Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

30 de jul de 2016

12 Exposições com a cara do Rio! Entrada Franca!

GALERIA DA GÁVEA INAUGURA EXPOSIÇÃO COM FOTOGRAFIAS AÉREAS DO RIO DE JANEIRO EM AGOSTO

Em ‘O Rio Visto de Cima’, Ricardo Azoury e Luca Atalla fazem registros inusitados de paisagens marcantes do Estado do Rio de Janeiro



Às vésperas dos Jogos Olímpicos de 2016, a Galeria da Gávea inaugura uma mostra inédita em homenagem ao Rio de Janeiro. Composta exclusivamente por imagens aéreas da cidade-sede e arredores, a partir de ângulos raramente observados, ‘O Rio Visto de Cima’, de Ricardo Azoury e Luca Atalla, fica em cartaz de 1º de agosto a 30 de setembro.





Projeto A Arte do Rio ganha 16ª edição na Galeria H. Rocha, em Copacabana
A partir de 04 de agosto coletiva reúne obras inéditas de Benjamin Rothstein, Gilda Goulart, Sergio Ferreira, Solange Palatnik e Yolanda Freire



Os artistas Benjamin Rothstein, Gilda Goulart, Sergio Ferreira, Solange Palatnik e Yolanda Freire apresentarão esculturas e pinturas em diferentes técnicas na 16ª edição do projeto A Arte do Rio. A mostra coletiva, criada em 2000 pela curadora Celina Azeredo, reunirá 15 obras inéditas, a partir de 04 de agosto, na galeria H. Rocha, no Cassino Atlântico, em Copacabana.





CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE, curadoria de Marcio Doctors.

Na década de 1990, os artistas Waltercio Caldas, José Resende e Angelo Venosa enriqueceram a paisagem do Rio de Janeiro com a criação de esculturas de grande porte para importantes espaços urbanos da cidade. Vinte anos depois, o trio volta a atuar junto na cena carioca com a produção de trabalhos especialmente construídos para o Circuito de Arte Contemporânea do Museu do Açude.
Com inauguração no dia 31 de julho, as instalações estabelecem uma relação com a história da Floresta da Tijuca e vêm ampliar de forma permanente o rico acervo local, que conta com obras de outros nomes consagrados, como Iole de Freitas, Lygia Pape, Nuno Ramos, Helio Oiticica, Anna Maria Maiolino e Eduardo Coimbra. “É uma honra para o Museu do Açude receber essas novas peças pensadas por esses três gigantes da arte brasileira”, comemora Vera de Alencar, diretora dos Museus Castro Maya.



  Exposição
''MEMÓRIAS DO ESPORTE''
De 27/07 a 25/09 no
Centro Cultural Correios

A partir do acervo da Federação Internacional de Cinema e Televisão Esportivos (FICTS), avalizada pelo Comitê Olímpico Nacional (COI), e de coleções brasileiras, os curadores J. C. Soares e J. J. Soares editaram 30 vídeos que compõem uma  incursão por registros raros e inéditos de manifestações esportivas pelo mundo, de 1896 até hoje.




Adriano Mangiavacchi comemora 75 anos com exposição em homenagem ao Rio.
Artista faz referência às Olimpíadas e às paisagens naturais da cidade em individual na Galeria Patricia Costa

Desde quando “descobriu” o Brasil, no início da década de 1970, o italiano Adriano Mangiavacchi se encantou pelas belas paisagens cariocas. Instalou-se no Rio de Janeiro, formou família, se dedicou à arte e participou de diversas exposições por aqui e no exterior. Em 2016, ao completar 75 anos de vida e 35 de carreira, decidiu fazer uma homenagem à cidade que o acolheu e apresenta a individual Mangiavacchi – Anéis no Rio, a partir de 26 de julho, na Galeria Patricia Costa, em Copacabana.


Paço Imperial - IMS apresenta a exposição O Paço, a praça e o morro no Paço Imperial


De 24 de junho a 28 de agosto, o IMS expõe fotografias do seu acervo no Paço Imperial (praça XV de novembro, 48, Centro), no Rio de Janeiro. A exposição O Paço, a praça e o morro é composta por 200 imagens de grandes mestres da fotografia brasileira, como Marc Ferrez, Augusto Malta, Georges Leuzinger, Guilherme Santos, além de fotógrafos anônimos e amadores que registraram o centro da cidade entre os anos de 1860 e 1930, período em que o Rio foi capital do Império e da República. Esta mostra é um desdobramento da exposição Rio: primeiras poses, realizada pelo IMS ao longo de 2015 em seu centro cultural na Gávea (RJ), agora com um olhar dirigido especificamente ao território onde a cidade nasceu e a partir do qual se desenvolveu.



O TRIUNFO DA COR - EXPOSIÇÃO COM OBRAS DE 32 ÍCONES DO MOVIMENTO IMPRESSIONISTA, EM CARTAZ NO CCBB - De 20.07 a 17.10.2016. Entrada Franca.

O triunfo da cor. 
O pós-impressionismo: obras-primas do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie.

A exposição apresenta 75 obras de 32 artistas que, a partir do fim do século XIX, buscaram novos caminhos para a pintura. O grupo  formado por ícones do movimento impressionista, como Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézanne, Seurat,  Matisse, recebeu do crítico inglês Roger Fry a designação de pós-impressionista, por promoverem uma nova linguagem estética, baseada no uso intenso da cor. Curadoria de Pablo Jimenez Burillo, Guy Cogeval e Isabelle Cahn.





Anna Bella Geiger abre sua “Gaveta de memórias” no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto com entrada gratuita

Rubber Seabra.

Uma das mais importantes artistas plásticas brasileiras em atividade, 
Memórias de 84 anos de vida e seis décadas de carreira na mostra que será aberta no dia 22 de julho no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto com entrada gratuita.




Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro recebe a exposição
“Os Jogos da Antiguidade | Grécia e Roma”
Abertura para o público 27 de julho de 2016.

De 27 de julho a 02 de outubro o Museu Nacional de Belas Artes/ Ibram/ MinC recebe a exposição “Os Jogos da Antiguidade | Grécia e Roma”. 

Com curadoria de Eugenio La Rocca (professor de Arqueologia Clássica da Universidade Sapienza, em Roma) e co-curadoria de Annalisa Lo Monaco (historiadora formada pela Universidade de Pisa, na Itália), a mostra exibe obras que enfocam a história dos Jogos Olímpicos na Grécia e em Roma.

Com obras de grandes museus italianos, a exposição exibe esculturas que representam atletas, objetos usados por eles, ânforas e mosaicos que retratam cenas esportivas. São cerca de 50 obras, algumas com mais de 2.500 anos de idade. O visitante pode ver de perto importantes obras milenares, além de entrar em contato com recentes descobertas arqueológicas.



DEBRET E A MISSãO ARTíSTICA FRANCESA NO BRASIL 200 ANOS


Por ocasião do bicentenário da chegada da Missão Artística Francesa no Brasil, os Museus Castro Maya apresentam  no Museu da Chácara do Céu uma exposição baseada  em seu excepcional acervo  de desenhos e aquarelas  de Jean-Baptiste Debret.

A exposição reúne cerca de 75 obras de autoria do artista, selecionadas pelo curador Jacques Leenhardt, diretor de estudos da Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales, responsável pela re-edição moderna da Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, obra de Jean-Baptiste Debret publicada originalmente na França em 1839.






CIDADE DAS ARTES E PLATAFORMA JACARANDA CELEBRAM PARCERIA COM A EXPOSIÇÃO “CIDADE JACARANDA”


Mostra em exibição de 23 de julho a 25 de setembro marca início de calendário
expositivo do coletivo de artistas no complexo cultural

A Cidade das Artes recebe, a partir de 23 de julho, a exposição “Cidade Jacaranda”, com obras de Carlos Vergara, José Bechara, Afonso Tostes, Daniel Senise, Iole de Freitas, Vicente de Mello, Raul Mourão, Beth Jobim, Vik Muniz, Angelo Venosa, Paulo Vivaqua e Cabelo. A mostra, que fica em cartaz durante todo o período dos jogos Olímpicos e Paralímpicos, até o dia 25 de setembro, celebra o início da parceria entre a plataforma Jacaranda e a Cidade das Artes, com o objetivo de promover um panorama relevante da arte contemporânea brasileira.



Exposição “A Emergência do Contemporâneo: A Vanguarda no Japão, 1950-1970”
Mostra traz obras de Yoko Ono, Yutaka Matsuzawa, Mitsutoshi Hanaga, Katue Kitasono, Seiichi Niikuni, Tatsuo Ikeda e Hiroshi Nakamura, além dos coletivos Gutai, Hi-Red Center e Jikken Kobo



A Fundação Japão e o Paço Imperial do Rio de Janeiro promovem, de 14 de julho a 28 de agosto, a exposição “A Emergência do Contemporâneo: A Vanguarda no Japão, 1950-1970”, com curadoria de Pedro Erber e colaboração de Katsuo Suzuki, curador do Museu Nacional de Arte Moderna de Tóquio. A mostra apresenta, pela primeira vez no Brasil, o panorama da arte de vanguarda no Japão, de 1950 a 1970, e enfoca artistas cujas reflexões e práticas marcaram a transição da pintura ao objeto tridimensional, a performance e a arte conceitual. A exposição reúne fotografias, filmes e documentos históricos.





Apoio: Agenda Cultural RJ
Divulgamos espetáculos, shows, filmes,  festivais, exposições e muito mais!
Divulgação Cultural, Mídia Online, Distribuição de Filipetas e Colagem de Cartazes.
Solicite um orçamento!
Contato:
Gabriele Nery
agendaculturalrj@gmail.com
 #agendaculturalrj





Instagram

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs