Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

11 de nov de 2015

Oráculo Cia de Teatro, estréia a montagem inédita de “Diários Marginais'' no Sesc Tijuca , dia 13/11/2015, às 19h.

A montagem teatral “Diários Marginais”, pela companhia carioca O.C.T. (Oráculo Cia de Teatro) propõe o encontro entre dois grandes autores brasileiros: Lima Barreto e João do Rio, para a comemorar a existência do grupo. A ideia do texto surgiu no ano de 2001, e só agora encontramos a oportunidade para a montagem, com o apoio do Sesc Rio. O grupo acredita que a encenação tem tudo a ver com os tempos atuais, no qual a cidade também passa por grandes transformações. E, tudo é registrado pela ótica desses dois grandes escritores cariocas, que amavam o Rio de Janeiro.

 A Companhia sempre partiu de uma pesquisa para produzir seus espetáculos. Tendo desenvolvido o projeto “A literatura sob o olhar teatral”, com o objetivo de adaptar obras literárias de grande valor para o teatro. Nesse projeto realizaram as montagens de América, de Kafka; O capote, de Gogol – que teve a direção de Paulo Afonso de Lima; O Mandrim, de Eça de Queirós, adaptação de Gilson Gomes; Oh, Nelson Rodrigues que adoráveis criaturas! , adaptação de Neila Tavares, dos contos, crônicas e romances de Nelson Rodrigues, com direção de Wagner Brandi. 
Dessa vez, o grupo parte para uma imersão na obra desses dois grandes escritores, tidos como marginais da época, revelando para a platéia várias coincidências que ligam a vida desses dois autores cariocas e suas vidas polêmicas e tão à frente do tempo em que viveram, 
Diários Marginais foi escrito por Gilson Gomes e Wagner Brandi, a direção é de Luiz Furlanetto ( que dirigiu o espetáculo “TRAINSPOTTING'' ), recebendo em 2001 o Prêmio SHELL de Teatro, como melhor diretor. 
Gilson Gomes idealizou o projeto a partir de um sonho com os dois autores, e ao contar para Wagner Brandi, que também é fundador do grupo, aceitou imediatamente o desafio: “O que pretendemos com a encenação é mostrar a essência de cada um, e não fazer um espetáculo puramente didático. Afinal, até onde sabemos esse encontro mostrado em cena nunca existiu. O surpreendente é que eles nasceram no mesmo ano, viveram na mesma época e morreram um ano após o outro”, declaram os autores do espetáculo. 
O grupo Oráculo Cia de Teatro, foi inaugurado com a montagem de “O Assalto”, de José Vicente, no VI Festival Carioca de Novos Talentos, realizado pela Funarte, obtendo as indicações de Melhor Espetáculo e Melhor ator. A Companhia através da pesquisas, na busca de uma linguagem e dramaturgia própria, desenvolve o projeto “A literatura sob o olhar teatral”, e realiza a montagem musical de “América”, de Kafka, sendo vencedora do Prêmio de Melhor Espetáculo pelo Juri Popular,  no Festival da Veiga de Almeida. Integra a lista do projeto as montagens de “O Capote”, de Gogol, com direção de Paulo Afonso de Lima, e   “O Mandarim”, adaptação da obra de Eça de Queirós, por Gilson Gomes e direção de Wagner Brandi, que participou do evento internacional Eça entre milênios: pontos de olhar, realizado pelo Instituto Camões de Portugal. 

SINOPSE
O espetáculo mostra os últimos dias de delírio de Lima Barreto, confinado em seu quarto e empenhado em terminar o seu “Cemitério dos vivos”, sua obra inacabada. O escritor terá um encontro com uma das figuras emblemáticas de sua época, Paulo Barreto ou João do Rio. Esse encontro foi possível com a poética do autor e a livre inspiração que ao longo de 10 anos, foi maturada e pensada pelo pesquisador e um dos autores do texto Gilson Gomes – Como pode essas duas figuras importantes do mesmo período não poder tido um encontro, já que bebiam na mesma fonte a Cidade do Rio de Janeiro, seu povo, sua gente e seu jeito?Ao pesquisar para o memento de criação, descobriu-se algumas coisa em comuns entre os dois e o fato de Lima Barreto ter assumido a cadeira de Paulo Barreto/João do Rio na Academia Brasileira de Letras. Os autores travam um curioso debate sobre a vida e obra de cada um, convidando o público a conhecer um pouco mais as suas histórias, escritas nos seus diários, romances, crônicas e contos. Vale lembrar que o espetáculo fará um recorte na transformação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, nas mãos de Pereira Passos e toda a mundaça social e econômica da época, tendo muita semelhança com o momento atual da cidade. 
Um lirismo e uma poesia de palavras, sons e canções da época, irão invadir o palco do teatro II do Sesc Tijuca com a Companhia Oráculo Cia de Teatro, na figura dos seu atores e fundadores Gilson Gomes e Wagner Brandi, que também dirige o espetáculo. 

LIMA BARRETO
Afonso Henriques de Lima Barreto nasceu em 1881 na cidade do Rio de Janeiro. Enfrentou o preconceito por ser mestiço durante a vida. Ficou órfão aos sete anos de idade de mãe e, algum tempo depois, seu pai foi trabalhar como almoxarife em um asilo de loucos chamado Colônia de Alienados da Ilha do Governador.

Não foi reconhecido na literatura de sua época, apenas após sua morte. Viveu uma vida boêmia, solitária e entregue à bebida. Quando tornou-se alcoólatra, foi internado duas vezes na Colônia de Alienados na Praia Vermelha, em razão das alucinações que sofria durante seus estados de embriaguez.

PAULO BARRETO (JOÃO DO RIO)
João Paulo Barreto, também conhecido como João do Rio,  nasceu no Rio de Janeiro em 1881. Estudou com o pai, o professor Alfredo Coelho Barreto, e ainda adolescente ingressou na imprensa.
João do Rio produziu sua obra a partir da observação direta da vida e da linguagem de diferentes grupos sociais do Rio de Janeiro do começo do século 20. Seu olhar atento faz de presidiários, trabalhadores braçais, prostitutas, barões, dândis, cocotes e outros seres urbanos tema de investigação. Os espaços sociais - terreiros de umbanda e candomblé, igrejas, cabarés, cortiços, favelas, minas, palácios, presídios - em que se movimentam essas criaturas são expostos com realismo e sensibilidade.

SERVIÇO
DIÁRIOS MARGINAIS
Drama. Texto de Gilson Gomes e Wagner Brandi. Com Gilson Gomes e Wagner Brandi. Direção Luiz Furlanetto. 
De 13/11 a 29/11, Sexta a domingo, às 19h. 
R$ 2 (associado Sesc), R$ 4 (meia-entrada) e R$ 8.
Classificação etária: 14 anos. 
Duração 60 min. 
Local: Teatro II, do Sesc Tijuca, , 
Endereço: R. Barão de Mesquita, 539 - Tijuca, Rio de Janeiro - RJ, 20540-001
Telefone:(21) 3238-2072 e 3238-2139. Capacidade para 50 pessoas. 

Ficha técnica:
Elenco:  Gilson Gomes e Wagner Brandi
Texto: Gilson Gomes e Wagner Brandi 
Fotografia: Leonardo Pergaminho
Assessoria de imprensa: Gilson Gomes
Design gráfico: Alexandre Muner
Iluminação: Djalma Amaral
Edição de Vídeo Cenário: Mayara Ferreira
Operador de Som: Fellipe Santos
Assistente de Direção de Arte: Ianara Elisa
Direção de Arte: Oswaldo Eduardo Lioi
Direção Musical: Charles kahn
Letras e musicas: Wagner Brandi 
Produção executiva:  Dalis Dantas
Direção: Luiz Furlanetto
Coordenação do projeto: Gilson Gomes 
Realização: Oráculo Cia de Teatro e WGL Produções e Eventos

Página no Facebook https://www.facebook.com/WGL-Produ%C3%A7%C3%B5es-s-e-Eventos-Ltda-1011543835545935/

Apoio: Agenda Cultural RJ 
Divulgamos espetáculos, shows, festivais, exposições e muito mais! 
Divulgação Cultural, Mídia Online, Distribuição de Filipetas e Colagem de Cartazes. (21)99676-9323 (WhatsApp)
agendaculturalrj@gmail.com
#agendaculturalrj

  Instagram

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs