4 de out. de 2017

Entre 4 e 7 de outubro, FESTU promove “Mostra de Competitiva” com 27 esquetes do Rio, Brasília, Curitiba, Niterói e Salvador, no Teatro Sesi Centro, com entrada franca Produções universitárias concorrem em 10 categorias. Grande vencedor terá patrocínio para montar espetáculo no Festival de Curitiba 2018

Entre 4 e 7 de outubro, FESTU promove “Mostra de Competitiva” com 27 esquetes do Rio, Brasília, Curitiba, Niterói e Salvador, no Teatro Sesi Centro, com entrada franca

Produções universitárias concorrem em 10 categorias. Grande vencedor terá patrocínio para montar espetáculo no Festival de Curitiba 2018



Última etapa do FESTU – Festival de Teatro Universitário, a concorrida Mostra Competitiva Nacional vai movimentar o Teatro SESI Centro de 4 a 7 de outubro com 27 esquetes do Rio, Brasília, Curitiba, Niterói e Salvador, que disputam em dez categorias: Ator, Atriz, Cenografia, Direção, Direção de Movimento, Esquete, Esquete pelo Júri Popular, Figurino, Iluminação e Texto Original. O grande vencedor, escolhido por um júri formado por nomes como Karina Ramil, Mariana Cerrone, Malu Falangola e Paulo Verlings, recebe um patrocínio de R$ 40 mil para montar um espetáculo que já tem sua participação garantida no Festival de Curitiba em 2018. Este ano, 152 montagens, de sete estados, foram inscritas na competição.

Com entrada franca, o público pode acompanhar todas as apresentações e votar na melhor (esquete pelo voto popular). As seletivas acontecem entre quarta e sexta-feira e, a cada dia, nove montagens são apresentadas a partir das 19h. A grande final será no sábado, dia 7/10, a partir das 17h, com oito esquetes escolhidas pelo júri, além da cerimônia de premiação.


Os 27 esquetes selecionados para a Mostra Competitiva Nacional:

“Ab-reação” (DF – UnB)

“Cálculo ilógico” (RJ – UNIRIO | CAL)

“É sobre você também” (RJ – UCAM)

“Eu é!” (RJ – PUC |UNIRIO)

“Família Berklyn drags” (RJ – UNIRIO)

“Império de anjos” (RJ – UNIRIO)

“Mandacaru - chove aqui dentro” (RJ – UNIRIO)

“Manifesto falo pela minha diferença ou a vida é como se me batessem com ela” (RJ – PUC)

“Anamnese” (RJ – UNIRIO)

“Androginóides” (RJ – UNIRIO)

“Baldes” (RJ – PUC | UNIRIO | CAL)

“Barriga” (RJ – UFRJ | PUC | Escola de Atores Wolf Maya)

“Brihana a poetisa” (RJ – UNIRIO)

“Caixa dágua” (RJ – UFRJ | CAL | PUC | UERJ)

“Cena? que cena?” (BA – UFBA)

“Coaching” (RJ – UERJ | CAL | PUC | UNIRIO | Tablado | UFRJ | Escola de Atores Wolf Maya)

“Homenagem à burocracia” (RJ – UNIRIO)

“O abajur” (RJ – UNIRIO)

“O caderno rosa de Lori Lamby” (RJ – PUC)

“O conhecimento que nasce do fogo” (RJ – UFF)

“O povo, o rei e o bufão do rei” (RJ - UNIRIO | UFRJ | Martins Penna)

“OFFSHORE: Afastado da costa” (RJ – UNIRIO)

“Richard Eletric” (RJ – UNIRIO)

“Shakespeare, o musical: A cena da sacada” (RJ - CAL | UNIRIO)

“Talvez não seja possível escrever algo a mais” (PR – PUC)

“Teu cadáver violeta” (RJ – UNIRIO)

“Veneno pra dois” (RJ – UNIRIO | PUC)


SERVIÇO:

De 4 a 7/10 – Mostra Nacional Competitiva

Local: Teatro SESI.

Endereço: Rua Graça Aranha, 1 – Centro.

Informações: (21) 2563-4164.

Horário: de quarta a sexta, às 19h. Sábado, às 17h.

Duração: 2h30min.

Entrada franca.

Lotação: 250 lugares.

Bilheteria: De terça a sábado, das 12h às 20h.

Classificação: Livre.

DE 4 A 7/10 – MOSTRA COMPETITIVA

4/10 – QUARTA-FEIRA – 19h

“Shakespeare, o musical: A cena da sacada” (RJ – CAL | UNIRIO)

Sinopse: Hamlet e Ofélia estão apaixonados. Eles se encontram na sacada e resolvem, por uma noite, serem Romeu e Julieta. Uma noite de muito amor e risadas num musical que brinca com os limites do melodrama. Texto: Gabriel Contente. Elenco: Gabriel Contente e Nina Faria. Iluminação e Figurino: Júlia Faria. Cenografia: Nina Faria. Direção: Vitor Novello.

“Teu cadáver violeta” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: Uma atmosfera quente e acolhedora, como o útero da mãe, vai se transformando em um ambiente frio e inóspito. Duas atrizes dividem o mesmo papel, uma menina reprimida por sua complicada relação com a mãe, sob dois pontos de vista, além de interpretarem as impressões que os outros personagens têm da garota. Elenco: Dora Freind e Luana Valentim. Iluminação: Gabriel Prieto. Direção: Julianna Firme.

“Eu é!” (RJ – PUC | UNIRIO)

Sinopse: Uma história com diversas mudanças de tempo e espaço que explora a força da palavra e o trabalho físico e vocal da atriz. Texto: Maria Clara Parente, Tiago Herz e Vitória Fallavena. Elenco: Vitória Fallavena Theisen. Trilha Sonora: Leonardo Banchik Israel. Iluminação: Akauã Santos. Figurino e Nenário: Renata da Silva Mota. Direção: Maria Clara Parente e Tiago Herz.

“Mandacaru - Chove aqui dentro” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: As desigualdades, a seca e a riqueza cultural do nordeste brasileiro. Por meio do teatro gestual, da música e da sonorização produzida pelo jogo de cena, a montagem traz um olhar de esperança ao apresentar o nascimento da flor do mandacaru, que representa a chegada da chuva. O empoderamento da mulher brasileira, sobretudo nordestina, é um dos destaques do esquete. A protagonista, Mandacaru, traz consigo as riquezas e as mazelas de seu habitat, carregando uma analogia entre a flor do cacto e a hidrocefalia. A montagem convida o público a refletir sobre as doenças da humanidade: ambição, poder, opressão e miséria. Texto: Beatriz Freitas. Elenco e direção: Beatriz Freitas e Maitê Coropos.

“Manifesto falo pela minha diferença ou a vida é ou como se me batessem com ela” (RJ – PUC)

Sinopse: A montagem se apropria do manifesto “Falo pela minha diferença”, do autor chileno Pedro Lemebel, em uma partitura sonora que acompanha indagações universais do eu lírico. Elenco e Direção: Aron Costa. Iluminação: Gean Alves. Som: Marden Alves.

“OFFSHORE: afastado da costa” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: Misturando realidade e ficção, o esquete apresenta questões sobre ausência do pai e sobre as mulheres socialmente obrigadas a seguir a maternidade solo. Por meio de relatos pessoais das atrizes, que se mesclam com ficção, cria-se uma personagem, uma fotógrafa que acaba de sair do velório do pai com as suas cinzas e chega ao seu laboratório, onde revela seu trabalho. É nesse ambiente que o espaço cênico é estruturado, com lembranças e flashbacks que constroem e desconstroem imagens e circunstâncias. Elenco: Júlia Bravo e Lívia Bravo. Preparação Corporal e Direção de Movimento: Jonyjarp Pontes. Cenografia: Rahira Coelho. Produção: Samia Oliveira. Iluminação: Ricardo Rocha. Direção: Wellington Fagner.

“Família Berklyn Drags” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: Em cena, cinco Drag Queens costuram histórias autorais de opressão vivenciadas por elas em algum momento. Elas confessam seus maiores desafios e relevam como transformam em arte as variáveis manifestações de Drag Queen. Elas apresentam suas individualidades para denunciar a sociedade machista, desconstruir padrões e gritar por liberdade de expressão. Elenco: Brian Felipe (Brihana Berklyn), Demilson Santana (Dand ara Berklyn), Juliana Farias (Rita Berklyn), Paulo Cesar (Paolla Berklyn) e Pedro Lopes. Iluminação: Danilo Couto de Avilez. Som: Sol Targino. Dramaturgia: Brian Felipe (Brihana Berklyn). Direção: Paulo Cesar (Paolla Berklyn).

“Ab-reação” (DF – UnB)

Sinopse: Uma ponte entre a cena e os mistérios da psiquê, o esquete carrega consigo não só o desejo de experimentação da atriz em cena, como também apresentar o universo da saúde mental. A proposta abrange vários lugares do inconsciente: uma ação se desdobra outra completamente inesperada. A pesquisa foi realizada em parceria com o instituto de psicologia da Universidade de Brasília. Elenco: Bruna Martini. Iluminação: Luisa L'abbate.

“Império de anjos” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: Primeiro trabalho do grupo Panela Teatral, o esquete mescla dramaturgia, canto e dança em questões afirmativas da identidade negra e da cultura afro-brasileira. Aborda questões sociais e raciais que por muito tempo foram julgadas como inexistentes para buscar uma reflexão e empoderamento do negro na sociedade. Elenco: Fernanda Carvalho, Graciana Valladares, Jailton Maia, João Nazaré, Thayane Abreu, Vitor Oliveira e Wallace Cardoso.

5/10 – QUINTA-FEIRA – 19h

“É sobre você também (RJ – UCAM)

Sinopse: Minutos antes de seu casamento, uma noiva tem ondas de loucura e de lucidez enquanto discorre sobre pontos de sua vida e questões feministas. Elenco: Júlia Portes. Direção: Fernanda Alice.

“Caixa d´água” (RJ – UFRJ | CAL | PUC | UERJ)

Sinopse: Uma metáfora de um relacionamento abusivo em todos os seus estágios. Cada uma das personagens simboliza uma fase: uma delas, Julia, está lá há muito tempo e já não consegue mais discernir sobre a situação. Dora percebeu em algum momento passado que algo ali não estava saudável e saiu, mas, ao se sentir sozinha, decide voltar ao lugar do abuso, onde a cena se passa. E Alice, que acaba de chegar, muito ansiosa pela experiência do namoro, se decepciona logo de cara. Esse é o divisor de águas da história. Elenco: Alice Milagres, Dora de Assis e Julia Freind. Texto e Cenário: Alice Milagres, Dora de Assis, Julia Freind e Lara Coutinho. Figurino: Dora de Assis. Iluminação: Victor Vasconcellos. Direção e Direção de movimento: Lara Coutinho.

“Androginóides” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: Chegou o tempo que tudo virou questionamento. Chegou o tempo do ser humano se posicionar, mostrar seu talento. Já não nos encaixamos em padrões. Somos únicos, e isso é revolução. Voz pro povo, voz pro indivíduo! Liberdade para ser quem se quer, sem ser reprimido. Aos opressores, agressores, violentadores: basta! As luzes estão acesas, pode-se bem enxergar. Quem não respeitar o outro, não passará!” Elenco: Alice Heusi e Walace Pinheiro. Iluminação: Manuel Figueiredo. Direção: Wellington Oliveira.

“O abajur” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: A amarga realidade de personagens marginalizadas. Com uma linguagem brutal, o esquete apresenta um universo de violência e opressão, retratando o submundo da sociedade brasileira num ambiente onde a vida parece não ter valor algum. Elenco: Julia Drummond, Juliana Cardoso, Juliana Thiré e Wesley Cabral. Iluminação: Akauã Santos. Direção e Dramaturgia: Juliana Cardoso.

“Anamnese” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: Como estabelecer uma relação com alguém na era dos aplicativos? “Anamnese” é um conto contemporâneo em que a autobiografia e a ficção se misturam. Um garoto encontra um rapaz e tem suas ideias todas bagunçadas após a partida desse possível amor. É a tentativa de preencher vazios com afeto, de lidar com a espera e com a noção de tempo. No palco, o ator se alterna entre personagem e narrador, entrando no espaço dramático para participar da ação e, em seguida, sair dele e comentar. Elenco, Texto, Trilha Sonora e Direção: Pablo Pêgas. Figurino e Caracterização: Tainá Lasmar. Iluminação: Akauã Santos. Preparação Corporal: Gabriel Nogueira. Registros: Julia Viana. Direção de Movimento: Beatriz Galhardo.

“Veneno pra dois” (RJ – UNIRIO | PUC)

Sinopse: Uma pessoa em um palco vazio. A confusão de sua casa é transpassada em seu corpo. Texto: Maurício Veilinger. Elenco: Luana Valentim. Iluminação: Gabriel Prieto. Direção: Julianna Firme Rio.

“Cena? Que cena?” (BA – UFBA)

Sinopse: O esquete brinca com os clichês do universo teatral e, a partir da uma narrativa metalinguística, provoca diferentes reflexões sobre a própria criação artística e sobre o ofício do ator. Em uma única noite, numa sala de ensaio, dois amigos atores decidem montar uma cena curta, sem qualquer ideia ou motivação que não fosse a própria vontade de criar. No entanto, eles entram em divergências sobre qual tipo de cena fazer. Com muita ironia e alguma dose de bom humor, a cena acaba refletindo sobre o lugar do ator. Elenco, Texto e Direção: Edu Coutinho e Fernando Antônio. Iluminação: Felipe Viguini.

“O conhecimento que nasce do fogo” (RJ – UFF)

Sinopse: Relato performático de um ator negro em busca de sua capacidade comunicativa. O texto visa à reflexão sobre a voz e a cena se sustenta em três pilares: corpo, religião e voz. Estas questões, puramente mais voltadas à direção, são as chaves que vão determinar tal rompimento. Elenco: Igor Orlando. Produção: Tom Karabachian. Direção: V.Drummond.

“Coaching” (RJ – UERJ | CAL | PUC | UNIRIO | Tablado | UFRJ | Escola de Atores Wolf Maya)

Sinopse: O que é preciso para vencer no mundo corporativo? Somente a A. Smith prepara seus candidatos para torná-los aptos a encarar o Darwinismo Empresarial. Elenco: Gabriel Lara, Isis Pessino, Julia Mestre, Juliana Amaral, Lara Coutinho, Lívia Feltre, Tom Karabachian, Vicente Conde e Vinicius Maia. Texto e Direção: Gabriel Rochlin.


6/10 – SEXTA-FEIRA– 19h

“Homenagem à burocracia” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: A burocracia que nos cerca é retratada por Augusto Boal nessa cena. O menino que não pode salvar o bebê porque é proibido pisar na grama serve como metáfora para várias regras, regimentos internos, leis e proibições que, por vezes, nem paramos para entender o motivo. Em um hospício, loucos brincam em um jardim imaginário enquanto o enfermeiro não os chama de volta. Eles têm aquele tempo para fugir do dia a dia burocrático e decadente do hospital e, como num sonho, projetam as dificuldades daquela vida enclausurada e reprimida. O guarda da história representa o enfermeiro que, todos os dias na mesma hora, interrompe o mundo de sonho para dar os remédios. Esses sonhadores talvez estejam mais lúcidos do que muita gente. Elenco, Figurino, Cenografia e Direção: Tamie Panet e Vitor Novello. Iluminação: Julia Faria.

“Richard Eletric” (RJ – UNIRIO)

Sinopse: Duas pessoas, que compartilham o mesmo tempo e a mesma ação, porém, em espaços distintos, farão um esforço para ressaltar e valorizar esse desajuste proposto pela dramaturgia. Enquanto a personagem masculina se comporta de forma natural e cotidiana, a personagem feminina explode todos os limites do realismo, tanto na composição vocal quanto na gestual, criando assim uma cisão entre o que poderíamos considerar como vida e o que consideramos como teatro. Elenco: Jansen Castellar e Júlia Fernandes. Direção de Movimento: Julia Fernandes. Figurino: Alonso Zerbinato, Jansen Castellar e Julia Fernandes. Iluminação: Alonso Zerbinato e Jansen Castellar. Cenário, Texto e Direção: Alonso Zerbinato.

“Cálculo ilógico” (RJ – UNIRIO | CAL)

Sinopse: Em um lugar em que viramos estatísticas, onde buscamos, dentro de nós mesmos, o nosso sentido, o nosso valor? Qual é o seu número de celular? Qual é o seu RG? CPF? Que número você calça? Qual o seu CEP? Qual é o número do seu apartamento? Quantos quilos você pesa? Quanto custa? Em quantas vezes eu posso parcelar? Qual a velocidade permitida? Qual dia você nasceu? O texto transforma a banalidade da vida humana em um jogo lírico em que a compaixão ganha lugar e a lucidez se relativiza. No palco, uma mulher esquizofrênica, com lembranças de seu passado, deixa escapar, em pequenas doses de seu discurso matemático, fragmentos que revelam sua personalidade e contam um pouco de sua trajetória de vida. Como tantos outros que só precisam ser ouvidos, ela fala a quem quiser escutar. Elenco e Texto: Jéssika Menkel. Iluminação e Som: Gabriela Checchia. Direção: Gabriela Checchia e Jéssika Menkel.

“Talvez não seja possível escrever algo a mais” (PR | PUC)

Embasado nos estudos do teórico Rudolf Laban e em variações da dança teatro, o esquete aborda questões da psiquê humana por meio da expressão corporal e dos espaços de criação gerados por improvisações roteirizadas. No palco, seis corpos buscam uma forma de reencontrar a vida a partir de um acontecimento trágico que os une. Um jogo contínuo de prazer, paixão, amor e desapontamentos. A presença corporal, impulsionada por ações, traz à tona genuinidade humana tão esquecida nos dias de hoje. Elenco: Débora Paz Winiarski, Jéssica Caroline Souza, Lucas Bovkalovski Negrão, Luigi Oliveira Nones, Pamella Santana do Nascimento e Rodrigo dos Santos Ghidelli. Direção: Suzana Vieira Souto e Viviane Falkembach da Costa.

“Barriga” (RJ – UFRJ | PUC | Escola de Atores Wolf Maya)

Sinopse: A montagem expõe as dificuldades de existir em uma sociedade que poda, comprime e reprime a individualidade, por meio da narrativa de uma pessoa que é submetida a um tratamento de reclusão. Utilizando a palavra e os corpos opostos dos performers, somados a uma trilha sonora e uma iluminação que não são um mero suporte técnico, o esquete propõe uma imersão cênica que convida o espectador a reconhecer suas singularidades. Elenco: Isis Pessino e Rodrigo Trindade. Direção: Julianna Firme.

“O caderno rosa de Lori Lamby” (RJ – PUC)

Aos oito anos, a menina Lori vende seu corpo, incentivada por seus pais proxenetas. Sentada em sua poltrona, ela conta sua experiência desconcertante e deixa a veia sarcástica, contundente e potente da autora Hilda Hilda reverberar pelo teatro. Elenco: Ana Niquini. Iluminação: Ana Paula Rolón.

“Baldes” (RJ – PUC | UNIRIO | CAL)

Trabalhar. Esperar. Reclamar. Jogar. Discutir. Trabalhar. Esperar. O que é necessário para quebrar um ciclo. Ficamos tão distraídos que acabamos por nos perder. Elenco e texto: Gabriel Lara, Gabriel Rochlin e Vicente Conde. Direção: Lara Coutinho.

“Brihana, a poetisa” (RJ – UNIRIO)

Com texto poético e autoral, Brihana, drag queen do próprio ator em cena, denuncia e traz temas como a violência doméstica, física e psicológica sofrida por crianças, mulheres e LGBTQ's no Brasil. Com movimentos de dança contemporânea, ela expressa os sentimentos sombrosos vivenciados e o colorido do universo queer. Um processo de desconstrução de padrões heteronormativos e machistas impostos pela sociedade “inocente”. Elenco e Texto: Brian Felipe Silva. Iluminação: Danilo Couto de Avilez. Som: Sol Targino.

“O povo, o rei e o bufão do rei” (RJ – UNIRIO | UFRJ | Martins Penna)

Sinopse: Fruto de um processo de pesquisa da dramaturgia do escritor franco-romeno Matéi Visniec, o esquete é um jogo de gato, rato, bufão e rei, uma situação vivida num capítulo único, vivenciada como crônica que resgata a função dialética do teatro. É uma crônica sobre nossas posições em tempos de manifestações e de escolhas, uma paródia sobre a relação de poder do povo com seu governante. Elenco: Bárbara-Abi-Rihan, Camila Zampier, Erick Tuller, Fábio Lacerda e Luan Vieira. Produção: Camila Zampier e Luan Vieira. Iluminação e Direção: Ricardo Rocha.

7/10 – SÁBADO – 17H

Oito esquetes finalistas + premiação

SOBRE O FESTU

Criado em 2010 pelo produtor Miguel Colker e pelo diretor e ator Felipe Cabral para fomentar e revelar novos talentos, o FESTU é um festival voltado para jovens estudantes que desejam um espaço para mostrarem e desenvolverem seus trabalhos. Com a premissa de apresentar novos talentos e incentivar a carreira de futuros realizadores, o Festival de Teatro Universitário (FESTU) chega à sua sétima edição em 2017.

Em seis edições, o festival apresentou 158 esquetes, tendo patrocinado seis espetáculos e premiado 51 categorias. A cada ano, um novo júri é formado para julgar os projetos em competição. Já passaram 53 profissionais de artes cênicas pelo júri do FESTU. Entre eles, estão nomes como: Marília Pêra, João Falcão, Jô Bilac, José Wilker, Otávio Augusto, Debora Lamm, Renata Mizrahi, Pedro Kosovski, Jorginho de Carvalho, Tonico Pereira, Gregório Duvivier, Aurélio de Simoni, Victor Garcia Peralta, Deborah Colker e Lilia Cabral.

Site oficial: www.festu.com.br

Agenda Cultural RJ -  Produção, Divulgação Cultural - Colagem de Cartazes e Distribuição de Filipetas. Divulgação de Mídia Online. Gabriele Nery - agendaculturalrj@gmail.com #agendaculturalrj Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha lista de blogs