Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

6 de nov de 2015

CIA. DOS À DEUX APRESENTA IRMÃOS DE SANGUE EM MADUREIRA E GUARATIBA - Peça terá duas únicas apresentações na Arena Carioca Fernando Torres, no Parque de Madureira, nos dias 07 e 08 de novembro, com entrada franca e no dia 10 de novembro, a montagem ganha duas sessões gratuitas na Arena Carioca Aberlado Barbosa – Chacrinha, em Guaratiba

Montagem foi vencedora do Prêmio Shell 2014 nas categorias cenário
e ator para André Curti e Artur Luanda Ribeiro

A fraternidade e as memórias são os temas que conduzem o Irmãos de sangue, uma criação da companhia franco-brasileira Dos à Deux. Com dramaturgia, direção, coreografia e cenário de André Curti e Artur Luanda Ribeiro, a peça faz duas únicas apresentações na Arena Carioca Fernando Torres, no Parque de Madureira, nos dias 07 e 08 de novembro (sábado e domingo), às 19h, com entrada franca. No dia 10 novembro (terça), o grupo faz únicas sessões gratuitas na Arena Carioca Aberlado Barbosa – Chacrinha, às 19h e 21h. Depois de mais de duas décadas na França, a Cia. Dos à Deux passou a ter duas sedes há quatro anos, sendo uma Paris e outra no Rio – onde reformaram um cortiço de 1846 no bairro da Glória. O lugar é a sede do grupo no Brasil e está se estabelecendo como um espaço para abrigar residências artísticas.

Em Irmãos de sangue, o grupo retoma o tema da família que esteve presente nos dois trabalhos anteriores: “Saudade em terras d’água” (Prêmio do público no Festival de Avignon, em 2005) e “Fragmentos do desejo” (Prêmio Shell 2010 na categoria “Especial”). Em cena, André Curti e Artur Luanda Ribeiro conduzem uma coreografia gestual precisa ao lado dos atores Raquel Iantas e Daniel Leuback. Em uma atmosfera onírica, a peça investiga os laços fraternos e os conflitos que marcam a convivência familiar. A história se passa no centro das relações entre três irmãos e sua mãe, alternando momentos entre o passado e o presente. 

No cenário, o minimalismo foi trabalhado de forma orgânica e mutável por Curti e Ribeiro. Poucos elementos materiais, como uma mesa e uma grande gangorra, evocam memórias fraternais e a presença da mãe. Como nas criações anteriores, a música original de Fernando Mota se funde na dramaturgia gestual, sublinhando o não-dito e o amor fraternal incondicional.

O espetáculo estreou em março de 2013 em Paris e, no mesmo ano, participou do Festival de Avignon, onde foi saudado com entusiasmo por críticos como Sandrine Blanchard, do jornal “Le Monde”: “teatro gestual, inventivo e poético, que alcança grande sucesso”.  O grupo seguiu em turnê pela França e pelo Brasil: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília, além de ter participado dos festivais Filo de Londrina (Paraná) e Mirada (Santos, no litoral paulista). Em outubro, a Cia. Dos à Deux se apresentou pela primeira vez na China, no Festival de Wuzhen, fruto de uma parceria com o Festival Cena Brasil Internacional. Em novembro, a turnê seguirá por três cidades brasileiras: Curitiba, Porto Alegre e Campinas. 

O espetáculo foi indicado ao Prêmio Shell 2014 em quatro categorias (Ator, Direção, Cenário e Iluminação) – sendo vencedor nas categorias “Melhor Cenário” e “Melhor Ator”, este dividido entre Curti e Ribeiro.  Também foi indicado aos prêmios APTR (Espetáculo) e Cesgranrio de Teatro 2014 em quatro categorias (Espetáculo, Direção, Cenografia e Iluminação). No Prêmio CENYM, a produção foi indicada em três categorias (Ator, para Artur Luanda Ribeiro, Companhia de Teatro para Cia. Dos à Deux e Elenco). 

SERVIÇO 
IRMÃOS DE SANGUE
Local:  Arena Carioca Fernando Torres 
(Rua Soares Caldeira, 155 – Parque de Madureira)
Informações: (21) 3495-3078
Dias e horários: 07 e 08 de novembro (sábado e domingo), às 19h 
 Classificação Indicativa:  14 anos
Duração: 90 minutos
Lotação: 408 lugares 
Entrada franca 

Local:  Arena Carioca Aberlado Barbosa – Chacrinha
(Rua Soldado Elizeu Hipólito, 138 - Guaratiba)
Informações: (21) 3404-7980
Dias e horários: 10 de novembro (terça), às 19h e 21h
 Classificação Indicativa:  14 anos
Duração: 90 minutos
Lotação: 330 lugares 
Entrada franca 

Apoio: Agenda Cultural RJ 
Divulgamos espetáculos, shows, festivais, exposições e muito mais! 
Divulgação Cultural, Mídia Online, Distribuição de Filipetas e Colagem de Cartazes. (21)99676-9323 (WhatsApp) 
agendaculturalrj@gmail.com 
 #agendaculturalrj

  Instagram

SOBRE A CIA. DOS À DEUX
Artur Luanda Ribeiro e André Curti se conheceram em 1997 durante um festival em Paris e decidiram começar juntos uma pesquisa teatral e coreográfica, tendo como inspiração o texto “Esperando Godot”, de Samuel Beckett. Um ano mais tarde, em 1998, nascia o primeiro trabalho da companhia: “Dos à Deux”, que já foi apresentado em quase todos os países da Europa, além da África e da Índia.  

Depois de mais de duas décadas na França, a Cia. Dos à Deux há quatro anos mantém duas sedes, sendo uma em Paris e outra no Rio – onde reformaram um cortiço de 1846 no bairro da Glória. O lugar é a sede do grupo no Brasil e está se estabelecendo como um espaço para abrigar residências artísticas. A Companhia do Latão se hospedou na casa entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano. 

A Cia Dos à Deux já percorreu mais de 50 países, somando cerca de 1.500 apresentações por toda a Europa, África Central, Ásia, Polinésia Francesa e América do Sul. O repertório é formado por “Aux Pieds de la lettre”, “Saudade em terras d’água”, “Fragmentos do desejo”, “Ausência” (solo com Luís Melo), “Dos à Deux 2º ato” e Irmãos de sangue. 

André Curti é diretor, coreógrafo e intérprete. Entre 1983 a 1990, se forma como ator e bailarino na Escola Jogo Estúdio e na Escola Vento Forte, em São Paulo. Atua em “A Casa de Bernarda Alba”, de Garcia Lorca, dirigido por Eugênia Teresa. Ensina o teatro na Escola Jogo estúdio para um público de amadores. No cinema, trabalha com Hilda Machado e Renato Tapajos. Desde 1990 na França, faz parceria com Olivier Fornut e Jöel Daguerre. Atua na companhia Le G.R.A.L, dirigida por Odile Michel e Patrick Olivier. De 1992 a 1998, atua e dança na companhia de Teatro - Dança “A Fleur de Peau” dirigido por Denise Namura e Michel Budghan.

Artur Luanda Ribeiro é formado em teatro pela UniRio e em dança pela Escola Angel Vianna, tendo trabalhado no Brasil com diretores como Márcio Vianna. Na França desde 1994, se forma na Escola de Mímica Corporal Dramática de Paris e na Universidade Nouvelle Sourbonne-Paris III no curso Licenciatura em Estudos Teatrais. Fez diversas oficinas dirigidas por Stewen Wasson e Corine Soum (mímica), Denise Namura e Michel Bugdhan (teatro-dança), Georges Roiron (canto lírico), Cia “Enfin le jour” (butô), Serge (clown e jogo de máscaras) e Fabrice Dugeid (Dança contemporânea). 

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia, cenário, coreografia e direção: André Curti e Artur Luanda Ribeiro
Interpretação: Raquel Iantas, Daniel Leuback André Curti e Artur Luanda Ribeiro
Música original: Fernando Mota
Violino: Fran Lasuen
Figurinos e marionetes: Natacha Belova
Acessórios, peruca e objetos: Maria Adélia e Marta Rossi com assistência de Morgan Olivier e Camila Moraes
Iluminação: Artur Luanda Ribeiro e Bertrand Perez 
Construção do cenário: Demis Boussu e Jessé Natan
Contraregra: Jessé Natan
Direção técnica de turnê e Técnico de luz: Hugo Mercier
Técnico de som: Luciano Siqueira
Produção executiva: Thais Tedesco
Comunicação: Taiana Trajano
Programação Visual: Roberta Freitas
Teaser ¬Vídeo: Jean Luc Daniel
Fotos: Renato Mangolin 
Direção de produção: Nathalie Redant (França) e ¬ Sérgio Saboya (Brasil)
Equipe de produção: Alex Nunes
Produção Executiva: Neila de Lucena
Assistente de Produção: Fabiana Salgueiro
Técnico de Som: Luana Moreno

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs