10 de out. de 2017

Cidades Criativas: projeto Espaço Sideral interage com as intervenções urbanas na terceira edição Oficinas, debate, masterclass



Para quem deseja saber como a tecnologia pode mudar o dia a dia de pessoas agirem e se situarem como cidadãos, esta é uma boa oportunidade. Através de intervenções urbanas (que vai desde harpa de luz e conteúdo digital até instalação de provedores de internet comunitários), a ocupação multimídia Espaço Sideral, que une arte, cultura independente e tecnologias, volta ao Centro Cultural Banco do Brasil nos dias 14 e 15 de setembro. Para esta terceira edição o tema será Cidades Criativas. Os debates, as oficinas, a masterclass e o pocket show com Negro Léo e Felipe Neiva acontecerão na sala 26, no 4º andar. A entrada é gratuita, com senhas disponibilizadas uma hora antes dos eventos.

Segundo o curador Victor Belart, em setembro teremos uma reflexão sobre a tecnologia na vida das grandes cidades exemplificando de que forma as iniciativas autônomas podem criar um ambiente urbano mais democrático e criativo. “As atividades são focadas na perspectiva da intervenção em espaços coletivos das cidades, seja através do mapping, da música de rua ou do empoderamento digital nas periferias”, completa.

No dia 14, as oficinas terão como base como se utilizar a iluminação em diferentes vertentes com leds e a criação de harpas de luz utilizando programas de computador, com Isis Passos, Bruno Queiroz e o artista plástico Caio Chacal. No mesmo dia, haverá debate sobre Intervenções Urbanas Criativas com Marlus Araújo, do projeto Bicicletorama (um jogo de corrida que usa a dualidade entre virtual e real, móvel e estático mostrando o conflito existente nas entre bicicletas e automóveis), e Bruno Freitas, da Coolab (laboratório cooperativo de redes livres), que irão falar sobre a transformação cultural a partir da instalação de provedores de internet comunitários dentro das periferias.

Para o dia 15 o Espaço Sideral traz a Masterclass com Carlos Oliveira da empresa SuperUber, que entre os trabalhos estão conteúdo digital para o Frost Science Museum, em Miami, e projeções na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos Rio 2016, entre outros. O evento termina com o pocket show com os músicos Negro Léo e Felipe Neiva, com direito a um vídeomapping ao vivo durante a apresentação produzido por Alberto Harres e Carlos Oliveira.


Pogramação SETEMBRO

Tema : CIDADES CRIATIVAS
14/09 (quinta-feira)


13h-14:30h: OFICINA 1 – Controlando Leds utilizando Ableton Live e Arduino – com Isis Passos e Bruno Queiroz

16h-17:30h: OFICINA 2 – Criando uma Harpa de Luz utilizando Scratch e Arduino – com Caio Chacal


18:30h: Debate Intervenções Urbanas Criativas – com Marlus Araújo (Bicicletorama) e Bruno Freitas (CooLab) conversam sobre cidades interativas e transformação cultural a partir da instalação de provedores de internet comunitários nas periferias.

15/09 (sexta-feira)

17:30h: Masterclass VideoMapping e democracia disruptiva - Masterclass com Carlos Oliveira (SuperUber) sobre as diferentes aplicações do mapping como recurso para intervenções artísticas e culturais nas cidades.

19:30: Pocket Show: Negro Leo + Felipe Neiva com Videomapping ao vivo com Alberto Harres e Carlos Oliveira.


Para OUTUBRO:

Tema: EMPODERAMENTO DIGITAL

12/10 (quinta-feira)


13h-14:30h: OFICINA 1 – Mapeamento e Visualização de dados – com Igor Abreu


16h-17:30h: OFICINA 2 – Empreendedorismo Digital – com Isis Py Ladies


18:30h-20:30h - Debate: Mapeamento de Dados e Transformação Cultural – Sil Bahia (OLABI/Afroflix) e Clara Sacco (Data Labe Maré) conversam sobre a importância de iniciativas de inclusão sociocultural e o reconhecimento de territórios por meio da visualização de dados.

13/10 (sexta-feira)


17:30h: Master Class Faça sua própria turnê - Masterclass com Vitor Brauer e Jonathan Tadeu sobre o uso de diferentes dispositivos digitais para viabilizar uma turnê de forma independente, desde a produção musical das faixas até o merchandising, o registro e a difusão do trabalho.


19:30: Pocket Show: Victor Brauer + Jonathan Tadeu + Nathanne Rodrigues.

Sobre o projeto

Desde agosto o projeto Espaço Sideral vem ocupando o quarto andar do CCBB mostrando alternativas reais que usam tecnologia a serviço da cultura. A programação foi pensada para um público da era pós-digital e que é realizada, em boa parte, por eles mesmos, representados por artistas e profissionais autônomos, que lidam com a modernidade do seu tempo - não por acaso, a premissa do projeto é Tecnologia e Autonomia. Ainda teremos a quarta edição com o tema Empoderamento Digital (dias 12 e 13 de outubro). “Discutir sobre o pós-digital é uma demanda contemporânea nesse tempo em que a intersecção do digital com o real requer novos posicionamentos da sociedade. O projeto Espaço Sideral propõe reflexões sobre as possibilidades oferecidas pela tecnologia no que diz respeito à empreendedorismo, produção e distribuição de conteúdo culturais", avalia Fábio Cunha, Gerente Geral do CCBB Rio.

(Em tempo: A era pós-digital explica-se pela presença da tecnologia digital hoje ser tão ampla e onipresente que, na maior parte do tempo, nem notamos que ela está lá, atualmente não há diferença entre mundo digital e mundo real, entre on e offline. Está tudo junto.)

A ideia do Espaço Sideral foi nascendo à medida que seus integrantes produziam seus projetos, em vários coletivos e movimentos que atuam nas diferentes zonas da cidade do Rio de Janeiro e que têm como premissa a ocupação de espaços públicos, no melhor estilo “faça você mesmo”. ”Quermesse”, “Faz na Praça”, “Viaduto Laranjeiras”, “Festival Intersessão”, “Rádio Libertá” e “Subsolo” são alguns dos movimentos que foram referência para o Espaço Sideral. O norte utilizado pela equipe foram as artes visuais, as novas sonoridades e experimentações da música independente e o creative coding.


“Pela primeira vez, vários desses produtores e artistas estão atuando dentro de um espaço cultural institucional, entendendo o ambiente do CCBB como espaço público e democrático que também deve ser ocupado e ressignificado”, diz Victor Belart, coordenador de comunicação.

“Desejamos mostrar, de forma prática e lúdica, que a criação e a difusão de serviços e produtos culturais e artísticos se tornam acessíveis na sociedade da informação que vivemos hoje, não sendo necessários investimentos de alto custo, mas criatividade, conectividade em redes, acesso ao conhecimento e empoderamento digital”, finaliza a coordenadora do projeto Gisele Andrade, da produtora Iluminura Ideias e Ideais.


Serviço:
Projeto Espaço Sideral
Local: Centro Cultural Banco do Brasil
Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 - Centro - 20010-000 / Rio de Janeiro (RJ)

(21) 3808-2007 | ccbbrio@bb.com.br
Funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h.
Datas: de 13 de julho a 13 de outubro (quintas e sextas)
Terceira edição – Cidades Criativas: 14 e 15 de setembro
Horário do show dia 15: 19:30
Horários: consultar programação
Entrada Gratuita, senhas distribuídas 1 hora antes
Lotações: 90 lugares (sala 26)
Horários da Bilheteria: Das 9h às 21h. (tel.: 3808-2052)
Classificação: 12 anos
Acesso para pessoas com deficiência: Sim
Patrocínio: Banco do Brasil
Realização: CCBB
Programação completa: http://www.bb.com.br/portalbb

INFORMAÇÕES AO PÚBLICO
SITE: www.bb.com.br

Twitter: twitter.com/CCBB_RJ

Facebook: www.facebook.com/CCBB.RJ

Email: ccbbrio@bb.com.br
Site para venda de ingressos: http://www.eventim.com.br

Agenda Cultural RJ - Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha lista de blogs