Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

23 de fev de 2016

Um pedido de ajuda, um desabafo, Dois alunos da Escola Técnica Estadual Henrique Lage, filiada de Rede Faetec em Niterói (RJ) contam sobre as condições precárias que tem passado dentro da instituição.

Aluno Luca Rocha Moreira

Olá;

Gostaria de fazer uma denuncia a vocês para ser publicada pois
acredito que seja de interesse público de povo sobre educação e
estado: Estudo na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, filiada de
Rede Faetec em Niterói (RJ).

A unidade está passando por vários problemas sérios e o governo há
muito tempo não faz nada nem dá apoio para ajudar. Estão cortando as
verbas cada vez mais que seriam para materiais, professores,
manutenção e merendas.

Alunos do ensino médio como eu estou, estudam das 07h00min até as
18h20min direto e o lanche que deveríamos receber pra nós alimentar
duas vezes nesse período está cortado, sem falar que os professores e
funcionários só estão podendo almoçar se sobrar comida, coisa que até
para alguns alunos já está faltando, ainda mais os professores quase
não estão tendo esse privilegio já que o numero de estudantes do
ensino médio junto com o fundamental é gigante (passam dos 4.000).

Além disso, muitos funcionários estão sem receber seus salários e tem
alguns que nem o décimo terceiro de 2015 ainda não receberam.  Tanto
os alunos como os funcionários gerais estão em condições desumanas e
estão tendo que conviver com isso diariamente sete vezes por semana,
alguns até sábado estão nesse convívio.

A escola desde o ano passado ainda tem falta de papel higiênico nos
banheiros, sem gás no refeitório para o preparo do almoço, sem piloto
ou giz para os professores escreverem nos quadros e tendo que se virar
comprando ou trazendo de casa justamente o que a escola normalmente
deveria oferecer a eles, o que também tem atrapalhado muito o ensino e
as aulas com todas as turmas.

Estamos passando calor insuportável o dia todo, pois muitos aparelhos
de ar-condicionado instalado nas salas estão em péssimas condições de
uso e funcionamento, piorando até de tarde por causa do calor
insuportável da nossa localização que é na Rua Guimarães Junior, 182
no bairro do Barreto em Niterói. Esse problema sem contar também com
esse calorão normal do estado inteiro do Rio NE? Mais o nosso problema
já é de longas datas.

E além do mais, otimizaram as turmas todas e tem turmas que chegam a
mais de 60 alunos, já vimos turmas com 58 alunos. Isso está
atrapalhando muito e está sendo cada vez mais impossível a convivência
até pros próprios professores darem aulas, e a qualidade de ensino
está se perdendo com isso tudo.

Os alunos também estão sofrendo constantes ameaças de uma possível
greve com um final indeterminado, e isso está dando muito medo nos
alunos e fazendo que com as aulas e os conhecimentos que deveríamos
ter se atrasem o que prejudicam muito os estudantes.

Precisamos e contamos muito com a ajuda de vocês pois acreditamos que
só assim o nosso governo tomará vergonha na cara e seja pressionando
para ver o mau que estão fazendo em nosso pais, principalmente também
falando na educação e na economia.

Atenciosamente;
Aluno Luca Rocha Moreira.
Turma 1421


Maria Julia Cabral Antunes

Boa noite, meu nome é Maria Julia Cabral Antunes. Tenho 16 anos e estudo na Escola Técnica Estadual Henrique Lage, uma das unidades da rede FAETEC (Fundação de Apoio à Escola Técnica), situada no Barreto, Niterói. 
Toda a rede FAETEC está passando por vários problemas. Sofremos imensamente com o corte de verbas na educação. O governo cortou verba das merendas, e nós, alunos do Ensino Médio Integrado, que ficamos na escola em horário integral (de 7:00 horas Às 18:20 horas) ficamos sem os lanches (que já eram precários há mais de um ano)  nos horários de intervalo. A quantidade de alimento recebida nas escolas é tão pequena que alguns funcionários foram proibidos de almoçar e outros, podem almoçar somente se sobrar comida, o que quase nunca acontece por conta do grande número de estudantes. Muitos funcionários estão sem receber, e nem o décimo terceiro de 2015 foi pago. Estamos em condições desumanas. Sem papel higiênico, sem gás para cozinhar, sem pillot para que os professores escrevam no quadro. Passamos por muito calor, já que os aparelhos de ar condicionado funcionam muito mal. Também por falta de verba, estão lotando turmas. A minha, por exemplo, tem 48 pessoas (desrespeitando a Lei 597/2007, que limita turmas de Ensino Médio a 35 alunos por lecionador). Estamos quase sem aula devido a essas condições e também há a ameaça de uma greve, que não tem previsão para acabar! Em uma reportagem para o jornal "O Dia" (que pode ser acessada nesse link: http://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2016-02-19/alunos-e-funcionarios-da-faetec-podem-entrar-em-estado-de-greve.html) o presidente da FAETEC, Wagner Victer, negou todas as condições precárias e faltou com a verdade ao afirmar que as escolas estão agindo de acordo com as leis e que a alimentação nas unidades está garantida. Precisamos muito da ajuda da mídia, pois parece ser a única maneira de pressionar o governo para melhorias na educação.  Se buscarem pela #NãoTáNormalFAETEC, encontrarão problemas que outras unidades vêm enfrentando. Por favor não deixem que a greve chegue, estamos sendo muito prejudicados! Agradeço por sua atenção.

Maria Julia Cabral Antunes.


Apoio: Agenda Cultural RJ 
agendaculturalrj@gmail.com 
 #agendaculturalrj

  Instagram

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs