Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

28 de mar de 2017

Com direção de Moacir Chaves, a comédia “Imagina esse palco que se mexe” reestreia dia 7 de abril, inaugurando o Espaço Cultural Casa de Baco, na Glória.



Considerado uma autoridade na transposição de textos não teatrais para o palco, entre eles “Sermão da Quarta-Feira de Cinzas” do Padre Antônio Vieira, estrelado por Pedro Paulo Rangel, “Inutilezas” de Manuel de Barros, com Bianca Ramoneda e Gabriel Braga Nunes, e mais recentemente “Imagina esse palco que se mexe”, atualmente Moacir Chaves está com a peça “Inutilezas” circulando nacionalmente enquanto “Imagina esse palco que se mexe” reestreia dia 7 de abril para uma temporada de quatro semanas que inaugura o novíssimo Espaço Cultural Casa de Baco, na Glória.



Sucesso de público e crítica especializada em duas temporadas consecutivas no Sesc Copacabana, indicado aos prêmios Shell e Cesgranrio na categoria Melhor Iluminacão, a mais recente montagem teatral do premiado diretor Moacir Chaves, “Imagina esse palco que se mexe”, parte de um lugar de experimento, do desenvolvimento de um método de trabalho a partir de uma ideia: Vamos falar da Física.


Falar da Física significa falar do sentido da vida e foi atrás disso que diretor e elenco, formado pelas atrizes Elisa Pinheiro, Karen Coelho, Luísa Pitta e Monica Biel, conversaram descontraidamente com o astrofísico João Ramos Torres de Mello Neto, professor titular da UFRJ, com uma importante carreira internacional. Nessas conversas, os episódios da vida de João, nascido em Cruzeiro do Sul, Acre, são atravessados por ideias e conceitos científicos com os quais ele se relaciona ao longo de sua trajetória profissional. Em sua fala, histórias de infância evocam o mecanismo de transmissão de ondas de rádio pela ionosfera; o ato de beijar alguém é associado às explosões que ocorrem no interior das estrelas; o mecanismo da visão é entendido a partir das propriedades físicas da água; o surgimento da internet vem à tona pelo caso de um cientista que, imerso na era da comunicação global, enfrenta dificuldades para trabalhar em uma universidade brasileira; e o próprio teatro serve como metáfora para a compreensão dos buracos negros e da curvatura do tempo-espaço. Assim foi se formando um texto muito bem humorado, que passa pelo elenco, como alguém que foi atingido pelo assunto. Desse processo surgiu a comédia “Imagina esse palco que se mexe”.

Saiba Mais


Ficha técnica
Direção: Moacir Chaves

Elenco: Elisa Pinheiro, Karen Coelho, Luísa Pitta e Monica Biel

Texto: Dramaturgia coletiva a partir de relatos do astrofísico João Ramos Torres de Mello Neto
Iluminação: Paulo César Medeiros
Figurinos: Inês Salgado
Direção Musical: Tato Taborda
Direção de Produção: Luísa Pitta e Monica Biel
Assistência de Direção: Francisco Ohana
Fotos de Divulgação: Bruna Thimotheo
Assessoria de Imprensa: Ney Motta

Serviço
Direção: Moacir Chaves
Elenco: Elisa Pinheiro, Karen Coelho, Luísa Pitta (stand in: Josie Antello) e Monica Biel.
Texto: Dramaturgia coletiva a partir de relatos do astrofísico João Ramos Torres de Mello Neto
Local: Espaço Cultural Casa de Baco
Rua da Lapa, 243, Glória, Rio de Janeiro. Tel.: (21) 3796-6191
Temporada: 7 a 30 de Abril. Sexta, sábado e domingo às 19:30h
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia entrada)
Capacidade de público: 30 lugares
Duração: 60 minutos
Classificação 12 anos
Comédia.


Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - Produção e Promoções de Eventos Culturais agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs