Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

26 de fev de 2015

“Nem mesmo todo o oceano” Estrelado pela Cia OmondÉ, drama histórico de Alcione Araújo, dirigido por Inez Viana, será apresentado nessa quinta-feira, às 19h, na Lona Herbert Vianna, no Complexo da Maré, e sexta-feira, às 20h, na Lona Sandra de Sá, em Santa Cruz, com ingressos gratuitos!!!



Em 2013 Inez Viana adaptou e dirigiu no palco principal do Espaço Sesc, em Copacabana, o espetáculo “Nem mesmo todo o oceano”, adaptação teatral do romance homônimo do escritor, dramaturgo e pensador Alcione Araújo. A peça conta os instantes que antecederam o golpe militar e os primeiros momentos da repressão, desvelando os “porões” da ditadura. Após a temporada de estreia o espetáculo foi apresentado em Juazeiro do Norte, Iguatu e Crato, cidades do Ceará, em Campina Grande na Paraíba, Belo Horizonte, participou da programação do Festival de Curitiba e do Tempo Festival, além de novas temporadas no Rio de Janeiro, sendo indicado ao Prêmio APTR na categoria Melhor Produção e ao Prêmio Questão de Crítica nas categorias Melhor Direção e Melhor Trilha Sonora. Em 2015, de 24 de janeiro até 18 de março, o drama será apresentado em 13 Lonas Culturais e Arenas Cariocas das Zonas Norte e Oeste da cidade, mais o Teatro Municipal Café Pequeno no Leblon, sempre com ingressos gratuitos. Nesta semana as apresentações acontecem, quinta-feira (26/2), às 19h, na Lona Cultural Herbert Vianna, no Complexo da Maré, e sexta-feira (27/2), às 20h, na Lona Cultural Sandra de Sá, em Santa Cruz, com ingressos gratuitos.

“Nem mesmo todo o oceano” levanta questões de ética e valores, contando a história fictícia de um médico recém-formado, desde a sua difícil infância de menino pobre no interior de Minas, os primeiros tempos de estudante vivendo em pensões no Rio de Janeiro, as decepções amorosas, as frustrações existenciais, a difícil sobrevivência em meio às feras do asfalto selvagem, enfatizando sobretudo o seu processo de perversão espiritual.

– Na peça fatos reais se misturam à ficção, nos trazendo imediata identificação de uma das mais agravantes e dolorosas épocas do nosso país, a era da inocência perdida –, comenta a diretora.

Na encenação de Inez Viana os atores da Cia OmondÉ: Leonardo Bricio, Iano Salomão, Jefferson Schroeder, Junior Dantas, Luis Antonio Fortes e Zé Wendell, se intercalam nos diversos personagens que compõem a trama, trajam figurino simples porém elegante e atuam com a liberdade do espaço vazio (não há cenário), com isso a diretora privilegia o ator, colocando-o como centro do espetáculo, valorizando o jogo teatral e a imaginação do espectador.

Assista o trailer: https://www.youtube.com/watch?v=yFvImq1euGs

A Cia OmondÉ surgiu, no final do ano de 2009, da vontade da diretora e atriz Inez Viana em formar um grupo com atores vindo de várias partes do Brasil, para o aprofundamento de uma pesquisa cênica, onde a diversidade, brasilidade e o diálogo com a cena mundial contemporânea (tendo como grande mentor o diretor inglês Peter Brook), fossem concomitantemente estudados. Trata-se de uma busca aos signos do teatro, infinitos se pensarmos na precisão de um gesto ou na magia do aparecimento de um objeto em cena, levando o espectador a ser cúmplice e não passivo, co-autor e não somente voyer do espetáculo. Atualmente, a Cia OmondÉ é formada por dois mineiros, um potiguá, um paraibano, um paranaense e cinco cariocas.

Produzido pela Fábrica de Eventos com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura / Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro através do Programa de Fomento à Cultura Carioca, “Nem mesmo todo o oceano” é um thriller contemporâneo dentro de um romance histórico.




SERVIÇO

Texto: Alcione Araújo
Adaptação e Direção: Inez Viana
Direção de Produção: Cláudia Marques
Elenco da Cia OmondÉ: Leonardo Bricio, Iano Salomão, Jefferson Schroeder, Junior Dantas, Luis Antonio Fortes e Zé Wendell
Classificação: 16 anos
Duração: 80 minutos
Ingressos: GRÁTIS
Sinopse: A peça conta os instantes que antecederam o golpe militar e os primeiros momentos da repressão, enfatizando o processo de perversão espiritual do ser humano.

26/2, quinta-feira, às 19h - Lona Cultural Herbert Vianna: Rua Ivanildo Alves s/nº, Nova Maré, Maré – tel. 3105-6815
27/2, sexta-feira, às 20h - Lona Cultural Sandra de Sá: Rua 12, quadra 219, Guandu 1, Santa Cruz – tel. 3395-1630
04/3, quarta-feira, às 20h - Arena Carioca Jovelina Pérola Negra: Praça Ênio s/nº, Pavuna – tel. 2886-3889
05/3, quinta-feira, às 20h - Arena Carioca Dicró: Parque Ari Barroso, Penha – tel. 3486-7643
11/3, quarta-feira, às 20h - Teatro Municipal Café Pequeno: Av. Ataulfo de Paiva 269, Leblon - tel. 2294-4480
12/3, quinta-feira, as 20h - Lona Cultural Carlos Zéfiro: Estrada Marechal Alencastro s/nº, Anchieta – tel. 3019-1654
13/3, sexta-feira, às 20h - Lona Cultural Terra: Praça Edson Guimarães s/nº, Guadalupe – tel. 3018-4203
18/3, quarta-feira, às 20h - Arena Carioca Chacrinha: Rua Soldado Elizeu Hipólito s/nº, esquina com Av. Litorânea, Guaratiba – tel. 3404-7980

Divulgação Cultural 
Agenda Cultural RJ Divulgação - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas 
Gabriele Nery (21)99676-9323 
 agendaculturalrj@gmail.com 
 INSTAGRAM AGENDA CULTURAL RJ Instagram

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs