e Flavia Wenceslau, “Anima”, de Milton Nascimento, “Viramundo”, de Gilberto Gil e “Pão e Poesia”, de Moraes Moreira e Fausto Nillo.

Rachel também apresenta textos próprios e recita poemas de Patativa do Assaré, poeta popular e repentista brasileiro; Vinicius de Moraes, Paulo César Pinheiro e do jovem Kim Queiroz. A banda que acompanha a cantora é formada por Rafael dos Anjos (violão), Thiago da Serrinha (percussão) e Julio Florindo (baixo acústico)– trio que também assina a direção e os arranjos. O show conta ainda com a participação especial dos cantores Diogo Nogueira e Anderson Ventura, do flautista Rodrigo Abreu e do jovem violinista João Portugal. Os dançarinos Belisco e Carol Duarte e o ator Gabriel de Aquino também irão prestigiar o lançamento do EP com performances. O visagismo é de Marta Oliveira, cenário de Fábio Virgulino e a luz de Fernanda Mattos, o show tem direção Cênica de Maíra Kestenberg.

Nascida no interior da Bahia, Rachel descobriu as raízes da música brasileira no quintal de sua avó, compositora e seresteira. Entre as influências que guiam sua carreira, estão grandes intérpretes como Dolores Duran, Elizeth Cardoso, Zélia Duncan, Aurea Martins e Flavia Wenceslau. Bem como compositores da MPB como Ivan Lins, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Milton Nascimento.

Bacharel em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia, Rachel trabalhou no teatro com André Câmara, Pedro Vasconcellos, Fátima Toledo, Harildo Deda, Fernando Guerreiro entre outros. Em 2016, circulou com o espetáculo “Ninguém fala de Dolores” em que aprofundou a sua pesquisa da palavra, gesto e canto em cena.

SERVIÇO

RACHEL LESSA
Única apresentação
Segunda-feira, dia 23 de outubro, às 21h.
Local: Theatro NET Rio
Endereço: Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana.

Informações: (21) 2147-8060
Ingresso: 70,00 (inteira) 35,00 (meia)
Bilheteria: aberta diariamente de 10h às 22h

Agenda Cultural RJ - Produção, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs