Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

7 de jun de 2015

Alexandre Borges apresenta recital “Poema Bar” em prol do Movimento Martins Sem Pena dia 8 de junho, às 21h Com as cantoras Mariana de Moraes, Sofia Vitória e o músico João Vasco, espetáculo apresenta poesias de Vinicius de Moraes e Fernando Pessoa. Movimento chama atenção para descaso com a mais antiga escola de teatro da América Latina.

As notícias publicadas na imprensa sobre a difícil situação financeira em que se encontra a mais antiga escola de teatro da América Latina – a Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena – vem sensibilizando artistas e agitadores culturais. Não foi diferente com o ator Alexandre Borges. Ao lado da cantora Mariana de Moraes, da cantora portuguesa Sofia Vitória e do músico português João Vasco eles farão uma única apresentação gratuita do recital de música e poesia “Poema Bar” dia 8 de junho (segunda-feira), às 21h, na sede da instituição.
O espetáculo foi concebido em 2010 com o objetivo de unir a obra de dois poetas importantes da língua portuguesa, Fernando Pessoa e Vinicius de Moraes e desde então já se apresentou em Portugal, Alemanha, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, entre outras cidades.
Por se tratar de uma instituição pública, a apresentação não será cobrada, porém ao final os artistas passarão um chapéu onde o público poderá contribuir com qualquer quantia. O valor arrecadado será repassado para o movimento Martins Sem Pena, uma iniciativa dos alunos da escola que conta com o apoio de professores e funcionários.
– Temos produzido vários atos artísticos (o próximo será no dia 13 no Parque das Ruínas) com o objetivo de chamar a atenção da sociedade civil e dos nossos governantes para a situação em que se encontra a Martins Pena. Essa ajuda será fundamental – conta Felipe Bustamante, presidente do Grêmio Estudantil.
Para conseguir angariar o máximo de verba, todos os envolvidos com a apresentação de “Poema Bar” estão convidando artistas que queiram recitar versos e que possam colaborar financeiramente com a causa. Os alunos da Martins Pena também participarão recitando versos.
– Fiquei muito sensibilizado com a situação da escola e acho que todos nós artistas devemos nos unir para contribuir com essa causa – diz Alexandre Borges, atualmente no ar como Jurandir de I Love Paraisópolis, novela das 19h da Tv Globo.

Sobre o projeto “Poema Bar”

A celebração entre a música e a poesia do brasileiro Vinicius de Moraes e do português Fernando Pessoa foi a motivação encontrada pelo pianista João Vasco e o ator Alexandre Borges para criarem o recital POEMA BAR. Enquanto o ator brasileiro declama versos de ambos os poetas, o pianista português interpreta músicas que vão do fado às canções brasileiras.
A dupla ainda conta com duas participações luxuosas: a cantora e atriz Mariana de Moraes – neta de Vinicius, e a cantora portuguesa Sofia Vitória. No repertório estão canções como “Amor em lágrimas” e “Acalanto da Rosa”, do aclamado compositor erudito brasileiro Cláudio Santoro e versões para canto e piano de fados portugueses, como “Gaivota” e “Meu Amor, Meu Amor”, arranjados por Jeff Cohen – pianista e professor no Conservatório Superior de Paris.
O cenário idealizado pelo cenógrafo Rogério Marcondes é composto por dois estandartes – painéis fotográficos com imagens trípticos, um recorte da geografia de Brasil e Portugal que permeia a vida e obra de Vinicius de Moraes e Fernando Pessoa. Duas mesas e três cadeiras também compõem a cenografia, remetendo a um café lisboeta ou um botequim carioca. O desenho de luz concebido pelo premiado Domingos Quintiliano propicia um ambiente insólito de um bar com traços poéticos.
POEMA BAR estreou em grande estilo em um dos lugares mais apropriados: a Casa Fernando Pessoa, em Lisboa – Portugal. Em seguida o recital foi apresentado na Alemanha, no Teatro Bühne der Kulturen, em Colônia. O público brasileiro conheceu POEMA BAR em outubro de 2011, quando o grupo promoveu uma semana em comemoração aos 98 anos de Vinicius de Moraes. Mais uma vez, a estreia não poderia ser em outro lugar, senão no restaurante em que ele e Tom Jobim fizeram história. A Casa Villarino abriu suas portas para receber o melhor da música e poesia em um encontro regado de emoção. Outro cenário escolhido para apresentação foi a comunidade do Vidigal, onde está a sede do grupo Nós do Morro, criado pelo artista Guti Fraga. POEMA BAR encerrou a semana comemorativa no Teatro do Leblon, em uma bela apresentação.
Em novembro de 2012, POEMA BAR abriu o Ano Brasil / Portugal celebrado entre setembro de 2012 e agosto de 2013, no Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso, em São Paulo.
A montagem circulou pelos teatros do SESI no interior do estado, nas cidades de São José dos Campos, Sorocaba, Campinas e Itapetininga. Sucesso de público na curta temporada, POEMA BAR retornou aos palcos dos teatros do SESI-SP em 2013 para mais uma turnê pelo interior de São Paulo e uma apresentação na capital.
Ainda, em maio de 2013, Alexandre Borges, João Vasco, Mariana de Moraes e Sofia Vitória participaram da primeira mostra de teatro Tiradentes em Cenas, em Minas Gerais, apresentando pela primeira vez o recital em praça pública. No mês seguinte, POEMA BAR realizou a apre¬sentação especial em homenagem aos 125 anos de Fernando Pessoa, no Teatro dos Anônimos – Fundição Progresso, no Rio de Janeiro. POEMA BAR – RICARDO REIS contou com várias par¬ticipações espontâneas da plateia, entre elas, a atriz Julia Lemmertz e o ator português José Raposo. O heterônimo Ricardo Reis foi escolhido para a celebração por ter se exilado no Rio de Janeiro. Por fim, neste mesmo ano, o espetáculo foi encenado no Teatro Castro Alves, em Salvador – BA.
Como parte da celebração dos 100 anos de Vinicius de Moraes, a VM Cultural (detentora dos direitos do poeta) contemplou o recital com o selo do centenário, marca disponibilizada aos produtos culturais que a empresa apoia.
Em comemoração à essa data marcante, POEMA BAR regressou aos teatros euro¬peus. O recital foi apresentado em Portugal nas cidades de Matosinhos, Porto, Alcântara e Lisboa. Em seguida, na Casa do Brasil – Cidade Universitária Internacio¬nal de Paris – França, nos meses de maio e junho de 2014. Posteriormente, retornou aos palcos dos teatros brasileiros encerrando as comemorações do centenário com apresentações no estado de Minas Gerais, em outubro de 2014. O recital foi destaque na 3º edição do Fliaraxá – evento literário em Araxá e no SESC Palladium, em Belo Horizonte.
POEMA BAR foi visto por mais de 16 mil pessoas, sempre muito bem recebido pelo público e mídia de uma forma geral. A montagem propõe uma nova ótica sobre a obra de dois poetas que, apesar de re¬tratarem épocas diferentes, traduzem em versos a ampla cultura de seus países. O humor ácido e as paixões de Vinicius se unem ao romantismo de Pessoa em um show para ser visto, ouvido e, sobretudo, sentido.
  
Sobre a Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena

A Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena é uma instituição pública de ensino técnico subsequente, subordinada a FAETEC (Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro), localizada na cidade do Rio de Janeiro.
Considerada a mais antiga escola de teatro da América Latina em atividade, surgiu em 13 de janeiro de 1908, como resultado do empenho de seu fundador e primeiro diretor, Coelho Neto, durante a gestão de Francisco Marcelino de Sousa Aguiar como prefeito do então Distrito Federal. Coelho Neto dirigiu a escola por 25 anos.
O nome escolhido para a escola homenageia Luís Carlos Martins Pena, teatrólogo considerado precursor da comédia de costumes no teatro brasileiro. Foi criada pelo art. 19 da lei nº. 1167, de 13 de janeiro de 1908, ratificado pelo Doc. nº. 832, de 8 de junho de 1911, e instalada no dia 5 de fevereiro do mesmo ano.
Fundada sem um espaço determinado para abrigá-la, ocupou uma sala emprestada do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, no Instituto de Educação, na Avenida Venezuela e o Teatro João Caetano. O endereço definitivo só veio em 1950 quando a partir de 18 de dezembro a escola passou a funcionar na rua Vinte de Abril, nº. 14, em um solar neoclássico de 1835, tombado pelo IPHAN na década de 1930, onde nasceu o barão do Rio Branco.
Gratuita desde a origem, o objetivo da escola era dar uma revolucionária base teórica e prática aos futuros atores. A grade curricular foi pouco modificada ao longo do tempo e possuía as seguintes matérias: Prosódia portuguesa e Elementos da Estética; Arte de dizer; Arte de representar e caracterização; História e Literatura dramática; Psicologia das paixões: expressão das emoções, mímica; Cenografia e Perspectiva teatral, Indumentária e tecnologia; Exercício de corpo livre, atitude e Esgrima. Algumas destas cadeiras mudaram de nome com o passar dos anos.
Hoje, a Escola Técnica Estadual oferece 30 vagas por ano, sendo uma turma de 15 alunos para o turno da noite e outra para o da tarde, e possui dois teatros, cinco salas de aulas e uma biblioteca que reúne peças e publicações especializadas.

FICHA TÉCNICA

Direção artística e recitante: Alexandre Borges / Pianista e idealizador: João Vasco / Cenografia: Rogério Marcondes / Desenho de luz: Domingos Quintiliano / Produção executiva: Fábio Amaral / Produção: Candice Frederico

SERVIÇO

POEMA BAR
Com Alexandre Borges, João Vasco, Mariana de Moraes e Sofia Vitória
Local: Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena.R: Vinte de Abril, 14 – Centro – RJ. Tel:(21) 2332-9721 / (21) 2332-9731
Data: 8 de Junho (segunda-feira)
Horário: 21h
Classificação: 12 anos
Duração: 60 minutos.
Entrada franca.


Agenda Cultural RJ 
Divulgamos espetáculos, shows, festivais, exposições e muito mais! 
Divulgação Cultural, Mídia Online, Distribuição de Filipetas e Colagem de Cartazes. 
(21)99676-9323 (WhatsApp) 
 agendaculturalrj@gmail.com 

 #agendaculturalrj 

  Instagram

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs